Este não era seguramente o post, que eu algum dia, pensei poder escrever como último post do ano.

Lá por fora e depois de um ano de 2004 com os atentados de Madrid, com as eleições norte-americanas, com a guerrilha quotidiana no Iraque, com a morte de Arafat,
com a tentativa de ocidentalização na Ucrânia, muito mas mesmo muito haveria por escrever.

Cá por dentro, tivemos de tudo, desde um presidente indeciso que não dissolve quando o deveria ter feito, e que decidi dissolver quando tal era improcedente e criando um precedente enorme na governação daqui em diante. Só por isto e só isto daria “ pano para mangas “.

Mas nada disto, faz sentido ou quase nada disto faz sentido, depois do sucedido na manhã do dia 26 de Dezembro na costa do Índico.

Hoje, e a medida que o novo ano vai chegando de acordo com os fusos horários, algumas cidades substituíram o tradicional fogo de artifício por um silêncio sepulcral em memória da tragédia que um tsunami criou.

Hoje, o mundo e como o Venerável Manuel aqui em baixo escreveu, é claramente uma aldeia global, mas isto não basta parecer, tem que ser demonstrado.
E a melhor forma de demonstrar é ajudar, ajudar e reflectir.

Para todos vós, um bom ano de 2005.


Publicado por António Duarte 19:45:00 2 comentários Links para este post  



porque o mundo é mesmo uma aldeia global...



In these photos released Thursday, Dec. 30, 2004 by DigitalGlobe, the shoreline of Banda Aceh in Indonesia, is shown on June 23, 2004, above, and Dec. 28, 2004 below, after the tsunami attack. (AP Photo/DigitalGlobe)

...Ajude!

  • O Montepio Geral, em solidariedade para com as vítimas do sismo e maremotos que atingiram domingo o sudeste asiático, abriu uma conta destinada à recolha de donativos, anunciou a instituição bancária. Os donativos deverão ser feitos através de depósito ou transferência para a conta do Montepio Geral, com o NIB 0036 0088 99100039366 18.
  • A organização não-governamental Médicos do Mundo Portugal, que enviou quarta-feira uma equipa médica para o Sri Lanka a bordo de um avião com ajuda humanitária fretado pelo Governo, também pediu o apoio dos portugueses, que poderão fazer o seu donativo através do Banco BPI, com o NIB 0010 00009 4449990001 70, ou da Caixa Geral de Depósitos (CGD), com o NIB 0035 05510 0007722130 32.
  • Para apoiar a missão da Assistência Médica Internacional (AMI) na Ásia, os donativos deverão ser feitos através da conta da CGD 0001 030 003 830, com o NIB: 0035 0001 0003 0003 8306 2.
  • A UNICEF SOS Crianças da Ásia também tem uma conta aberta na CGD com o número 0127 028 241230 e o NIB 0035 0127 0002 8241 2305, assim como a CARITAS que tem a conta 0697 630 917 930, com o NIB 0035 0697 0063 0917 9308 2.
  • A Cruz Vermelha Portuguesa também pediu a ajuda dos portugueses que poderão fazer os seus donativos através de depósito ou transferência para a conta do Banco BPI com o NIB 0010 0000 137 222 70009 70 ou para a conta número 1-137222000009.
  • Também a TMN lança um repto aos seus assinantes. Enviem um SMS com a palavra "AJUDA" para o número 12700. Custa 1 euro e reverte na íntegra a favor da AMI, Cruz Vermelha e Médicos do Mundo. SMS "AJUDA" para 12700.
  • A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) anunciou hoje a abertura de uma conta para ajudar as vítimas dos maremotos no sudeste Asiático. O dinheiro pode ser transferido para a conta do Montepio Geral com o NIB 0036 0093 99100067797 10.

Publicado por Manuel 18:52:00 0 comentários Links para este post  



sem ilusões...




2004 foi um ano mau
, péssimo, que o futebol, qual droga, de certa forma palatou [ler mais aqui]. Vale o desemprego andar baixo e as as taxas de juro serem as que são para garantir a paz social num país de brandos costumes. 2005 não será, pelo menos no seu início, melhor. Vai-se, suspeito, descer ainda mais fundo, antes de se começar a recuperar, se é que isso ainda é possivel, o tempo perdido.


Dito isto, um bom 2005.


Publicado por Manuel 17:16:00 1 comentários Links para este post  

O Diário de Notícias de hoje, numa hilariante prosa, tenta exumar a carreira política do Prof. Marcelo, enterrando-a ironicamente ainda mais. Alegadamente um grupo de cavaquistas tem-se reunido e quer Marcelo na liderança do PSD no day after. Eu leio, releio, e só me apetece rebolar a rir. Quantas vezes, quantas vezes, nos últimos meses, anos, já sairam notícias destas? Almoços, jantares, vagas de fundo ? E ainda há quem acredite... Diga-se, em abono de Marcelo, que desta vez o Professor aparenta estar inocente. A rapaziada da central de comunicação anda a perder qualidades.

Publicado por Manuel 11:23:00 0 comentários Links para este post  



pactologia

Parece que Jorge Sampaio, na mensagem de Ano Novo, vai defender um "contrato", vulgo "pacto", entre os maiores partidos sobre as chamadas questões "duras". Alguém verdadeiramente acha que as questões "duras" se podem resolver com propostas "moles"? Começa bem, não haja dúvida.

Publicado por João Gonçalves 01:14:00 1 comentários Links para este post  



o método de hondt

Mais uma vez tenho que tirar o chapéu ao Dr. Portas. Confesso que não percebia a lógica de o homem abandonar Aveiro, que entrega a Bagão Félix, e rumar, como cabeça de lista, para Viana do Castelo. Não percebia mas já percebi. É genial, tudo graças ao método de Hondt. Viana tem 6 deputados, actualmente 3 do PS, 3 do PSD... Não é dificil a Portas ser eleito, o PP ficou a escassos votos nas últimas legislativas de meter um deputado e o mediatismo de Portas há-de render..., pelo que o PP elegerá, com toda a probabilidade, em Viana do Castelo, metade, leram bem metade, dos deputados do PSD (3 - PS/2 - PSD /1 - PP), isto obtendo muito menos de metade dos votos deste. É o método... de Hondt.

Entretanto, para contrabalançar Manuel Pinho, porta voz para as finanças do PS, cabeça de lista em Aveiro, Portas faz mover Bagão Félix para Aveiro. Fá-lo na premissa de que faça o que fizer Marques Mendes o PP ganha. Ganha se Marques Mendes enlouquecer e se puser a defender com unhas e dentes a actual política do titular das finanças, ganha se Marques Mendes não o fizer com entusiasmo suficiente porque então o PP passa a ter o pretexto, definitivo, para poder declarar guerra aberta ao PSD, perante tão grave "queda de solidariedade". É a vida, é o que é...

Publicado por Manuel 17:04:00 4 comentários Links para este post  



o fim e o início

Está prestes a acabar a Quinta das Celebridades. Está prestes a começar a campanha eleitoral. Entre as tropelias do Eng. Pina Moura, em alta no PS, e do seu protegido, Mexia, mentor (!) do programa de governo do PSD, e as prelações do Sr. Frota e do Sr. Castelo Branco que venha o Diabo e escolha. Eu, confesso, sempre admiro mais o estilo declaradamente kitch mas genuinamente teatral do Sr. Castelo Branco que a gravitas estudada de Pina e da sua invenção António Mexia ... É esta a ditosa Pátria, nossa amada.

P.S. bom, bom era o Dr. Mexia ser cabeça de lista pela Guarda...

Publicado por Manuel 16:24:00 3 comentários Links para este post  

Depois da recusa de Manuela Ferreira Leite, convidada em nome da unidade (!), esta Venerável Loja está em condições de assegurar que também Henrique Chaves não será número dois das listas do PSD em Lisboa.

Publicado por Manuel 14:58:00 0 comentários Links para este post  



"Em teoria é tudo muito bonito, em campanha será bastante mais feio, forte e duro"


(...) Esta tendência acentua a fragilidade do PSD e castra a capacidade de pensar a política fora dos jogos locais e da realidade autárquica, as únicas sobre as quais existe experiência na direcção partidária. O partido está debilitado, entregue a dirigentes de secção promovidos a presidentes de distritais, que, desde que entraram na JSD, têm carreiras de profissionais políticos. Pensam que exagero? Publiquem e analisem os currículos, retirem-lhes os cargos públicos de nomeação governamental, ou de acesso por listas em lugares electivos e secundários - vereadores, membros de assembleias municipais, deputados do meio da lista - e vejam o que sobra de "vida" profissional. Estas pessoas nas direcções partidárias fazem aquilo que sempre souberam fazer: preservar o seu "espaço", que é também o seu emprego, para o que aliás não precisam necessariamente de "ganhar", basta-lhes permanecer numa quota razoável de poder e de cargos, que o estatuto de um partido nacional como o PSD tem garantidamente. (...)

José Pacheco Pereira in Público

Publicado por Manuel 12:21:00 0 comentários Links para este post  



"Coisas Estruturais"


Quando não há mais ideias ou sobretudo quando não há ideia nenhuma, nada como recorrer a conceitos "para-cinematográficos" para impressionar. O Fisco vai ter umas "brigadas de elite" para combater as famosas fraude e evasão fiscais, duas práticas consuetudinárias relativamente pacíficas entre nós. Agora calhou ao Serviço de Bombeiros e Protecção Civil vir a possuir umas "equipas de elite" para prevenir, presume-se, as labaredas. Ao insistirem nestas "brigadas", "equipas" ou noutras coisas similares de que as "fundações" são o exemplo mais nobre, os governos lançam na opinião pública a dúvida sobre a utilidade da administração e dos serviços públicos que os seus impostos sustentam. Para que servem tantos "serviços" e tantas "competências" e "atribuições" quando é preciso criar ao lado ou por cima qualquer coisa diferente para fazer o mesmo, perguntará o cidadão contribuinte? E a "reforma do Estado", algo que a coligação tão gloriosamente ia executar, afinal reduz-se ao conceito de "elite", metido agora à pressa em todo o lado? É de exemplos destes que Álvaro Barreto fala quando diz que "fizemos muitas coisas estruturais"?

in Portugal dos Pequeninos

Publicado por Manuel 07:04:00 1 comentários Links para este post  



"Castração"


A palavra castração é exacta para descrever o actual estado PSD. É espantoso como um partido que sempre soube reagir perante a possibilidade de chegar ao poder ficou parado frente à grande probabilidade de o perder.

Toda a gente perde muito tempo com Santana Lopes. Nos jornais, nas rádios nas televisões, os comentadores encartados e desencartados. Por mim, já escrevi aqui que Santana Lopes, felizmente para o país, é um problema do PSD. Todavia, quando tal escrevi ainda tinha a esperança de ver o PSD reagir e encontrar uma solução que lhe permitisse recuperar alguns dos estragos provocados pela sandice de Santana Lopes e da sua equipa.

Passado algum tempo, concluo que o PSD está mesmo manietado, sem capacidade de recuperação com toda a gente, no partido, a confiar numa coisa espantosa: na capacidade de "combate" do Pedro. Francamente! o homem até a ler os papéis que lhe dão se engasga... E quando fala de improviso só lhe vem lixo à boca!

Os profissionais do marketing político não fazem milagres e alguns, de tanto se esforçarem, acabam mesmo por conseguir os efeitos contrários ao que programaram.

Este PSD está mesmo castrado e isso não é bom para a democracia portuguesa, até porque, depois das eleições, os ajustes de contas não vão ser rápidos. Santana Lopes não é o único responsável. Quem o deixou chegar à liderança também vai ser julgado. Por quem? haverá gente limpa neste processo de destruição de uma força política com a história do PSD?

in A Toupeira

Publicado por Manuel 01:22:00 0 comentários Links para este post  



Publicado por Manuel 19:48:00 0 comentários Links para este post  

As pessoas não têm memória. Nem os novos, nem os velhos. Há muito, muito, tempo, ainda era o Prof. Cavaco primeiro-ministro, um então líder distrital apareceu num Congresso do PSD, que decorreu no Porto, no Palácio de Cristal, a propor em moção um referendo à regionalização. O Prof. Cavaco não aceitou. Muitos anos mais tarde, aquando, então sim de um simulacro de referendo a um simulacro de regionalização, esse mesmo personagem, Luís Filipe Menezes, confessava que afinal até nem era um regionalista. A sua proposta de referendo na era do Prof. Cavaco mais não era do que uma manobra, dizia ele, com vista a desconversar o PS. Ontem, o mesmíssimo Luís Filipe Menezes, paraquedista em Braga, virou regionalista outra vez. É pena. Não pelo Dr. Menezes Lopes de quem se espera tudo mas pelo tema. Porque uma reforma administrativa e política do país - da qual a regionalização faz parte mas não é o todo - é imperiosa e porque o assunto merece ser tratado com outra dignidade, e sobretudo com outra seriedade. [A este propósito ver ainda o editorial de Manuel Carvalho no Público]

Publicado por Manuel 14:49:00 0 comentários Links para este post  

Absolutamente notável, pelo retrato que dá da forma amadorística e casuística como é gerido o país, a entrevista de hoje de Álvaro Barreto ao Público. É só recados, recados e mais recados... Pelo meio já deu para perceber que a Petrocer já era.

Publicado por Manuel 11:44:00 3 comentários Links para este post  



Chicks for young children to pet are kept at the country's largest amusement park in Yongin, near Seoul, as Koreans prepare to celebrate the 'Year of Chicken' in 2005. (AFP/Jung Yeon-Je)

Publicado por Manuel 04:59:00 0 comentários Links para este post  



como ?

Menezes não esclareceu é se fica na câmara ou no Parlamento. Mas defendeu que é em Braga que «deve ficar a capital de uma região de cinco distritos que acabe com a desconfiança de que o Porto possa ofuscar o interior». O presidente da distrital, Virgílio Costa, disse que a escolha de Menezes se deve ao facto de ser «um homem conhecido da opinião pública e com experiência política».

do DN

Publicado por Manuel 01:35:00 3 comentários Links para este post  



Luis Delgado caiu na real
. Depois de dois textos lancinantes onde faz análise (?) política com base em perfis da astróloga Maia (!) eis que hoje o escriba se dedica a um exercício mais introspectivo e pessoal. Num exercicio penoso e certamente doloroso finalmente confessa-se e enumera aos leitores do DN quais os pecados, e logo os pecados, do santanismo e desta geração de políticos. Imperdível. Ainda o vamos ver a fazer um retiro espiritual num qualquer mosteiro budista um destes dias. O barão da PT paga, como nós pagamos o monopólio da PT.

Publicado por Manuel 01:25:00 1 comentários Links para este post  



"Realidade""


Sim, passava aqui frequentemente há vinte anos...
Nada está mudado — ou, pelo menos, não dou por isto —
Nesta localidade da cidade ...

Há vinte anos!...
O que eu era então! Ora, era outro...
Há vinte anos, e as casas não sabem de nada...

Vinte anos inúteis (e sei lá se o foram!
Sei eu o que é útil ou inútil?)...
Vinte anos perdidos (mas o que seria ganhá-los?)

Tento reconstruir na minha imaginação
Quem eu era e como era quando por aqui passava
Há vinte anos...
Não me lembro, não me posso lembrar.

O outro que aqui passava, então,
Se existisse hoje, talvez se lembrasse...
Há tanta personagem de romance que conheço melhor por dentro
De que esse eu-mesmo que há vinte anos passava por aqui!

Sim, o mistério do tempo.
Sim, o não se saber nada,
Sim, o termos todos nascido a bordo
Sim, sim, tudo isso, ou outra forma de o dizer...

Daquela janela do segundo andar, ainda idêntica a si mesma,
Debruçava-se então uma rapariga mais velha que eu, mais
lembradamente de azul.

Hoje, se calhar, está o quê?
Podemos imaginar tudo do que nada sabemos.
Estou parado físisca e moralmente: não quero imaginar nada...

Houve um dia em que subi esta rua pensando alegremente no futuro,
Pois Deus dá licença que o que não existe seja fortemente iluminado,
Hoje, descendo esta rua, nem no passado penso alegremente.
Quando muito, nem penso...
Tenho a impressão que as duas figuras se cruzaram na rua, nem então nem agora,
Mas aqui mesmo, sem tempo a perturbar o cruzamento.

Olhamos indiferentemente um para o outro.
E eu o antigo lá subi a rua imaginando um futuro girassol,
E eu o moderno lá desci a rua não imaginando nada.

Talvez isso realmente se desse...
Verdadeiramente se desse...
Sim, carnalmente se desse...

Sim, talvez...

Álvaro de Campos

Publicado por Manuel 22:58:00 0 comentários Links para este post  



Tsunami na Ásia
Informações úteis

Indicamos aqui um site que poderá ser útil quer para as autoridades portuguesas quer para as famílias que procuram informações acerca do paradeiro dos seus familiares que estão internados nos hospitais de toda a região de Phuket, Tailandia. Ver aqui. Este site reproduz nomes de todas as pessoas internadas nos hospitais de Phuket e infelizmente daqueles que padeceram já no hospital.

Os blogs, e esta Loja, também servem para isto.

Publicado por António Duarte 19:11:00 3 comentários Links para este post  


Uma raiva incontida

Deixem-me exprimir a minha indignação. Ante a tragédia, o horror, o sofrimento, as vidas perdidas aos milhares, a destruição de cidades inteiras, «portugas» chegavam a Bangkok, em bando, para férias de que não desistiam, alguns sorridentes na TV com comentários do género, «uma vez que já aconteceu, já não voltará a suceder agora», «já falei para o hotel está tudo bem e sempre podemos ir à praia». Que bom não é?

É a maltosa do «eu quero saber é do meu», a multidão da ganância, do egoísmo, da falta completa de humanidade, os que estão na vida para «curtir», nem que seja atropelando os outros.

São estes os que geram o país que temos e o mundo em que vivemos.

No rodapé da televisão, enquanto as imagens confrangedoras de devastação passavam, seguia uma «fita» noticiosa: «Madeira e Brasil são agora alternativas turísticas ao Oriente».

Uma raiva incontida atravessou-me a alma! Filhos da puta! Com todas as palavras: filhos-da-puta! É o mínimo que se pode dizer. Desculpem, eu detesto palavrões, mas não encontro palavras que melhor me sirvam. Filhos da puta!

José António Barreiros

Publicado por Manuel 16:19:00 3 comentários Links para este post  



Faltam 3 dias e 10 horas e 32 minutos...

... para a empresa ENI Portugal Investments SPA ser detentora se assim o desejar e de forma automática de 45,34 % do capital social da empresa Galp Energia.

Tudo porque, e apenas porque e conforme o acordo para-social celebrado em Maio de 2000, sob a égide do Engº António Guterres, entre tantas coisas, ficou escrito que...


Estabelece uma primeira fase de privatização da Galp Energia, até ao final do primeiro semestre de 2002. O acordo estabelece ainda que caso a privatização não aconteça a ENI Spa poderia exercer o direito de compra de mais 12 %, ficando tacitamente a Parpública obrigada a vender.


O primeiro erro, foi do EngºAntónio Guterres, que assinou um acordo que iria colocar a Galp Energia em caso de incumprimento por parte do Governo Português, nas mãos de um accionista estrangeiro, neste caso a Eni Spa.

O segundo erro, foi do Engº António Guterres novamente, pois toda a gente que uma operação IPO,está sempre subjacente ao comportamento dos mercados de capitais, que em Maio de 2000 já estavam em fase descendente e de correcção, face à bolha especulativa que rebentou em Março de 2000, ou seja em Maio de 2000 já se sabia que uma IPO de um sector estratégico como a Galp Energia poderia ser arrematado em baixa e com consequente quebra na receita apurada.

A ENI Spa nunca se opôs ao acordo parasocial, pois sabia de antemão que este lhe daria o controlo da empresa, ou via IPO – em bookbuilding – ou através da venda da Parpública pelo incumprimento do acordo.

Mas o Engº António Guterres, não quis abandonar o Governo e o pântano que ele próprio criou sem mais um erro, irresponsável e sobre o qual nunca se ouviu por parte deste governo uma clara chamada de atenção. Já com o país a preparar as eleições, o governo do Engº António Guterres - de gestão - decide unilateralmente, não realizar a IPO, sem que tenha obtido o acordo da ENI Spa para tal situação.

A origem deste tremendo imbróglio é quase inacreditável. O poder negocial e litigante que a Eni teve só existiu porque um Governo se comprometeu contratualmente a fazer uma Oferta Pública Inicial de acções cuja realização está dependente de factores que ninguém controla: os mercados internacionais.Como a sorte não quis nada connosco, ainda a tinta do acordo com a Eni SPA estava fresca e já as bolsas caiam sustentadamente, rebentada a bolha das dot.com.

O governo de Barroso com margem de manobra reduzida, conseguiu através de negociações e alegando as dificuldades no mercado de capitais, adiar o prazo para 31 de Dezembro de 2004, tendo conseguido o acordo da ENI Spa, para que esta não assumisse o controlo da empresa contra a vontade do Estado Português, introduzindo já em 2004 a milagrosa solução para o caso ENI / Galp :
  • EDP, ENI e REN tomam conta do negócio do Gás Natural por ajuste directo. È considerado como valor de referência 1.200 milhões de euros relativos aos activos da GDP, como valorização do negócio.
  • EDP e ENI são os únicos accionistas da nova GDP, denominada EDP Gás. A EDP ficará com 51 % (612 milhões de euros) e a ENI com 49 % (588 milhões de euros).
  • A ENI acorda em sair do negócio do petróleo através da venda das suas acções à PARPÚBLICA, dispondo a PARPÙBLICA de dois anos para pagar à ENI.
  • A aquisição, pela GALP, da posição da Iberdrola (4%), através da compra de acções próprias, comprometendo-se o accionista Estado a votar favoravelmente uma proposta de aquisição das participações da GDP na Tagusgás e na Beiragás, pela Iberdrola.

Ou seja se por um lado é efectuada a separação do negócio do Gás e do Petróleo, por outro lado, fica sem aparente explicação e uma vez mais sem que ninguém seja responsável pelos sucessivos rombos que o Estado português sempre que efectua uma reorganização da estrutura accionista da Galp Energia, senão vejamos :

  • A italiana ENI, aproveitou o erro do Engº Guterres, que vá se lá saber porque, e fez o negócio da China. Comprou os 22,34 % a Petrocontrol e os 11,00 % a Parpública. Pagou por eles 917 Milhões de euros.
  • A ENI recebeu 650 milhões pela saída. Mais 17 Milhões de dividendos. Mais 49 % da futura EDP Gás avaliada na totalidade em 1200 milhões de Euros. Os 49 % correspondem a 580 Milhões de Euros.
  • Num total de 330 Milhões de Euros de mais- valias directas e entrada num negócio mais lucrativo- do gás - do que o do petróleo em si.

Tudo corria bem até que a Comissão Europeia chumbou o processo de integração do gás. Sem ele não há EDP Gás para ninguém. Sem a EDP Gás , a ENI volta a ser accionista da Galp. E ao voltar no dia 1 de Janeiro pode obrigar a Parpública e vender os 12,00 % a preços de 2000, conforme acordado.

Para finalizar três perguntas em jeito de conclusão :

  1. Com o chumbo da Comissão Europeia da operação fica demonstrado, por um lado, o amadorismo profissional ainda que pago a peso de ouro - a consultadoria da operação foi principescamente paga -, e por outro a fina ironia, de o presidente da comissão que chumbou a operação ser a mesma pessoa que à altura era primeiro-ministro do governo que propos a operação.
  2. O famoso plano B, afinal não existia. Ou melhor existia e chama-se negociação directa com a ENI. De qualquer forma os portugueses tem direito a saber que nas três operações de reorganização empresarial da Galp Energia, as mais-valias conseguidas pelo grupo Petrocontrol e ENI ascende a 900 milhões de Euros. Todas ficaram isentas por decreto ministerial de imposto de mais -valias .
  3. A Petrocer continuará a fazer o seu papel de investidor qualificado, até que alguém se lembre de impugnar o concurso.

Publicado por António Duarte 13:35:00 0 comentários Links para este post  



O ano de 2004 - O mundo de A a Z
2ª Parte

Continuamos hoje a análise do mundo em 2004 :


  • E
    • Euro 2004 - Portugal acolheu um dos maiores eventos desportivos do ano. Em termos organizacionais, o país voltou a dar uma lição, com tudo a correr pelo melhor. Faltou a vitória de Portugal na final, num europeu onde a bandeira nacional ganhou contornos de símbolo nacional como nunca de viu. Hoje o país debate-se com o problema dos 10 estádios – elefantes brancos – que mandou construir e para a quase totalidade deles não há rentabilidade. Primeiro a festa, depois a preocupação.

  • F
    • Fahrenheit 9/11 – Provavelmente o primeiro filme político, feito com intuito de interferir directamente na campanha eleitoral americana, visando George Bush.

      Fidel Castro – O líder cubano permanece vivo, mas em 2004, caiu desamparado no chão. Um sinal que o castrismo está a perder fulgor. Mas e ao contrário do que muitos falam , o maior problema de Cuba não é hoje, mas sim “amanhã” quando no futuro se decidir quem pegará no país.

  • G
    • Google – O motor de busca responsável por este anuário lançou-se na bolsa em Nova York.

  • H
    • Haiti – A revolta contra Jean Bertrand Aristide , levou o caos e a violência ao Haiti. Em Fevereiro , Aristide renunciou ao cargo e refugiou-se na África do Sul.

  • I
    • Iustchenko - O líder ucraniano, recentemente eleito numa inédita 3ª volta das eleições ucranianas, marcou a parte final do ano de 2004. Depois de ter sofrido em plena campanha um atentado por via de envenenamento que o desfigurou por completo, Iustchenko, o líder pró-europeu, irá concerteza imprimir na Ucrânia um ritmo de crescimento e desenvolvimento que distanciará cada vez mais a Ucrânia da inóspita Rússia de Vladimir Putin.

    • Iraque - O país prepara-se para as primeiras eleições livres. Depois do tormento da invasão e dos atentados que quase quotidianamente sofre, hoje existem várias perguntas que o mundo inteiro faz. Onde estão as armas de destruição massiva e viverão melhor os iraquianos hoje. Um país que marcará certamente a agenda de 2005.

  • J
    • José Mourinho – O treinador de futebol do momento no mundo. Depois da campanha gloriosa à frente do FC Porto, segue-se uma carreira notável á frente do Chelsea em Inglaterra.

  • L
    • La Madonna – O grito de La Madonna foi roubado de um museu na Noruega. A corrente do expressionismo perdeu um dos seus maiores ícones.

  • M
    • Madrid – 07.39 do dia 11 de Março. Começaram um conjunto de 11 explosões na linha suburbana de entre Alcala de Henares e Atocha. 191 pessoas e perto de 1.500 feridos no atentado mais sangrento de toda a história da Espanha. Um conjunto de sentimentos invadiu os espanhóis. Inicialmente pensou-se na ETA, e o governo de Aznar alimentou a ideia, naquele que foi o erro que deitou a perder as eleições uns dias mais tarde. No dia seguinte saberia-se que afinal tinha sido uma célula da Al-Qaeda a perpetuar o dia 11 de Março.

    • Mars Express – A sonda Mars Express detectou sinais de água em Marte.

    • Muqtada Al Sadr – Não é um homem culto e muito menos um alto líder religioso . Mas é ambicioso e com 30 anos converteu-se no símbolo da resistência iraquiana e num ídolo do povo . Filho do ayatola Mohamed Al Sadr assassinado por Saddam em 1999, Muqtada liderou dois dos episódios mais sangrentos do pós guerra iraquiano. O seu segredo dizem foi saber canalizar as frustrações da população xiita mais pobre.

  • N
    • Nassyria - Cidade Iraquiana, escolhida por ter sido a cidade mártir para um elevado número de militares italianos, representa a revolta das milícias iraquianas contra a ocupação norte-americana. Poderíamos ter escolhido, Fallujah ou Sadr- City ou outra qualquer cidade iraquiana. Quem nos dera poder ter escolhido paz.

Amanhã terminamos a nossa revista pelo mundo de 2004.

Publicado por António Duarte 10:59:00 0 comentários Links para este post  



outra vez o bloco central...

Segundo o DN, as negociações com a italiana ENI para a resolução da questão do sector energético em Portugal vão ser concluídas «até final de Janeiro», citando o ministro das Actividades Económicas, Álvaro Barreto. O ministro disse ainda que «oportunamente» dará a conhecer «as conversações tidas com a administração da ENI», com a qual se reuniu na semana passada. Seria pertinente saber a posição do PS e do Eng. Sócrates sobre tão delicada matéria, isto, assumindo, claro, que o Dr. Pina Moura o deixa falar...

Publicado por Manuel 03:11:00 0 comentários Links para este post  

Eu sei que a guerra, a crise, e o diabo a quatro, desculpam e servem de justificação para muita coisa, mas o facto de o preço do gasóleo estar cada vez mais próximo do da gasolina, aumentando mais quando há aumentos e diminuindo menos quando os preços caem, é motivado por que peculiar regra de mercado? Aguarda-se uma explicação, se não deste governo, pelo menos do João Miranda, no caso de ser apenas o peculiar mercado lusitano a funcionar...


Publicado por Manuel 23:17:00 1 comentários Links para este post  

Fundamental, o balanço do ano televisivo por Eduardo Cintra Torres.

Publicado por Manuel 21:59:00 3 comentários Links para este post  


Marcelo veta Menezes em Braga

«Não lhe conheço uma avó que seja no distrito» afirmou o Presidente da Assembleia Municipal de Celorico de Basto

A notícia acima ainda não veio publicada no Expresso.

Publicado por Manuel 20:22:00 1 comentários Links para este post  



comptas por fazer...

Quinta-Feira passada o Ministro da presidência, Morais Sarmento, garantiu, no final da reunião do Conselho de Ministros, que o relatório da Inspecção Geral das Finanças sobre os motivos que levaram ao atraso do início deste ano lectivo, dados os erros na colocação de professores, iria ser divulgado nesse dia. Mas ao final da tarde, uma nota do gabinete de comunicação social do Ministério da Educação esclarecia que o relatório "é confidencial" e não pode ainda ser tornado público. Um bocadinho de transparência não fazia mal, pois não? Ou será que não se pode atrapalhar a campanha, mas a culpa não era de injfiltrados socialistas?...

Publicado por Manuel 19:19:00 1 comentários Links para este post  


O Público de hoje integra meia dúzia de folhas de publicidade à Polícia Judiciária. Quem a pagou? O Orçamento Geral do Estado? As empresas que fazem publicidade no pasquim e são fornecedoras de serviços e equipamentos à Polícia Judiciária? Para além desses equívocos, sobressai o mau gosto da frase garrafal da primeira página, a fazer lembrar outros tempos: 60 anos ao serviço da Nação. Se a moda pega...

in Direitos

Publicado por Manuel 19:04:00 2 comentários Links para este post  



esplendor na relva

O Sr. Relvas, ex secretário de estado da administração autárquica e actual secretário geral do PSD, presenteia, hoje, os leitores do Público com um inusitado desafio ao PS. A prosa pomposamente entitulada "A Regionalização divide, a descentralização une" é um bom resumo de tudo o que está mal no debate sobre a matéria. Mal, de um lado e doutro da barricada. O Sr. Relvas desafia agora o PS, e o Eng. Sócrates, a um novo referendo sobre a regionalização, não sem antes explicitar as alegadas virtualidades das suas reformas. Sejamos claros - o modelo de regionalização defendido em tempos pelo PS é tão imbecil como as reformas do Sr. Relvas. Ambos falham no essencial que é aproximar eleitores de eleitos e dar mais transparência à gestão da coisa pública. Se no modelo de regionalização do PS, com um mapa mirabolante, se criava um layer novo - as regiões - apesar de tudo democráticamente eleito, no do Sr. Relvas temos não um mas dois layers adicionais - as CCDRS e as áreas metropolitanas/ajuntamentos de munícipios - cuja democraticidade e escrutínio público são pouco menos que nulas. É fácil perceber a atracção do Sr. Relvas pelo seu modelo, tem todas as "vantagens" da regionalização e nenhum dos inconvenientes, afinal os autarcas adoram o modelo que no fundo mais não é do que uma espécie de "(Associação de) Municípios S.A.". É provável, expectável até, que o Eng. Sócrates, ou alguém por ele, vá dá dar troco ao Sr. Relvas. É assim que se nivela o discurso por baixo. O que infelizmente já não é provável é que a menos de um anos de autárquicas alguém com aspirações políticas apareça a dizer, alto e bom som, aquilo que é óbvio - que o problema não está nem na regionalização do PS nem na cosmética administrativa do PSD, mas sim na inadequação do actual sistema administrativo às realidades actuais. Que o problema está na existência de layers a mais, mal dimensionados, e sem qualquer espécie de controlo democrático. A defender uma reforma administrativa e territorial, a sério, que acabe com o mito deste municipalismo, que já mostrou não ser a cura para todas as panaceias. A propor uma reforma do sistema político que não passe por bandeiras mirabolantes mas que passe por coisas óbvias como limitar os mandatos presidenciais a um só (7 anos por exemplo) e autárquicos/regionais e por fórmulas que permitam uma real interação entre eleitores e eleitos. Com reformas que permitam, à inglesa, e depois de redimensionados, aos meta-minícipios/regiões/àreas metropolitanas/whatever cobrar impostos directamente, sem prejuizo do príncipio da subsidariedade, de modo a que o contribuinte saiba exactamente o que paga, a quem e para quê, e constate in loco da boa ou má aplicação dos fundos. Isto é debate, e reformas, a sério, o resto é puro folclore... O circo segue dentro de momentos. O défice também.

Publicado por Manuel 17:04:00 0 comentários Links para este post  



Uma metáfora...

Bem sabemos que Portugal vive há dois anos sob a égide do défice, bem sabemos que Manuela Ferreira Leite proibiu as autarquias de se endividarem por forma a reduzir a exposição do financiamento, até Sampaio diz que há vida para além do défice, mas aquilo que nós não percebemos é a razão pela qual, e exclusivamente para o Euro-2004, uma autarquia se tenha endividado acima da parcela do custo da obra ( Estádio+acessibilidades) que lhe estava imputado.

O Municipal de Aveiro custou com acessibilidades incluídas 49.474.858 euros. A autarquia de Aveiro a propósito do Euro recorreu a um empréstimo bancário de 49.939.895 euros....

A pergunta que se impõe, os 465.037 euros de diferença foram para onde ? e para quê ?

Publicado por António Duarte 15:09:00 2 comentários Links para este post  



Boa....

... "Leitura em Progresso", a que o Paulo Gorjão está a fazer. Há para aí muitos aprendizes de feiticeiro que deviam fazer o mesmo.

Publicado por João Gonçalves 13:46:00 0 comentários Links para este post  



O ano de 2004 - O mundo de A a Z
1ª parte

Iniciamos hoje uma revista sobre o ano que passou.

A primeira parte começa na letra A de Arafat e termina na letra D de Darfur.

  • A de...

    • Arafat – A Baraka que sempre acompanhou Arafat durante a sua vida, esgotou-se aos 75 anos. O temperamental presidente da alta autoridade palestiniana, resistiu a guerras, atentados, ao assédio israelita , mas sucumbiu a uma misteriosa doença num hospital de Paris, depois de 13 dias de indefinição sobre o seu estado de saúde. Morre sem ver concretizado dois sonhos : A instauração de um estado palestiniano e ser enterrado na Esplanada das Mesquitas. Enterrado com terra proveniente de Jerusalém, Arafat morre e tal como na vida, divide as opiniões.

    • Abu-Ghraib – Estabelecimento prisional do regime de Saddam, foi palco depois da queda do regime das maiores atrocidades cometidas por militares norte-americanos, contra prisioneiros de guerra. Ainda que um comandante norte-americano tenha afirmado desconhecer a convenção de genebra, a verdade é que Abu- Ghraib, fica na história de 2004.

    • Alargamento – No dia 1 de Maio nascia a Europa a 25. O maior alargamento de sempre da União Europeia, virada agora para leste, deixando no entanto de fora a Turquia. Mais 75 milhões de pessoas e mais problemas para Portugal. Com a negociação dos fundos comunitários a iniciar-se em 2005, para o próximo quadro comunitário de apoio, 8 países apresentam-se mais pobres que Portugal e serão certamente mais beneficiados em detrimento daqueles que não aproveitaram 18 anos de fundos comunitários.

    • Almudena – A catedral de Almudena converteu a apresentadora Letizia Ortiz na princesa das Astúrias. A sobriedade e a tristeza assim como uma intensa chuva marcou a cerimónia, o príncipe mais desejado de toda a monarquia europeia, casou-se com uma mulher comum e mortal como todas as que não tem sangue azul nas veias. Felipe diferente até na hora de escolher a sua companheira.

  • B de...

    • Beslan – Cidade com perto de 40.000 habitantes, na região da Ossétia do Norte, conheceu em Setembro o significado cruel da palavra terrorismo. Os rebeldes tchetchenos cercaram uma escola na abertura do ano lectivo, e a precipitação e falta de preparação das tropas russas fez o resto. Perto de 400 crianças perderam a vida.

    • Brando – O melhor actor de todos os tempos morreu em 2004. E por muito que pudesse escrever sobre Brando, há um frase que o imortaliza, o mito esse nunca morre.

    • Bush – O Presidente norte-americano foi reeleito e desta vez até teve mais votos. Contra algumas sondagens que davam Kerry como presidente, Bush ganhou as eleições porque democraticamente os americanos assim o quiserem. Bush foi julgado nas urnas pelo 11-S, pela guerra do Iraque e pelos caixões que não teimam em deixar de chegar ao país. O povo soberano escolheu Bush. O mundo talvez tivesse outro candidato.


  • C de...

    • Clonagem – No dia 12 de Fevereiro, surgiram as primeiras notícias relativas à obtenção de células mãe a partir de embriões humanos clonados.

    • Concorrência – Enquanto em Portugal, os monopólios como a PT fazem o que querem, como querem e quando querem, em Espanha a Telefónica foi multada em 53 milhões de Euros por impedir os operadores privados de terem acesso ao pré-fixo de marcação telefónica.


  • D de...

    • Darfur - O olhar da comunidade internacional que habitualmente se prende nas crises africanas dirigiu-se nos finais de Março para o Sudão. Depois de décadas de confrontos entre o norte (muçulmanos) e o sul (católicos), a precária paz que se vivia começou a agonizar em Darfur. Esta região afectada pela fome e pelo ataque de milícias governamentais sofre a maior crise humanitária com cerca de 100.000 mortos e 200.000 refugiados. O Olhar do Mundo em Darfur.


Amanha de E de Euro até N de Nassíria

Publicado por António Duarte 13:08:00 0 comentários Links para este post  



Thai astrologer Phinyo Phongchareon shows an audience a chart predicting Thailand's political outlook during a seminar on the country's astrology under the new government at Thammasat university in Bangkok, Thailand. Phinyo forecasting Thailand's fortunes in 2005 said it will be the year of the 'fighting cock', one with a weaker, less stable government, of stepped up use of force to quell the growing threat of Islamic militancy in southern Thailand, and the country could lose 'two prominent leaders', political or spiritual, in October. (AP Photo/Apichart Weerawong)

P.S. Por cá também temos disto. Basta ler hoje no DN Luis Delgado, aquele que dizia que havia 99% de probabilidades do dr. Portas e o dr. Lopes irem coligados às legislativas...

Publicado por Manuel 00:31:00 0 comentários Links para este post  

Magnitude 9.0



Publicado por Manuel 21:28:00 0 comentários Links para este post  



músicas

Ao que parece, o PSD adoptou como banda sonora da sua campanha a música que acompanha o filme Alexandre, o Grande. Já o PS preferiu a do Gladiador. A única explicação para a escolha do PSD só pode ser uma - de tão ocupados, ninguém viu o filme, ou então só ligaram ao nome da Angelina Jolie na ficha técnica. Escusado será dizer que enquanto o Gladiador limpou vários óscares, o Alexandre não passa de um flop, de bilheteira e não só (onde só se safam mesmo Angelina Jolie e Anthony Hopkins). Escolhas.

Publicado por Manuel 19:14:00 1 comentários Links para este post  



Uma leve Brisa...

A nossa Brisa, tem vindo sucessivamente a perder qualidades e o respeito pelo utilizador. Depois das pedras e dos lençois de óleo que surgem na estrada, depois da vaca que corria auto-estrada fora na A2 na zona da Marateca, a Brisa insiste que quando existem obras, o facto de as mesmas se encontrarem sinalizadas antecipadamente - algo que nem sempre é verdade - , é motivo mais que válido para que se continue a pagar portagem.

Quem nestes dias utiliza e nos próximos tempos utiliza a A1, já reparou que na zona de Santarém se encontra montado um verdadeiro estaleiro para que se possa proceder ao alargamento para 3 vias. Uma obra necessária e apenas mais cara porque os engenheiros que projectaram a obra inicial, esqueceram-se que um dia, o fluxo de tráfego seria maior, e como tal construiram os pilares dos viadutos junto á auto-estrada...uma questão de visão.
Mas, dizia eu, a Brisa insiste em cobrar portagem num troço, em obras, mesmo que para tal tenha que limitar a velocidade para 100 kms/hora.

Em última análise, ao optarem pelo conforto, comodidade e pela qualidade que as auto-estradas oferece


Ora uma auto-estrada em obras não oferece qualquer comodidade nem conforto...

Finalmente a anedota nacional ou se preferirem o roubo nacional...

Um cliente que entre na Ponte Vasco da Gama com destino ao Algarve, num veículo classe 1, paga 16,35 €. Se porventura o utilizador e por azar o cliente perder o título de portagem, e mesmo que na portagem de Paderne, diga que vem da Ponte Vasco Gama - o trajecto mais comprido possível de efectuar na A2 - é contemplado com o pagamento de € 47,00....

Sobre isto o site da Brisa nem uma palavra....

Publicado por António Duarte 18:39:00 3 comentários Links para este post  

1. Confesso perplexidade atrás de perplexidade com as confusões em torno da Caixa Geral de Depósitos. Parece que Vitor Martins não terá gostado do expediente usado pelo Dr. Bagão para embelezar o défice e, conjuntamente com a restante administração, se demitiu. Já foi, ao que parece, reconduzido (!) duas vezes em 48 horas, na própria quinta feira e ontem, dia de Natal pelo actual Governo. Continua-e sem se saber se fica ou sai. A CGD é só e apenas o maior grupo bancário indigena e é o garante da estabilidade do nosso sistema financeiro. No meio disto tudo há algo de verdadeiramente estranho - a Dr.a Celeste Cardona, essa mesma, pôs realmente o lugar à disposição em solidariedade com Vitor Martins ? Ela ?! Por causa do défice e do fundo de pensões ?... Aguardam-se cenas dos próximos episódios.

2. O Dr. Lopes, primeiro-ministro em exercício, fez a habitual comunicação natalícia ao país. Por uma vez podia passar uma imagem sóbria, de estadista, honrar o cargo mas não, não foi desta. [ver mais aqui]

3.
Parece que o Dr. Menezes, aquele que não ia ser mas depois voltou a ser recandidato à Câmara Municipal de Gaia, vai ser cabeça de lista do PSD às próximas legislativas por Braga depois de se ter falado em Aveiro. Escolha pessoal do Dr. Lopes. Reconheça-se que o líder interino do PSD faz tudo o que pode para descredibilizar o actual sistema político.

4
. O dr. Portas privatizou as OGMA por tuta e meia. Passe toda a prosápia do Dr. Portas é um negócio no minimo curioso. O Estado, vendedor, assume o passivo e vende as OGMA por uma verba que nem cobre 10% deste. O mais espantoso é que a horas do negócio ser fechado o que se pensava é que o passivo seria assumido pelo comprador. Por aqui aguardamos que o Ministério da Defesa torne pública toda a documentação relevante, afinal não haverá nada a esconder.

Publicado por Manuel 17:20:00 0 comentários Links para este post  



o pio do apito


CORRESPONDÊNCIA DO BRASIL. Resumo da história: uma semana antes da segunda volta das eleições municipais, o publicitário Duda Mendonça (conselheiro particular de Lula; responsável pela campanha, marketing e crê-se que ideologia do PT; responsável pela campanha de Marta Suplicy em São Paulo; proprietário da agência de publicidade que canaliza mais contratos vindos do governo, de Brasília ou de empresas estatais) foi preso num recinto de brigas de galos (rinha de galos, aqui), ilegais no Brasil. Telefonou a Lula e ao ministro da Justiça, mas ninguém pôde fazer nada – as lutas de galo são ilegais e ele estava lá. Marta Suplicy, entretanto, perdeu. O PT, pelo meio, não ficou bem visto. Um mês e meio depois, a notícia continua: dois dos polícias (Polícia Federal) que participaram na detenção de Duda Mendonça (e de mais um dirigente do PT, que também estava lá), foram afastados do Rio de Janeiro para um município do interior. Quanto ao responsável da delegacia que coordenou a actuação policial, foi agora demitido de funções sem explicação. «Permanece na delegacia», diz a Polícia Federal; mas foi demitido um mês e meio depois.

in Aviz
Do Brasil não vêm só os marketeiros do PSD. Vem muito mais. O aviso, premonitório?, é do Francisco José Viegas e fica aí, para memória futura.

Publicado por Manuel 14:00:00 0 comentários Links para este post  

A 2: está a passar "Do Céu caiu uma estrela", simplesmente um dos melhores filmes de todos os tempos. Serviço Público.

Publicado por Manuel 23:02:00 0 comentários Links para este post  



Pewit gulls are hand-fed by a visitor at Ueno Zoo in Tokyo on Christmas day, December 25, 2004. REUTERS/Toshiyuki Aizawa

Publicado por Manuel 16:10:00 0 comentários Links para este post  



O dia de fazer de conta

O feriado do Natal é um dia estranho. O movimento das ruas reduz-se ao indispensável. Os jornais não saem e as notícias dão lugar às missas. As criancinhas, para quem as tem, passam o dia a mostrar a todos os adultos da família os brinquedos da véspera. Come-se normalmente de forma alarve garantindo a não existência de "tempos mortos". Só o cinema e algum teatro são a excepção a esta incomodativa modorra. Faz-se, finalmente, um breve intervalo na "soap opera" da vida pública portuguesa. O ano, a dias de acabar, não teve nada de "espírito de Natal". Culmina, aliás, com a revisitação da velha "teoria da facada nas costas" retomada pelo mártir número um da já praticamente velha maioria. Para um ano absolutamente medíocre, eis um dia à sua altura. No quentinho das nossas casas ou de visita às casas dos outros, asseguremo-nos que nada se passa à nossa volta e façamos apenas de conta. Não foi isso que andámos afinal a fazer o ano todo?

Publicado por João Gonçalves 11:01:00 7 comentários Links para este post  


Dia de Natal

Hoje é dia de ser bom.

É dia de passar a mão pelo rosto das crianças, de falar e de ouvir com mavioso tom, de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros. coitadinhos. nos que padecem, de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria, de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem, de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.

É só abrir o rádio e logo um coro de anjos, como se de anjos fosse, numa toada doce, de violas e banjos,

Entoa gravemente um hino ao Criador. E mal se extinguem os clamores plangentes, a voz do locutor anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu e as vozes crescem num fervor patético.

(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu? Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.

Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.

Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates, com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica, cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates, as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito, ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.

É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito, como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.

Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.

E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento e compra. louvado seja o Senhor!. o que nunca tinha pensado comprado.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.

Naquela véspera santa a sua comoção é tanta, tanta, tanta, que nem dorme serena.

Cada menino abre um olhinho na noite incerta para ver se a aurora já está desperta.

De manhãzinha, salta da cama, corre à cozinha mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza da matutina luz aguarda-o a surpresa do Menino Jesus.

Jesus o doce Jesus, o mesmo que nasceu na manjedoura, veio pôr no sapatinho do Pedrinho uma metralhadora.

Que alegria reinou naquela casa em todo o santo dia!

O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas, fuzilava tudo com devastadoras rajadas e obrigava as criadas a caírem no chão como se fossem mortas:

Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!

E fazia-as erguer para de novo matá-las.

E até mesmo a mamã e o sisudo papá fingiam que caíam crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal, Dia de Amor, de Paz, de Felicidade, de Sonhos e Venturas.

É dia de Natal.

Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade. Glória a Deus nas Alturas.

Poema de Natal, António Gedeão



Publicado por Manuel 03:24:00 0 comentários Links para este post  

Vimos, por este meio, agradecer a todos aqueles que, com a sua assiduidade, as suas críticas, indignações e apoio, assim como com as suas sugestões, têm permitido o sucesso continuado desta Grande Loja, e desejar-lhes um Santo e Feliz Natal, extensivo às respectivas famílias.

Publicado por Manuel 03:12:00 8 comentários Links para este post  



Humor Nobre



Cerca de 24 horas depois do início dos rumores, depois de várias manchetes e capas não desmentidas, o ministro do Ambiente, Luís Nobre Guedes, negou afinal hoje que alguma vez tenha ponderado a sua demissão do Governo, reafirmando que mantém a proposta de solução de tratamento mecânico e biológico dos resíduos sólidos urbanos da região Centro, em detrimento da construção de uma incineradora. Está tudo aqui. Estou para ver se por aqui alguém gasta uma letra que seja a tentar explicar mais este equívoco...

Publicado por Manuel 22:31:00 1 comentários Links para este post  


DEPRIMENTE: Clara Ferreira Alves ao Independente hoje: "Ando há anos a educar este povo". Não sei o que será pior: pessoas como esta estarem de facto convictas do que dizem ou o que dizem ser de facto verdade.

in Mar Salgado

Publicado por Manuel 20:17:00 1 comentários Links para este post  

Um destes dias, queixava-me amarguradamente de ter falhado este curso de pós-graduação. Uma alma amiga explicou-me que tal não fazia de mim nem um inculto, nem um selvagem, antes um rústico. Gostei da expressão, que seja um rústico, pois.

Publicado por Manuel 18:34:00 Links para este post  



dúvida...

Souto Moura, Procurador Geral da República, vai demitir, já com bastante atraso, Francisca Van Dunnen, "Coordenadora" do DIAP de Lisboa, ou vai esperar que ela se demita, como esta já confidenciou aos próximos, com estrondo, ajudada no marketing pelo lobby "B" ? Nestas coisas o timing é tudo, e a Chica leva bastante vantagem...

Publicado por Manuel 16:03:00 5 comentários Links para este post  



o ridículo ainda (não) mata...


PSD tem acordo pré-eleitoral com PPM e Partido da Terra

O PSD segue para as legislativas com um acordo pré-eleitoral com o Partido Popular Monárquico (PPM) e com o Movimento Partido da Terra (MPT), avança esta quinta-feira a RTP.

O anúncio deverá ser feito esta noite, por Pedro Santana Lopes, num jantar que reunirá os três partidos.

Na sequência deste acordo, cada um dos partidos (PPM e MPT) terá direito a dois deputados na próxima Assembleia da República.

segundo o Portugal Diário

Patético.

Publicado por Manuel 13:53:00 1 comentários Links para este post  

a anormal normalidade dos anormais

Às tantas, a meio do jogo Guimarães-Sporting (2-4 para a posteridade), a “aguerrida” “massa associativa” do Vitória insurgiu-se contra sabe-se lá o quê e desatou a arrancar cadeiras e a arremessá-las para dentro do “terreno de jogo”. Juntamente com as cadeiras, choveram isqueiros, moedas, porta-chaves e corta unhas, ao mesmo tempo que se ouvia um massivo bombardeamento de “impropérios”. No intervalo, “à saída para as cabines”, o árbitro teve que ser escoltado pela polícia de choque de escudos erguidos. Os “árbitros assistentes” também.
No fim do jogo, por alturas da “Flash-Interview”, o treinador da “equipa vimaranense”, ao ser confrontado com o comportamento da “sua massa adepta”, e questionado sobre se esperava “represálias por parte dos órgãos competentes da Liga”, afirmou, “serenamente”, que não - que nada de anormal se havia passado; que nada contrário ao que está estipulado “no regulamentos” se tinha verificado. Perante tal resposta, o jornalista, pois está claro, abandonou o assunto.

agora que isto está a acabar

Há que reconhecer que nem tudo foi em vão. Por exemplo, algumas expressões de uso meramente local foram adoptadas em pleno pelo léxico nacional. Estou a lembrar-me de santanice: um misto de sacanice com trapalhada. Ou de sacanagem com trapalhice.

Eduardo Nogueira Pinto

Publicado por Manuel 09:53:00 6 comentários Links para este post  



salon.com
"Eyes wide shut"



The world looked away when evil swept through Rwanda. Ten years later, a movie demands that we finally open our eyes.

Ler aqui.

Publicado por Manuel 01:34:00 1 comentários Links para este post  



alta mercearia...
...or an italian job

A Lusa avança que Joaquim Pina Moura, ex-ministro e actual Presidente da Iberdrola Portugal, vai ser nomeado membro do Conselho de Administração da EDP. Podia ser apenas um caso avulso, mais uma pirueta deste governo mas não é. more later

Publicado por Manuel 23:27:00 0 comentários Links para este post  



pequenos crimes entre amigos (act.)

É das regras: matematicamente, a única maneira de não se perder num casino é apostar sempre na jogada seguinte o dobro do que se apostou anteriormente (pressupondo fundos ilimitados...). Hoje à tarde, escrevia que o Dr. Portas tinha um problema no Dr. Bagão. Ora o Dr. Portas e o seu gurú, o Dr. Guedes, podem não perceber de números, mas sabem uma coisa ou outra de teoria de jogos. Agora à noitinha, ficámos a saber que o Dr. Nobre Guedes se picou com o Dr. Lopes. Demasiados voluntários para anunciar coisas a menos. O Dr. Lopes pôs-se a jeito, como habitualmente. O Dr. Guedes, e o PP, têm assim uma oportunidade soberana de fazer um hat-trick: fazem esquecer as trapalhadas do Dr. Bagão, humilham, e põem no sítio, o Dr. Lopes e o PSD, e marcam pontos numa área sensível e muito cara ao Eng. Sócrates - o Ambiente. Perverso, mas genialmente eficaz. [Ler mais aqui.]

P.S. a resposta à questão levantada por nós ontem sobre o Sr. Miguel Almeida, parece estar afinal no DN aqui... Nos entretantos, o Dr. Lopes rachou. Quem pode, pode.
P.S. 2. A Não perder os comentários, onde um expert em finanças públicas disserta sobre matemática orçamental...


Publicado por Manuel 21:20:00 12 comentários Links para este post  

Há factos menores que por ser Natal se calhar passam mais despercebidos. No mesmo dia em que se fica a saber que este Governo estourou 200.000 €uros com o já célebre encarte publicitário de propaganda ao Orçamento, ficamos a saber que esse mesmo Governo doou 20.000 €uros para a integração dos ciganos. Prioridades.

Publicado por Manuel 18:39:00 1 comentários Links para este post  

Marco António, o inenarrável Presidente da Distrital do Porto do PSD, que vai viver mais quatro aninhos à pala dos contribuintes, é citado pelo Público a afirmar...


Vamos procurar nomes que nunca envergonhem o Porto, mas vamos fazê-lo em todos os actos eleitorais. Até nas autárquicas. E há concelhos onde as listas vão ser aprovadas na distrital nome a nome. E não haverá nessas listas quem dá entrevistas que envergonham o partido e insultam os militantes com responsabilidades institucionais e políticas na vida autárquica.

Em suma, esta ameaça velada é um insulto às tradições do Partido Social Democrata, um insulto à liberdade de expressão e à democraticidade interna, além de mais um sinal de desespero de quem foi secretário de estado efectivo (ainda está por saber com que habilitações) por uns míseros quatro dias...

Publicado por Manuel 16:17:00 0 comentários Links para este post  

As coisas são o que são mas, por estes dias, Paulo Portas deve estar mesmo arrependido de ter tido a peregrina ideia de vender Bagão Félix ao Dr. Lopes como Ministro das Finanças... A brincar, a brincar, o Dr. Bagão, que tem revelado uma incontinência verbal notável, está-lhe a estragar todas as premissas em que ele se baseava quando decidiu correr sozinho.

Publicado por Manuel 14:54:00 0 comentários Links para este post  

João Miranda, um blasfemo, afirmou que ...


É uma má ideia usar o voto para punir a performance passada. Os eleitores devem decidir com base em conjecturas acerca da performance futura de cada candidato. O passado já passou.

Confesso que ainda não percebi se estava a falar a sério ou a gozar. Particularmente porque o mesmíssimo raciocínio pode ser usado para justificar a passagem administratativa dos estudantes.

Publicado por Manuel 13:55:00 3 comentários Links para este post  



Natal ou a derrota do pensamento

Mandam os costumes que se ofereçam coisas nesta época. A maldita tradição judaico-cristã que nos cruxifica diariamente, exige a mais radical hipocrisia. Eu, por norma, não ofereço nada ou muito pouco. Gosto, no entanto, de sugerir leituras. As que mais gosto, naturalmente. O excerto que coloco aqui de seguida pertence a um livro a que regresso amiúde. Não está "na moda" nem acabou de ser lançado. Tem o oportuno título de A Derrota do Pensamento e o seu autor é o filósofo francês Alain Finkielkraut (Dom Quixote, 1988). Serve para reflectir enquanto se deambula pelos corredores anónimos dos centros comerciais ou pelas ruas com luzinhas irritantes a tremeluzir por todo o lado. Passaram os anos porém a "mensagem", incómoda mas verdadeira, permanece.


Com a condição de trazer a assinatura de um grande estilista, um par de botas vale o mesmo que Shakespeare. E tudo em conformidade: uma banda desenhada que combima uma intriga palpitante com belas imagens vale o mesmo que um romance de Nabokov; o que as lolitas lêem vale o mesmo que a Lolita; um slogan publicitário eficaz vale o mesmo que um poema de Apollinaire ou de Francis Ponge; um ritmo de rock vale o mesmo que uma melodia de Duke Ellington; um bom jogo de futebol vale o mesmo que um bailado de Pina Bausch; um grande costureiro vale o mesmo que Manet, Picasso, Miguel Ângelo; a ópera de hoje - "a da vida, do clip, do jingle, do spot" - vale à vontade o mesmo que Verdi ou Wagner. O futebolista e o coreógrafo, o pintor e o costureiro, o escritor e o visualizador, o músico e o rocker são, com o mesmo direito, criadores. É preciso acabar com o preconceito escolar que reserva esta qualidade a alguns, e que mergulha os outros na subcultura. Ao desejo de humilhar Shakespeare, opôe-se assim o enobrecimento do estilista de calçado. Já não é a grande cultura que é dessacralizada, implacavelmente reconduzida ao nível dos gestos quotidianos realizados na sombra pelo comum dos homens - são o desporto, a moda, o ócio que forçam as portas da grande cultura. A absorção vingativa ou masoquista do culto ( a vida do espírito) no cultural (a existência costumeira) é substituída por uma espécie de alegre confusão que eleva a totalidade das práticas culturais à posição de grandes criações da humanidade.

Pensem nisto. "Have yourself a merry little christmas".

Publicado por João Gonçalves 13:32:00 2 comentários Links para este post  



Atirar a primeira pedra III

Muito interessante a desmontagem do tutano do encarte sobre o Orçamento feito pelo Pura Economia.

Como eu dizia, o governo correu novamente o risco do ridículo e obtem assim o resultado "com mérito e distinção".

Publicado por Rui MCB 13:31:00 2 comentários Links para este post  



Atirar a primeira pedra II

Como complemento ao texto anterior este outro do Estados da Nação.

Publicado por Rui MCB 13:15:00 0 comentários Links para este post  



Atirar a primeira pedra

Sim, talvez eu me possa indignar um bocadinho com a revista do orçamento que o governo pagou para sair hoje com alguns jornais. E a indignação virá muito mais da conjuntura política actual - a dois meses de eleições, com o governo em gestão, ter esta originalidade - do que do facto em si de se promover o orçamento na imprensa escrita.

Imagino que um governo possa recorrer aos media para sintetizar a lei do orçamento, nada de muito chocante desde que os custos da operação sejam conhecidos e o conteúdo não se fique pelo folheto propagandístico. Ainda assim preferia um maior investimento na melhoria da acessibilidade dos cidadãos a meios que lhes permitissem o acesso directo à lei.

O que me interessaria perguntar era se a dita revista trará valor acrescentado face ao que os jornais já decifraram? É um risco que o governo corre: fazer papel ridículo e apresentar mais uma prova de desperdício das parcas verbas públicas.

Não sei é se o PS que conta com Edite Estrela entre os seus executivos de topo terá os telhados bem protegidos para vir falar de cátedra.

Mas quem é que ainda se lembra do que se passou em Sintra nas últimas eleições autárquicas com uma célebre revista da Câmara Municipal onde figuravam imagens de campanha da então presidente (ver aqui e aqui)? Até houve sub-sequente condenação em tribunal...

É por estas e por outras que há muito tempo por aqui defendo que há matérias e percursos políticos que devem, no mínimo, ser sujeitos a quarentena sob pena de se transformarem em exemplos que destroem a tão preciosa integridade de quem quer ser crítico e apresentar-se como alternativa. Por isso não me venham agora acusar de deslealdade orgânica ou coisa que o valha, a mim também.

Fazer este sublinhado é fundamental para manter a minha integridade e um mínimo de coerência. Algo que eu gostaria ver ser tentado com mais afinco pelos nossos políticos.

Publicado por Rui MCB 11:51:00 3 comentários Links para este post  


Sobre o encarte de hoje

Não foi Jorge Sampaio, não foi Henrique Chaves, não foi o orçamento, não foi a falta de coordenação política, nem sequer o défice de credibilidade. O governo caiu porque acreditava genuinamente que o “povo” é parvo. Porque se julgavam muito melhores, porque se julgavam mais "espertos" que os outros. Constato hoje que insistem no mesmo erro.

[Rodrigo Moita de Deus]

PS: Temo que no dia 20 de Fevereiro, quando tiverem que arrumar os caixotes, continuem sem perceber esta explicação tão simples.

in Acidental

Publicado por Manuel 10:23:00 0 comentários Links para este post  

Ouço o senhor Edir Macedo, perdão o Dr. Bagão, no Jornal Nacional da TVI. Um chorrilho de lugares comuns a fazer lembrar o discurso de um pregador da Igreja Universal do Reino de Deus. Isso, e muita hipocrisia, amnésia e defaçatez. Agora a culpa é de Manuela Ferreira Leite, que cativo verbas em 2003 de 2004. O Dr. Bagão, o beato, declarou-se surpreendido com a prática como se não tivesse feito o mesmo enquanto Ministro da Segurança Social já para 2005... Detalhes. O circo segue dentro de momentos .

Publicado por Manuel 20:15:00 2 comentários Links para este post  



Juanita, a three-month mutt, dressed as Santa Claus is carried along a street in Porto, in northern Portugal, during a Santa Claus march, Sunday, Dec. 19, 2004. More then five thousand people dressed as Father Christmas marched in the second Portuguese city. (AP Photo/Paulo Duarte)

Publicado por Manuel 19:03:00 1 comentários Links para este post  



A conjuntura - pelo INE

A informação económica sobre os principais parceiros comerciais de Portugal aponta para a manutenção do perfil de abrandamento do crescimento económico. No plano interno, o indicador de clima económico estabilizou em Novembro, após três meses de abrandamento contínuo, e o indicador de actividade, com informação até Outubro, permaneceu em desaceleração, o que se observa desde Junho passado.

A informação quantitativa disponível revela um arrefecimento generalizado aos principais sectores de actividade. Ainda assim, o consumo privado apresentou alguma aceleração, que não aparece reflectida na confiança dos consumidores e dos empresários do comércio a retalho.

O indicador sobre o investimento estabilizou em Novembro, depois de ter apresentado evoluções menos desfavoráveis nos três meses anteriores. Os dados sobre o comércio externo, com informação até Setembro, revelam novos abrandamentos em ambos os fluxos, mantendo as importações um ritmo de crescimento superior ao das exportações. No mercado de trabalho, o indicador de emprego apresentou uma evolução ligeiramente menos desfavorável em Outubro, mas as expectativas dos agentes económicos agravaram-se mais uma vez em Novembro.

A inflação acelerou 0,4 pontos percentuais, por via de movimentos no mesmo sentido tanto na componente de bens como na de serviços, atingindo uma taxa de 2,5%.


in INE - Síntese Económica de Conjuntura

Publicado por Rui MCB 17:37:00 0 comentários Links para este post  



O dr. Lopes e o Dr. Bagão desconversaram numa comunicação ao país. Não é isso que me interessa agora. O que eu quero saber, e o Público pode plagiar-me à vontade se quiser, é o que estava a fazer no local dessa conferência de imprensa, em posição de destaque, um senhor chamado Miguel Almeida. Para quem não se lembra o boy foi chefe de gabinete do Dr. Lopes na CML, esteve para ser seu chefe de gabinete neste Governo, mas foi resguardado para Presidente do Conselho de Administração da EGF, uma empresa do Grupo Águas de Portugal, com salário e regalias a condizer. Certamente que o dito cujo não esteve na comunicação ao país na qualidade de Presidente do Conselho de Administração da EGF, e custa a acreditar que tenha estado na qualidade extra de assessor político do Dr. Lopes até porque tal parece formalmente incompatível com o outro tachito. Convinha investigar...

Publicado por Manuel 14:30:00 1 comentários Links para este post  


As Notícias que Nunca Saem na Primeira Página
(nem na última...)



Mohammed al-Durra é nome de poema e é também o nome do rapaz da foto. Vezes sem conta, as televisões mostraram-nos as imagens do rapaz aterrorizado e assassinado pelos impiedosos israelitas num dia de Setembro do ano 2000. Mohammed al-Durra foi capa de todos os jornais, assunto de todas as conversas e transformou-se num mártir e símbolo da nova Intifada palestiniana.

Talal Abu Rahma, o cameraman que captou os dramáticos momentos da morte da criança, acumulou prémios, entre eles o de "Best Cameraman of the Year", o "Prémio da Comunicação Cultural Norte-Sul", o Rory Peck Award e a Medalha de Bravura da Associação de Jornalistas Palestinianos.

Mais tarde, quase ninguém viu um documentário de uma cadeia de televisão alemã que demonstrou que o rapaz não podia ter sido morto pelas balas de Israel. Eu vi. Foi na SIC-Notícias, uma noite qualquer em 2002 ou 2003. A verdade inconveniente porque politicamente incorrecta é que o mártir palestiniano não teria sido morto por balas de Israel mas por balas palestinianas. Outros testemunhos apontavam no mesmo sentido. A notícia teve pouco impacto para lá das fronteiras de Israel. Encontrar notícia pró-Israel na Europa é como ver bom futebol no Estádio da Luz: só se vier de fora.

Levantaram-se então dúvidas sobre o cameraman. Do local onde ele se encontrava deveria ter sido capaz de perceber que os tiros que mataram Durra não poderiam ter sido disparados pelos soldados de Israel. No entanto, o laureado Talal até assinou um testemunho sobre o assunto.

O que se passou afinal? Um jornalista do Wall Street Journal garante que estamos em presença de uma falsificação: "it was nothing but a hoax". E conta-nos a história da manipulação, que teve total cobertura da cadeia de televisão France 2.

Talal Abu Rahma já se retratou e desmentiu o seu próprio testemunho e já passaram 20 dias sobre o assunto. E por cá? Nada nos nossos jornais... Afinal, o que é que interessa a verdade se a verdade contraria as nossas convicções?

no jaquinzinhos

Publicado por Manuel 12:02:00 1 comentários Links para este post