Vai dar tudo ao mesmo

O governo iniciou um combate sem tréguas ao desemprego. O primeiro passo foi a criação de centros de emprego móveis. Se o choque tecnológico não impulsionar os portugueses a comprar hardware e software, ao menos que os ponha a vender tupperware de porta em porta.
.

Publicado por Nino 18:37:00 0 comentários Links para este post  



O país a quem parece que aconteceu sei bem o quê

A floresta autóctone portuguesa foi alienada a favor dos interesses das celuloses, trocada nas últimas décadas por inenarráveis, semiscarúnfios eucaliptais que favoreceram o desgaste e a erosão dos solos. Uma vez que não possuíamos papel, havia de produzi-lo a todo o vapor. No presente mês de Abril, outrora de águas mil, os dirigentes carpem os 80 por cento do território em seca severa. Resta-lhes o consolo de, em vez de enxugarem as lágrimas numa toalha inglesa, poderem recorrer a um lenço de papel de fabrico nacional.
.

Publicado por Nino 15:28:00 0 comentários Links para este post  



Biotecnologia, a última fronteira...

Genetic Mingling Mixes Human, Animal Cells

By PAUL ELIAS, AP Biotechnology Writer
Fri Apr 29, 8:44 PM ET

On a farm about six miles outside this gambling town, Jason Chamberlain looks over a flock of about 50 smelly sheep, many of them possessing partially human livers, hearts, brains and other organs.

The University of Nevada-Reno researcher talks matter-of-factly about his plans to euthanize one of the pregnant sheep in a nearby lab. He can't wait to examine the effects of the human cells he had injected into the fetus' brain about two months ago.

"It's mice on a large scale," Chamberlain says with a shrug.

As strange as his work may sound, it falls firmly within the new ethics guidelines the influential National Academies issued this past week for stem cell research.

In fact, the Academies' report endorses research that co-mingles human and animal tissue as vital to ensuring that experimental drugs and new tissue replacement therapies are safe for people.

Doctors have transplanted pig valves into human hearts for years, and scientists have injected human cells into lab animals for even longer.

But the biological co-mingling of animal and human is now evolving into even more exotic and unsettling mixes of species, evoking the Greek myth of the monstrous chimera, which was part lion, part goat and part serpent.

In the past two years, scientists have created pigs with human blood, fused rabbit eggs with human DNA and injected human stem cells to make paralyzed mice walk.

Particularly worrisome to some scientists are the nightmare scenarios that could arise from the mixing of brain cells: What if a human mind somehow got trapped inside a sheep's head?

The "idea that human neuronal cells might participate in 'higher order' brain functions in a nonhuman animal, however unlikely that may be, raises concerns that need to be considered, " the academies report warned.

In January, an informal ethics committee at Stanford University endorsed a proposal to create mice with brains nearly completely made of human brain cells. Stem cell scientist Irving Weissman said his experiment could provide unparalleled insight into how the human brain develops and how degenerative brain diseases like Parkinson's progress.

Stanford law professor Hank Greely, who chaired the ethics committee, said the board was satisfied that the size and shape of the mouse brain would prevent the human cells from creating any traits of humanity. Just in case, Greely said, the committee recommended closely monitoring the mice's behavior and immediately killing any that display human-like behavior.

The Academies' report recommends that each institution involved in stem cell research create a formal, standing committee to specifically oversee the work, including experiments that mix human and animal cells.

Weissman, who has already created mice with 1 percent human brain cells, said he has no immediate plans to make mostly human mouse brains, but wanted to get ethical clearance in any case. A formal Stanford committee that oversees research at the university would also need to authorize the experiment.

Few human-animal hybrids are as advanced as the sheep created by another stem cell scientist, Esmail Zanjani, and his team at the University of Nevada-Reno. They want to one day turn sheep into living factories for human organs and tissues and along the way create cutting-edge lab animals to more effectively test experimental drugs.

Zanjani is most optimistic about the sheep that grow partially human livers after human stem cells are injected into them while they are still in the womb . Most of the adult sheep in his experiment contain about 10 percent human liver cells, though a few have as much as 40 percent, Zanjani said.

Because the human liver regenerates, the research raises the possibility of transplanting partial organs into people whose livers are failing.

Zanjani must first ensure no animal diseases would be passed on to patients. He also must find an efficient way to completely separate the human and sheep cells, a tough task because the human cells aren't clumped together but are rather spread throughout the sheep's liver.

Zanjani and other stem cell scientists defend their research and insist they aren't creating monsters — or anything remotely human.

"We haven't seen them act as anything but sheep," Zanjani said.

Zanjani's goals are many years from being realized.

He's also had trouble raising funds, and the U.S. Department of Agriculture is investigating the university over allegations made by another researcher that the school mishandled its research sheep. Zanjani declined to comment on that matter, and university officials have stood by their practices.

Allegations about the proper treatment of lab animals may take on strange new meanings as scientists work their way up the evolutionary chart. First, human stem cells were injected into bacteria, then mice and now sheep. Such research blurs biological divisions between species that couldn't until now be breached.

Drawing ethical boundaries that no research appears to have crossed yet, the Academies recommend a prohibition on mixing human stem cells with embryos from monkeys and other primates. But even that policy recommendation isn't tough enough for some researchers.

"The boundary is going to push further into larger animals," New York Medical College professor Stuart Newman said. "That's just asking for trouble."

Newman and anti-biotechnology activist Jeremy Rifkin have been tracking this issue for the last decade and were behind a rather creative assault on both interspecies mixing and the government's policy of patenting individual human genes and other living matter.

Years ago, the two applied for a patent for what they called a "humanzee," a hypothetical — but very possible — creation that was half human and chimp.

The U.S. Patent and Trademark Office finally denied their application this year, ruling that the proposed invention was too human: Constitutional prohibitions against slavery prevents the patenting of people.

Newman and Rifkin were delighted, since they never intended to create the creature and instead wanted to use their application to protest what they see as science and commerce turning people into commodities.

And that's a point, Newman warns, that stem scientists are edging closer to every day: "Once you are on the slope, you tend to move down it."

Associated Press


Devia dar que pensar, mas é tudo em nome da ciência, do "colectivo", e é tão retro ser do contra... Ah, o "senhor" Adolf morreu há 60 anos...
.

Publicado por Manuel 14:41:00 3 comentários Links para este post  

Raúl Vaz assina hoje um editorial no DN entitulado "4 anos previsiveis". Mais do que Fé, Raúl Vaz demonstra coragem. Vamos todos ver a previsibilidade, se vamos...
.

Publicado por Manuel 11:35:00 0 comentários Links para este post  



O bebé está dentro do corpo da mulher

O passageiro está sentado no autocarro do qual o legítimo proprietário decidiu desfazer-se. Os campos de concentração também pertenciam ao regime nazi.

[Lição terceira de relativismo]

Publicado por Nino 10:31:00 4 comentários Links para este post  



O aborto apenas diz respeito às mulheres

Assim como a violência doméstica concerne apenas o casal. O incesto, o pai e a filha.

[Lição segunda de relativismo]

Publicado por Nino 10:23:00 2 comentários Links para este post  



O aborto mata um feto


Não mata um bebé nem uma pessoa.

[Lição primeira de relativismo]

Publicado por Nino 10:20:00 2 comentários Links para este post  

Saber estar.

Publicado por contra-baixo 02:43:00 0 comentários Links para este post  



factos.

Isaltino Morais está a fazer constar urbi et orbi que conta com o apoio objectivo de Jorge Coelho no seu assalto à autarquia de Oeiras. Num acordo porno & hard-core por baixo da mesa Coelho garantiu a Isaltino que o PS apresentaria uma candidatura de segunda linha a Oeiras caso Isaltino decidisse afronar o PSD. Coelho está no entanto a ser muito pouco ambicioso, afinal o PS podia muito bem apoiar Isaltino, mesmo acolhê-lo como filiado... era serviço público ao... PSD.
.

Publicado por Manuel 23:17:00 0 comentários Links para este post  



puro génio.


WEEEMAN (Waste Electrical and Electronic Equipment Man), a new art installation designed by Paul Bonomini is erected Thursday April 28, 2005, before being officially unveiled on the south bank of the River Thames, by Tower Bridge, London, on Friday.(AP Photo/Ian Nicholson,PA)
.

Publicado por Manuel 22:32:00 0 comentários Links para este post  

Os jornalistas cá do burgo de vez em quando sempre deixam muito a desejar, ou então são muito cagarolas. Com que então e face ao desplante do tio Isaltino que "tem tudo esclarecido" com a Justiça não é que não houve uma única alma que tivesse tido o discernimento de questionar a criatura sobre o que é que andaram fazer as autoridades nas buscas recentes que ocorreram à custa da investigação à sua pessoa. Será que andavam à procura de cromos para colecionar ? Foi pena mais esta falar de rasgo dos nossos "jornalistas", alem do mais teriamos tido um excelente momento televisivo.
.

Publicado por Manuel 21:53:00 1 comentários Links para este post  

há que convir que o tio Isaltino está a fazer autênticos milagres no que à afirmação e credibilização da nova liderança do PSD diz respeito. Em Gondomar é que parece que o Major já anda a fazer convites para as listas...
.

Publicado por Manuel 20:27:00 0 comentários Links para este post  



No papo

A Universidade de Coimbra reúne todas as condições para ver aprovada pela Unesco a sua candidatura a Património da Humanidade. Mantém-se intocável desde a sua fundação.
.

Publicado por Nino 19:29:00 0 comentários Links para este post  

Mesmo de onde menos se espera uma dose cavalar de bom senso...

O Tribunal de Júri de Ponta Delgada recusou-se a aplicar, aos condenados no processo de pedofilia de Lagoa, um artigo do Código Penal que aplica penas mais pesadas para o abuso sexual de menores do mesmo sexo do que do sexo oposto. Diz o juiz Araújo de Barros que a Constituição, no seu artigo 13º, proíbe a discriminação em função da orientação sexual. Um Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 2003, criticado duramente por este juiz, tinha considerado que os crimes de abuso heterossexual com adolescentes seriam "mais normais".

Hoje, Miguel Sousa Tavares, indignado com o tribunal de Ponta Delgada, pergunta: «Ou o tribunal achará que para um rapaz de dez anos, por exemplo, é igual o trauma de ser abusado por uma mulher ou homem?». Ao pegar no exemplo do rapaz a ser abusado por uma mulher, Miguel Sousa Tavares limita-se a usar os nossos preconceitos: ele acha que um rapaz até gostaria. Mas imaginemos que ele fazia a pergunta ao contrário: «Ou o tribunal achará que para uma rapariga de dez anos, por exemplo, é igual o trauma de ser abusada por um homem ou mulher?» Era mais difícil a resposta, não era? Porque o preconceito é uma coisa lixada.

Da mesma maneira que, se afirmarmos que a lei não pode descriminar os homossexuais abusadores de adolescentes soa pessimamente. Mas se dissermos que, para a Lei, o abuso de um heterossexual é menos grave do que o abuso de um homossexual, como é que soa?

Atalhando caminho: a lei deve ser igual para todos. E igual para todos é igual para todos os abusadores e criminosos, desde que comentam o mesmo crime. O crime é sempre grave. Porque se a Lei descrimina o homossexual, então quer dizer que atenua a culpa do heterossexual. Parece-me óbvio. Esteve bem o Juiz.

O Autor, bem, o autor, parece que é o Daniel Oliveira, Barnabé. A posta fica aqui para memória futura, antes que se arrependa e depois diga que alguem se fez passar por ele no Barnabé...

Entretanto e via adufe (via briteiros) fica-se a saber via Reuters que na Noruega uma "senhora" foi condenada a pena de prisão por violar um cavalheiro enquanto este dormiria.

The 31-year-old man fell asleep on a sofa at a party in January last year and told the court in the western city of Bergen he woke to find the 23-year-old woman was having oral sex with him


por cá, terra do macho ibérico, no Sul da Europa não há naturalmente disto... pudera. Depois queixam-se que eles são mais desenvolvidos.
.

Publicado por Manuel 19:07:00 4 comentários Links para este post  



Época de transferências...

O actual presidente da Câmara Municipal de Soure, João Gouveia, eleito pelas listas do PSD, vai ser o candidato do PS nas próximas eleições autárquicas de Outubro, como independente, anunciou hoje o presidente da federação distrital socialista de Coimbra.

do Público
.

Publicado por Manuel 19:00:00 1 comentários Links para este post  



Questões contemporâneas

E se o Ivo for libertado, será que avisam o pessoal da Quinta das Celebridades?
.

Publicado por Nino 17:32:00 0 comentários Links para este post  



provocações...

A drama pessoal do jovem Ivo Ferreira, detido no Dubai, por consumo e introdução ilegal naquele país de um estupfaciente, o haxixe, dá pano para mangas sobre muitos ângulos, e antes de mais dá para desmascarar a extraordinária hipocrisia ideológica do Bloco de Esquerda.

Cá o consumo é despenalizado, lá não, logo deve ir a julgamento ? Lá a poligamia é legal, cá não, logo deve um cidadão do Dubai em Portugal poder concubinar-se em simultâneo e ao abrigo da Lei portuguesa com quantas senhoras quiser ? Lá determinadas variantes do acto sexual são ilegais porque contrárias ao Corão (!), se o jovem fosse acusado da prática dessas variantes (não me porguntem com que meios de prova) a questão que se punha também era apenas a do mero cumprimento da Lei lá do sítio?

É facil simplificar, demasiado fácil, e chega a ser divertido ver a inusitada boa vontade e patrioteirice do bloco de esquerda, bloco que se o jovem cineasta fosse antes missionário e tivesse sido detido por rezar preces católicas em público (no Dubai também é crime) não mexeria uma palha como não a mexeria se fosse um pobre imperialista americano, mas, não foi este bloco que contextualizou a cultura dos talibans, e do Sr. Bin Laden, e condenou a invasão do afeganistão ? Não é este bloco de esquerda que tanto condena a globalização, e a ocidentalização/americanização do mundo ? Estamos claro a falar do mesmo bloco de esquerda de sempre.

Sejamos claros, Ivo Ferreira teve azar e qualquer pessoa só pode ficar humanamente triste com o que lhe aconteceu e esperar que tudo se resolva a contento, mas daí a transformar o cineasta (?) num mártir, missionário da propagação universal da passa, e símbolo de um certo nacional-porreirismo vai um grande e distante passo.

Certo
, anarca gripado ?
.

Publicado por Manuel 16:52:00 8 comentários Links para este post  



O ópio é a religião do povo

Como era previsível, o processo de beatificação do cineasta Ivo Ferreira vai em estado adiantado na Igreja dos Barnabés, com uma súplica pública de libertação do jovem herói, tendo abicado já ao cúmulo de implorar a intervenção do famoso capitalista de ascendência judaica, Figo.

Adenda: o grande Mao não teria apreciado o teor cristão implícito na formulação "Save Our Souls".
.

Publicado por Nino 15:49:00 1 comentários Links para este post  



a direita grunge

simplista, e demagógico mas absolutamente pertinente. João Morgado Fernandes, num momento avulso de rara lucidez, expõe e topa a catraiada do novo Bloco de Direita em gestação. Orfãos do portismo, imaculados e sem culpa alguma do que seja, "comentam", esforçam-se por aparecer - basta-lhes aparecer - e perorar sobre a agenda, por estes dias é aliás chique afirmar-se "liberal"... e, como a malta do BE, vestem bem e bebem ainda melhor. Falta-lhes apenas o essencial, uma linha de rumo e um projecto concreto para Portugal. Mais do que servirem para mudar alguma coisa não passam de reles figurantes que apenas servem para justificar o status-quo, também nunca quiseram ser mais do que isso... Depois da Esquerda Caviar só faltava mesmo a Direita Grunge.
.

Publicado por Manuel 14:06:00 2 comentários Links para este post  

bom karma.
.

Publicado por Manuel 14:00:00 0 comentários Links para este post  



Origem das Espécies - O argumento pragmático, será a direita mais inteligente?

Um episódio recente veio confirmar a tese sujeita a contestação atazanada das diferenças no cérebro de uma pessoa de direita de uma de esquerda.

Refiro-me, claro, entre outros, ao episódio entre Raymond Aron e Sartre.

Como se sabe vêem-se agora confirmadas todas as teses do primeiro, obviamente um cérebro mais pragmático, calmo, culto e consequente. Do segundo sabemos a predileção por um certo dandysmo, a utopia da "igualdade humana" entre outras fantasias engraçadas e de pendor esquerdalhado, do "momento", vá lá, menos inteligente.

Sei que provavelmente alguns poderão contestar, mas, de facto, nesta época em que qualquer conservador é insultado por simplesmente existir devo confessar que todas as pessoas com o mínimo de sinal de inteligência que conheci, ou li, são de direita.

Contra factos, venha a humana argumentação. A gente atura com educação.
.

Publicado por Visconti 13:42:00 3 comentários Links para este post  



pesada herança...

O Governo de Santana Lopes validou, uma semana antes da tomada de posse do novo Governo, um parecer que prevê o adiamento, até 2010, de qualquer exigência aos clubes de futebol pelo incumprimento do conhecido acordo «Totonegócio». (...) Este parecer homologado surge precisamente, quatro dias depois da entrega de outro parecer do Centro de Estudos Fiscais, que dizia que, em caso de incumprimento pela Liga e FPF ou pelos clubes, não se deveria atestar a situação fiscal dos clubes. Aliás, o novo parecer da Justiça Tributária parece ter-se preocupado com esse facto, já que assinala a contradição e acrescenta: «As restantes conclusões não nos merecem qualquer comentário». (...)

Portugal Diário

A pesada herança do Dr. Lopes não é só o défice
, também é (d)isto. Muito convenientemente o Governo do Eng. Sócrates lava as mãos, mas não revoga, pudera. É tudo tão conveniente...
.

Publicado por Manuel 13:15:00 0 comentários Links para este post  



" Se não sabem, porque é que perguntam?!"

A pressa em noticiar assuntos melindrosos e escandalosos, às vezes, leva directamente... à asneira noticiosa; à incorrecção; à desinformação. E, contudo, quem é que chama os jornalistas, publicamente, à responsabilidade por essa desinformação e por essa forma sofisticada de autêntico vilipêndio de pessoas e instituições?! A resposta fica para a consciência de cada um.

Esta introdução serve apenas para fazer o mais recente update das notítias sobre os arguidos presos e soltos, no caso do Vale do Sousa.

Hoje, o Jornal de Notícias, esclarece mais uns pequenos pormenores que afinal revelam o que desde logo poderia ter sido esclarecido e ...informado.

O último parágrado da notícia assinada por José Mota, com vontade aparente de lobrigar um qualquer bode para expiação do escândalo, reza assim:

"Os mandados emitidos terça-feira foram uma manobra arriscada do Ministério Público que todos sabiam não dever surtir qualquer efeito. Aliás, a própria procuradora do TIC do Porto defendeu que os mandados eram ilegais porque os arguidos já tinham cumprido prisão preventiva pelo mesmo crime e não havia qualquer facto novo para poderem ser ouvidos para primeiro interrogatório"

Só isto, devia obrigar o jornal e a jornalista que assinou a notícia, a um pedido de desculpas público, aos visados nas notícias de ontem e anteontem. E o problema é que poderia ter sido facilmente esclarecido, caso houvesse vontade efectiva de perceber o que eventualmente se passou.

No entanto, não aprendem, nem esquecem. Na notícia de hoje, o "escândalo" é a falta de notificação da acusação! Sabem os jornalistas como se fazem notificações em processo penal?! E , principalmente, saberão qual é a prática corrente e legalmente instituida?!

Parafraseando o falecido João César Monteiro, "se não sabem, porque é que perguntam"?!
.

Publicado por josé 11:42:00 0 comentários Links para este post  



O outro lado da questão

À pergunta do Comércio do Porto de hoje

“Como é que olha para uma geração de actores formada no pós-25 de Abril e que agora se vê confrontada com uma vaga de modelos?


a actriz Maria do Céu Guerra, respondeu:

“Faz-me imensa impressão ver gente que levou anos a formar-se, trabalhou para si, deu o melhor de si para ser um actor de qualidade, os cursos demoram quatro anos, e depois são preteridos no mercado de trabalho por alguém que fez um curso de dois meses de bom relacionamento com a câmara, e uns testes para a TVI. Nós deixámos de ter legislação neste sector.


Como é fácil de perceber olhando para alguns programas de televisão, o problema não está na falta de qualidade das ou dos modelos mas sim do desempenho dos ditos actores formados nas escolas. Para chegar a esta conclusão, basta ver uma qualquer série da TVI, que habitualmente até os mistura a todos, para verificar que os ditos qualificados não fazem qualquer diferença face aos outros. É vê-los a debitar texto sem qualquer densidade ou intenção construtiva do personagem, fazendo com que, de enlatado para enlatado ou de peça para peça, representem não a individualidade do personagem do momento mas, quanto muito, o estereótipo de si próprios. Por isso, não é com legislação, corporativismos, protecção sindical ou mesmo mais dinheiro que a coisa vai lá. Vai é sim com profissionalismo e qualidade de desempenho no “confronto” da cena. Saibam pois os actores com 4 anos de formação ser os melhores que, com facilidade, “arrumam” os outsiders da classe. Como na Economia, aqui os maus estão a expulsar os bons porque estes, vá lá saber-se porquê, açambarcam para si todo o talento, não o colocando a circular.
.

Publicado por contra-baixo 10:50:00 4 comentários Links para este post  


Kesheri, a two year old Asiatic Lion, seen here in 2003 at the Calcutta Zoo. Indian wildlife officials said the Asiatic lion population had grown by almost 10 percent to 359 in the western state of Gujarat.(AFP/File/Deshakalyan Chowdhury)
.

Publicado por Manuel 22:05:00 2 comentários Links para este post  

Não que não existissem já mas, a partir de hoje há mais uma razão para António Preto não poder ser presidente da Distrital de Lisboa do PSD - pulhice. Não é preciso ser muito dotado para se perceber que o pretexto encontrado para não permitir a recandidatura de Isaltino Morais em Oeiras, a recandidatura da actual presidente, é antes de mais uma forma elegante, sóbria e delicada de não recordar as graves suspeitas que pesam sobre Isaltino Morais. Sejamos claros, até tudo estar esclarecido não existem condições políticas objectivas para Isaltino ser candidato a qualquer câmara municipal. Pode-se concordar ou não com este - para uns - purismo, mas esta foi a linha de acção traçada por Marques Mendes. Agora, é preciso ter muita lata, para depois de o Presidente do Partido, legitimamente eleito em Congresso, ter anunciado que não contava com Isaltino, depois de Isaltino ter anunciado uma candidatura Independente,contra o PSD, uma estrutura distrital, do PSD, ter vindo confirmar que depois de tudo isto achava normalíssimo que afinal Isaltino pudesse vir a ser candidato a uma outra Câmara. É também assim que se descredibiliza o sistema político e os políticos. A partir deste momento a questão deixou de ser Isaltino e resume-se pura e simplesmente a uma questão de autoridade interna, e a uma completa, brutal e soez tentativa de desautorização da liderança do partido.

Entretanto e sobre o affair do tio do sobrinho, taxista na suiça, regista-se o ensurdecedor silêncio aqui.
.
.

Publicado por Manuel 20:07:00 0 comentários Links para este post  



O cigarro da paz

Um jovem cineasta português corre o risco de se tornar no próximo mártir da resistência anti-globalização e num símbolo da coragem na luta pela Liberdade dos anacletos de todo o mundo. Foi preso nos Emirados Árabes Unidos por ter sido visto a confraternizar com um marroquino e um libanês.

Publicado por Nino 20:05:00 13 comentários Links para este post  


Iniquidade Fiscal

O João tem 40 anos e é marido da Maria, que tem 23. O João ganhou 28.000 euros brutos em 2005. A Maria não trabalha. Estuda na universidade. O João e a Maria têm 2.500 euros de despesas de saúde e 2.500 euros de despesas de educação. A colecta líquida do IRS desta família é 2800.29 euros.

Agora substitua na primeira linha a palavra marido pela palavra pai. A colecta líquida da família aumentou passou para 4342.11 euros.

Isto é iniquidade fiscal. O estado incentiva o envelhecimento populacional. As familias numerosas pagam proporcionalmente mais impostos. Podem confirmar aqui.

Sugestão zapateriana: substituir Maria por Joaquim.

in jaquinzinhos

.

Publicado por Manuel 19:57:00 0 comentários Links para este post  



Uns trazidos pela cegonha, outros pelo abutre

Socialistas querem saída para o aborto. Como se os bebés preteridos saíssem por um lugar diferente dos desejados.
.

Publicado por Nino 19:30:00 0 comentários Links para este post  



texteis, o choque chinês

A nossa indústria têxtil teve uma década para se preparar para a abertura da EU às exportações chinesas, mas o que fez? Optou por continuar a apostar numa competitividade assente em mão-de-obra barata e não qualificada, aliás, o modelo que esteve na base do seu sucesso passado. Têm razão quando acusam a China de praticar dumping social; mas não foi assim que a indústria têxtil cresceu? A diferença que hoje existe entre as condições de vida dos trabalhadores chineses e as dos trabalhadores portugueses é maior do que ocorria há umas décadas em relação às dos trabalhadores dos países de destino das nossas exportações?

Quem se esquece dos baixos salários, da inexistência de férias e de subsídios de férias, da proibição da greve ou da constituição de sindicatos livres ou do forte empenho da polícia política nos centros de produção têxtil? O “choque chinês” pode provocar o que nenhuma política governamental conseguiu, levar à falência um modelo económico assente na miséria social. Bendito choque chinês! Não deixa de haver alguma ironia no facto de o “capitalismo” chinês conseguir o que não alcançou com a tentativa de exportação do seu socialismo, levar à falência as empresas que só sobrevivem à custa da pobreza. Quem com ferros mata, com ferros morre

no Jumento
.

Publicado por Manuel 17:50:00 1 comentários Links para este post  



justiça ?

Abre-se o jornal e pode ler-se...

escravatura
Suspeitos saem em liberdade


Os 23 suspeitos de recrutarem portugueses para trabalho de escravo em Espanha, detidos no domingo, no Norte do País, saíram ontem, durante a madrugada, do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, com termo de identidade e residência. Além de terem de se apresentar às autoridades periodicamente, estão proibidos de contactar com os outros arguidos, revelou fonte judicial.

Diário de Notícias

Há coisas que não percebo
, e uma delas é a extraordinária latitude existente no sistema judicial no que diz respeito à aplicação ou não da prisão preventiva., como deixa de dar, para tudo. Um puto anda por aí a vender droga, nem que seja haxixe, para pagar o vício e lá vai fazer formação profissional para a choldra, acabando-se na prática com qualquer hipótese de reintegração, em Portugal sempre se preferiu tratar avulsamente o pequeno tráfico ignorando-se ostensivamente a alta mercearia, uma rede organizada atenta contra a liberdade de outros seres humanos, lucra com a sua escravização e saem alegremente em liberdade. Talvez haja humanismo e coerência nisto, não estou a ver é aonde...
.

Publicado por Manuel 16:39:00 0 comentários Links para este post  



"this story is old - I KNOW But it goes on" *

É um facto cá dentro e lá fora as obras públicas derrapam exponencialmente. Apesar de ser dos que ainda acredita que isto acontece por motivo de uma planificação deficiente, também sei que isto não acontece só por acaso ou por incompetência dos decisores ou gestores de topo. Há por um lado o interesse do agente público em esquematizar uma obra barata para escapar aos procedimentos de concurso que variam consoante o valor da obra e, por outro, o dos construtores civis que inicialmente apresentam um preço aquém do real para assim obter o trabalho, sabendo de antemão que, manobrando como só eles sabem, acabam sempre por levar a sua por diante, facturando o que muito bem lhes aprouver. É também um facto que chegando à fase da derrapagem dificilmente se pode ser colocado perante o dilema de continuar ou não continuar a obra, pelo que a solução é, e será sempre, conclui-la, pois dinheiros públicos para a pagar acabam sempre por aparecer e também não me parece que suspender uma obra seja a solução. Agora, talvez fosse conveniente, sempre que isso acontecesse, apurar as causas de facto e de direito que levaram a e, a partir daí, determinar um conjunto de consequências que, por exemplo, poderiam ir até à proibição administrativa de participar ou decidir em futuras obras públicas, aplicando-se um regime destes não só a arquitectos, engenheiros, gestores, fiscalizadores, construtores civis, etc, mas também aos decisores políticos, aplicando aos primeiros o princípio da responsabilidade pessoal e não somente a empresarial ou limitada.

*Morrissey
.

Publicado por contra-baixo 13:52:00 1 comentários Links para este post  



Notícias à pressa...

O Correio da Manhã na sequência do acontecido ontem com o Jornal de Noticias, procura avidamente bodes expiatórios para o escândalo dos presos, soltos, do Vale do Sousa. A tal avidez algo irracional juntou-se já a própria ASFIC da PJ... e segue-se-lhes o cortejo dos do costume.

Os factos conhecidos publicamente, por relato dos jornais e do comunicado da PGR - homicídio, associação criminosa e roubos com arma de fogo - ocorridos em Janeiro de 2001, foram inseridos num mesmo processo e reportam-se a datas que se misturam e confundem. É fácil perceber isto, dada a natural complexidade do caso.

A acusação sobre esses factos, foi deduzida pelo MP, logo que o processo foi remetido pela PJ que os investigou, ou seja, em Abril de 2002, pouco mais de um ano depois desses factos e acusação propriamente dita demorou pouco mais de um mês após a investigação da PJ.

A fase seguinte, de instrução, da responsabilidade de um juiz, demorou menos de quatro meses e concluiu-se em Agosto de 2002.

Foi então que ocorreu um episódio crucial: em vez de um processo sobre os mesmos factos, passou a haver dois - e um deles regressou à fase de Inquérito, para eventual correcção de elementos factuais ou de direito, o que ainda precisa, aliás, de esclarecimento.

Agora, atente-se nisto:

Daqui para a frente, a responsabilidade pelo andamento do processo que seguiu os trâmites e passou no crivo da instrução, passa a ser primordialmente, dos tribunais criminais e dos juizes em particular.

Nesta fase, os factos desse processo, - roubos com arma de fogo, aparentemente - só foram julgados em Abril de 2004!

Porquê? Segundo informação publicada pelo Público de hoje, por causa de questiúnculas entre tribunais a propósito da competência de cada um. De modo simples, cada tribunal arranjou modo de sacudir a água que caia a cântaros nesse capote - e isso demorou 14 meses! Mais do que todo o tempo para a investigação e acusação!

Como os arguidos foram presos preventivamente no início, o prazo decorria desde Janeiro de 2001 e portanto já tinha decorrido mais de três anos até ao primeiro julgamento!

Entretanto, desde Agosto de 2002 que o Inquérito para a acusação do homicídio e a associação criminosa se encontrava no MP para eventualmente ser refeita a acusação, ao que se escreve por aí e que ainda nem está totalmente esclarecido.

É importante salientar que os presos estavam nessa situação à ordem do processo que entretanto fora julgado em Abril de 2004 e cuja decisão condenatória foi objecto de recurso que confirmou as penas. Contudo, novos recursos e segundo se diz, vários pedidos de esclarecimento (!!!) das decisões, foram protelando o trânsito em julgado, até agora, altura em que foi decidido que os presos que se encontravam em prisão preventiva foram soltos por se entender que foi excedido o respectivo prazo.

Então, agora impõe-se algumas perguntas:

Se os factos relativos aos dois processos, - o que seguiu trâmites e foi julgado e o que estava ainda na fase de Inquérito - estão intimamente relacionados e podem sobrepor-se no que se refere ao crime de associação criminosa, como defender que a acusação neste último processo poderia ter alguma virtualidade para impedir a libertação dos arguidos por excesso de prisão preventiva?

No caso concreto, mesmo sem conhecer o despacho da JIC que indeferiu o cumprimento dos mandados de detenção para prisão preventiva por ilegalidade, poderá defender-se que os arguidos poderiam legalmente ficar detidos preventivamente à ordem do novo Inquérito que saiu do primeiro e cujos factos ocorreram na mesma altura e estão relacionados?!

Se assim for, estará encontrada a via legal de estender o prazo de prisão preventiva em processos complexos: bastaria que em determinada fase adiantada do processo, fosse extraída certidão dos autos, para autuação autónoma de outro processo e se passassem os presos , para cumprimento de prisão preventiva, para o novo processo.

Assim, em vez de 4 anos de prazo máximo de prisão preventiva, poderia esticar-se à vontade tal prazo para o dobro...

Tem lógica jurídica, ou até de senso comum, tal entendimento?!

Parece que sim, ao ler os jornais de hoje e ontem... mas como isto é escrito pelo que se lê em jornais, talvez seja de dar um desconto devido.
.

Publicado por josé 12:06:00 7 comentários Links para este post  



Ainda devia estar a dormir...

Ainda devia estar a dormir mas hoje, depois do noticiário das 9h30m na TSF, pareceu-me ter ouvido um anúncio publicitário de um advogado informando, entre outros, as áreas preferênciais de direito (criminal e outra que não apanhei). Primeiro no Google, agora na rádio?

Alguém mudou a lei? Já é permitido ao advogado publicitarem-se além da placa na portaria do escritório e da lista telefónica?
.

Publicado por Rui MCB 11:30:00 10 comentários Links para este post  



A criatividade da PLMJ no processo GALP

Na edição de hoje do Diário Económico, somos confrontados, com um dos habituais pequenos-almoços com a advocacia, que o jornal já nos habituou. A convidada de hoje é, Gabriela Rodrigues Martins, advogada da PLMJ que ficou famosa (!?) pelo recurso ao Tribunal de Justiça da União Europeia no caso da Sociedade Hispânica dos Automóveis.

A meio da entrevista, e com direito a manchete e tudo, a distinta advogada afirma em alto e bom som que
Processo Galp obrigou-nos a ser criativos na negociação

A aplicação de demasiada criatividade deu no chumbo pela Comissão Europeia à operação.


Nota do Gran Mestrado

Ao Venerável Irmão António escapou o essencial da entrevista/pequeno-almoço. O que "deu, está a dar e espero que continue a dar um gozo especial"(sic) à PLMJ são os honorários de 595 contos/hora, com chumbo e sem chumbo... M.


Publicado por António Duarte 18:35:00 1 comentários Links para este post  



boa onda

Já é ofícial, o PSD não apoia Isaltino, que ao que parece pondera recandidatar-se como independente. Falta(ria) tratar do caso de Valentim Loureiro mesmo sabendo que "A política desde o congresso é apoiar as candidaturas dos autarcas que se encontram actualmente em funções"...
.

Publicado por Manuel 18:32:00 0 comentários Links para este post  



ipsis verbis

O ministro da Administração Interna admitiu hoje que o anunciado projecto de acompanhamento de operações policiais por elementos do Ministério Público pode ter resultado de um erro de interpretação jurídica do Governo sobre algumas competências da polícia. (...) "Estávamos em erro", admitiu o ministro. "Sempre ouvi dizer que as polícias tinham perdido competências para fazer aquilo que se denomina de rusgas", começou por dizer António Costa, explicando os motivos pelos quais o Governo anunciou, este mês, a intenção de reforçar os poderes das forças policiais nas acções preventivas de identificação, revista e busca através da presença de elementos do Ministério Público em determinadas operações. (...) "Estávamos em erro. Temos de fazer uma distinção clara entre situação preventiva e repressiva", admitiu o ministro, referindo que a nível da prevenção se opera sob a direcção da própria cadeia de comando - com excepção das buscas domiciliárias -, e que apenas a nível de repressão tal só é naturalmente possível sob autoridade judiciária. (...)


in Portugal Diário

.

Publicado por Manuel 17:45:00 4 comentários Links para este post  

O Professor Cavaco voltou a falar.

E disse muito, recordou esta quarta-feira os últimos anos como o período «em que Portugal mais se afastou do caminho da convergência». «Há cinco anos consecutivos que a taxa de crescimento de Portugal é inferior à da média da União Europeia», acrescentou o ex-primeiro-ministro, que não está pesssimista acerca do futuro e para isso contribui o facto de o actual ministro das Finanças estar a seguir as políticas que ele sempre defendeu. O antigo Primeiro-Ministro e ex-líder do PSD falava numa conferência na Faculdade de Economia do Porto, sobre o tema «Portugal, o Caminho para a Convergência», onde apresentou algumas propostas. Para Cavaco Silva, a solução passa pelo aumento das exportações, principalmente para o mercado espanhol e pelo aumento da competitividade através do investimento na formação e inovação.

No que diz respeito às finanças do Estado, Cavaco considera que é necessário reduzir a despesa pública, nomeadamente através de uma reforma da Administração Pública, e diminuir os gastos com as autarquias e com os governos regionais, mostra-se confiante: «É difícil, mas é possível» e adianta que «há indicadores de que o ciclo possa estar a inverter-se». Esta confiança parece advir das linhas orientadoras deste novo Governo e do ministro das Fiananças, que Cavaco contou ter sido seu aluno. «Estou satisfeito por o discurso do actual Governo não ser muito diferente daquele que eu tenho vindo a fazer desde 1999». «Temos neste momento um grande desafio que é saber se conseguimos voltar aos níveis de convergência da nossa vizinha Espanha. Penso que é possível, mas não é fácil. Vai requerer políticas de muito rigor por parte das autoridades e uma actividade dinâmica das actividades económicas», afirmou Cavaco Silva.

O antigo Primeiro-Ministro afirma que «este é momento para tomar as medidas difíceis de que Portugal necessita e que podem levar até ao aumento do desemprego». E deixa até um aviso ao Governo: «Se as medidas forem adiadas, a situação pode ainda piorar». Depois de ter demonstrado tanta proximidade às ideias do actual Governo e questionado sobre se essa identificação o motiva para uma maior intervenção na vida política, nomeadamente através de uma candidatura às Presidenciais, Cavaco respondeu: «Neste momento ainda não sei. Tenho evitado responder a essa questão, o que sugere de alguma forma que tenho as minhas dúvidas, embora os senhores tenham a ideia de que eu não tenho dúvidas». A rematar mostrou-se ainda bastante satisfeito pela possibilidade de António Guterres poder ocupar o cargo de Alto comissário para os Refugiados. «Concerteza que apoio que um português possa ocupar esse alto cargo das Nações Unidas».

politicamente correcto q.b.

Infelizmente os tempos não estão fáceis para o Prof. Cavaco, nada fáceis. Os acontecimentos recentes no PSD e no PP, de forma súbtil, complicaram-lhe, e de que maneira, o itinerário. Sejamos francos, Cavaco só não será eleito Presidente da República se não quiser, dito isto, uma coisa será ser eleito pura e simplesmente para "Raínha de Inglaterra", outra, completamente diferente, será não o ser. E, infelizmente o consenso, podre e falso, que subitamente apareceu à direita em torno do nome de Cavaco Silva como candidato presidencial só desilude aqueles quer queriam ver na eleição do antigo primeiro-ministro uma última tentativa séria de reforma do regime.

A última coisa que interessa a Cavaco Silva e ao País é vir a ser formalmente apoiado por todas as direitas, mais por conveniência e cobardia que por convição, retransformando as presidenciais bum duelo clássico esquerda/direita.

toda a gente percebeu que é complicado, no mínimo, aos partidos políticos apresentarem-se a votos com ideias claras e objectivas sobre as reformas de que o país carece e precisa, por vias das prssões dos aparelhos partidários, o melhor que se conseguiu foi apresentarem-se a votos sem ideias, só lugares comuns, apelando à , e à alergia ao dr. Lopes, do eleitorado, já toda a percebeu que as grandes reformas, e a reforma suprema é a reforma do sistema político, o pai de todos os subsistemas, só pode ser catalizada por alguém que não dependa de aparelhos partidários, de clientelas e afins, mas que tenha legitimidade eleitoral. Em suma, um papel que assenta como uma luva ao Presidente da República.

Portugal não precisa de um mestre de cerimónias nem de um pavão interventivo em Belém, não precisa nem de um satélite da maioria em S. Bento nem de um porta-voz das oposições, precisa simplesmente de alguém que o país respeite, que fale pouco mas que quando fale seja ouvido. O Professor Cavaco cumpre esse perfil.

Mas não lho basta cumprir, as condições em que for eleito, dissociando-se ou não da mercearia política habitual, a mensagem que fizer passar, indexando e plebescitando a clara intenção de tudo fazer para que o o país veja implementadas as sempiternas reformas é fundamental.

Por estes dias o Professor Cavaco tem entre o próprio eleitorado do PS mais votos que qualquer outro candidato e isso é uma ameaça, uma ameaça brutal à estabilidade do "sistema". A desistência tácita dos sectores mais caceteiros à direita de avançarem com uma candidatura alternativa (o Dr. Portas não é parvo e o Dr. Lopes, bem é o Dr. Lopes) em vez de ser um acelerador da candidatura de Professor de Boliqueime são um poderoso handicap. Porque obrigam a um delicado balanço em que claramente se vão ter de escolher os "amigos". E infelizmente, o drama de Cavaco sempre foram os alegados cavaquistas, reveja-se a monumental estupidez de Manuela Ferreira Leite (precedida por Pacheco...) no último Congresso de PSD onde, dias depois do próprio Cavaco ter pedido expressamente para que o tema não fosse debatido, apelou lancinantemente a uma candidatura presidencial de... Anibal Cavaco Silva, facto que levou a uma súbita unidade em torno de Cavaco, de Menezes a J. Jardim, unidade falsa, hipócrita e que só trama o itenerário de Marques Mendes que teria nas presidencias uma óptima oportunidade para separar muito trigo do joio. Mas que trama sobretudo o itinerário ao ex-primeiro ministro cuja candidatura tem que ser, antes e acima de tudo, de todos os portugueses e apoiada pelo PSD e não ao contrário.

É neste contexto que devem pois ser interpretadas as declarações de hoje na Faculdade de Economia do Porto, não hostilizantes, sóbrias e com propostas construtivas e crediveis e sobretudo acima da dicotomia poder/oposição.

A eleição presidencial de Cavaco Silva não pode ser o momento escolhido para uma qualquer desforra eleitoral, a eleição presidencial de Cavaco Silva deve ser o momento escolhido, isso sim, para os portugueses votarem no futuro, num futuro de reformas, de modernidade, de exigência, e de credibilidade...

Publicado por Manuel 16:30:00 2 comentários Links para este post  



Saber é poder?

Quem quiser saber, ao certo, o que se passou com a libertação de três arguidos do chamado "gang do Vale do Sousa", poderá sabê-lo pelas notícias de hoje?

Dificilmente! A informação que tem sido veiculada pelos jornais e rádios, fragmenta-se e parece não abranger o essencial de todos os aspectos do caso, o que afastaria a perplexidade que se instalou e o ar de escândalo que assumiu.

Este assunto, aliás, parece paradigmático da dificudade de os órgãos de informação obterem, em tempo útil, elementos factuais suficentemente precisos e claros para poderem informar o público. Torna-se cada vez mais notória, a dificuldade em se articular a informação desejável com o conhecimento necessário, porque muitas vezes o que parece não é; e vice-versa.

Aqui ficam as notícas de alguns jornais, sem comentários...

O Correio da Manhã, por Luís C. Ribeiro e Luis Lopes ..

Os arguidos agora libertados são igualmente suspeitos da morte a tiro de metralhadora, em 21 de Janeiro de 2001, de um inspector da Polícia Judiciária – João Melo, que integrava uma equipa da PJ que perseguiu os assaltantes após um assalto, em Amarante.Os homens agora mandados em liberdade tinham sido julgados e condenados, em Outubro de 2003, no Tribunal de Penafiel: José Fernando Ferreira apanhou 16 anos e três meses, José Maria Bessa foi punido com 15 anos e Paulo Jorge Cunha levou oito anos de cadeia. A defesa recorreu das condenações para o Tribunal da Relação, mas os arguidos continuaram atrás das grades à espera da decisão final.A lei penal portuguesa considera que uma condenação só tem efeito após as respostas dos tribunais superiores aos recursos interpostos sobre a condenação em primeira instância – até lá, os arguidos são considerados em prisão preventiva.O prazo de prisão preventiva expirou ontem sem que o Tribunal da Relação tomasse uma decisão final. A lentidão da Justiça não deixou outra saída à juíza de instrução criminal que não fosse mandar os arguidos em liberdade.Os detidos estavam ainda indiciados pelo brutal assassínio do inspector João Melo – e voltaram a beneficar de mais um atraso da Justiça: o Ministério Público, quatro anos e três meses passados após o crime, ainda nem sequer deduziu acusação contra os suspeitos.A juíza de instrução criminal decretou ainda a entrega de um quarto arguido, António Augusto Ferreira, às autoridades espanholas, que o tinham apresentado naquele tribunal, para acabar uma pena de 14 anos que cumpre em Espanha por tráfico de droga.


No Jornal de Notícias, Tânia Laranjo, escreve:

Quatro anos e três meses depois de o inspector João Melo ter sido baleado mortalmente, em Carvalhosa, Marco de Canveses, o Tribunal da Relação do Porto ordenou a libertação de quatro suspeitos que se encontravam em prisão preventiva, por excesso de prazos. Apenas um dos suspeitos do homicídio permanece detido, mas porque tinha sido apanhado em Espanha, onde foi julgado e se encontra a cumprir outra pena.

Ontem, face à notícia de que a libertação seria inevitável, o procurador Almeida Pereira, do Departamento de Investigação e Acção penal (DIAP) do Porto, ainda tentou reagir. Emitiu mandados de detenção contra os indivíduos e mandou apresentá-los ao TIC, para primeiro interrogatório. Resultado: a meio da tarde, os suspeitos da morte de João Melo, condenados a penas entre os 15 e os 20 anos de cadeia por vários assaltos à mão armada, saíram em liberdade daquele tribunal.

A acusação foi deduzida em Janeiro do ano seguinte, e em Agosto o juiz do Tribunal de Instrução Criminal do Porto decidiu mandar para julgamento os casos referentes aos assaltos. No que diz respeito ao homicídio, o juiz ordenou ao procurador Almeida Pereira que refizesse a acusação, por não ter sido sequer referido, no seu despacho, se tinha havido ou não, da parte dos indivíduos, a intenção de matar.

Dois anos e nove meses depois, os processos tiveram desenvolvimentos diferentes. O caso referente aos assaltos foi julgado e os arguidos condenados. No entanto, recorreram para a Relação e agora para o Supremo, não tendo ainda havido trânsito em julgado da decisão. Quanto ao homicídio, e embora os assistentes (os inspectores da PJ) tivessem entrado com pedidos de acelerações processuais, nada foi feito. Até ontem, os arguidos continuavam sem ser notificados de qualquer acusação.

Por essa razão, à juíza do TIC nada mais restou do que libertar os arguidos que ontem chegaram ao tribunal com mandados de detenção emitidos pelo homicídio. "Considero a detenção ilegal. (...)os arguidos já foram submetidos a primeiro interrogatório a 21 de Janeiro de 2001", disse a juíza."

Por seu lado, Carlos Rodrigues Lima, no DN, escreve...

Três indivíduos, condenados no âmbito do processo conhecido como o "gang do Vale do Sousa", foram ontem libertados por terem atingido o prazo máximo de prisão preventiva quatro anos e três meses. O Ministério Público (MP) ainda chegou a emitir mandados de detenção à ordem de um processo relacionado com a morte do inspector-chefe da Polícia Judiciária, João Melo, que ocorreu em 2001 na sequência de um assalto a uma carrinha de valores da Prosegur, mas não conseguiu impedir a libertação dos três indivíduos.Apesar da emissão dos mandados, uma juíza do Tribunal de Instrução Criminal do Porto (TIC) recusou-se a realizar o interrogatório judicial, alegadamente por considerar ilegal a detenção dos cinco indivíduos que, aliás, já teriam sido confrontados com a acusação de homicídio do inspector chefe da PJ, a 26 de Janeiro de 2001. Apesar de condenados em primeira instância, os cinco arguidos mantinham-se em prisão preventiva, uma vez que a sentença ainda não transitou em julgado em virtude de um recurso para o Tribunal da Relação do Porto.

António Arnaldo Mesquita, no Público, escreve...

Três operacionais do gang do Vale do Sousa- um grupo que durante cerca de meio ano esteve envolvido no assalto a carrinhas de valores- que aguardavam trânsito em julgado de uma condenação por associação criminosa para assaltos à mão armada foram ontem libertados por terem atingido o máximo da prisão preventiva." Dá ainda conta que " Anteontem, o magistrado do MP titular do inquérito relativo ao homicídio do inspector João Melo deduziu a acusação e emitiu mandados de detenção o que não colheu junto da juiza de instrução criminal que os considerou ilegais, libertando os suspeitos.

Finalmente, o CSM, entra também na liça e quer saber o que se passou...

Questionado sobre a estranheza deste caso, Antero Luís considerou que «todas as situações que parecem excessivas, e à primeira a situação parece excessiva, impõe-se apurar responsabilidades».«No que respeita aos senhores juízes obviamente impõe-se saber se há alguma responsabilidade por parte de algum juiz no âmbito do respectivo processo», acrescentou.

E apesar de outras opiniões continuamos na mesma...

Adenda ( à noite):

A PGR emitiu esta tarde uma nota para a comunicação social. É sucinta e esclarece mais do que os artigos citados:

A propósito da notícia vinda a lume, da libertação de quatro arguidos supostamente implicados em vários assaltos à mão armada, e no homicídio do Sr. Inspector da Polícia Judiciária João Melo, ocorrido em Marco de Canavezes em Janeiro de 2001, informa-se do seguinte:

Os acontecimentos referidos deram origem a um processo-crime, onde o Ministério Público deduziu a acusação a 22 de Abril de 2002 pelos crimes de homicídio, associação criminosa e roubo com utilização de armas de fogo. Foi requerida instrução e proferida pronúncia pelos crimes de roubo. A partir daqui passou a haver dois processos, o segundo dos quais reportado ao homicídio e à associação criminosa.

Seguiu os seus trâmites o processo pelos crimes de roubo, com julgamento iniciado em Outubro de 2003 e sentença lavrada a 13 de Abril de 2004, tendo os arguidos sido condenados a severas penas de prisão.

Entretanto, os arguidos não iniciaram o cumprimento de tais penas em virtude de terem sido interpostos recursos para o Tribunal da Relação do Porto, formulados vários pedidos de aclaração e entretanto interpostos recursos para o Supremo Tribunal de Justiça. Assim sendo, os arguidos mantiveram-se na situação de prisão preventiva até que, esgotado o prazo máximo para tal previsto na lei, foram libertados à excepção de um dos arguidos que se encontra preso em Espanha.

Paralelamente, seguiu seus trâmites o segundo processo reportado ao homicídio e à associação criminosa, onde foi recentemente deduzida acusação. O titular do processo, consciente da eventualidade da libertação dos arguidos, que estavam presos preventivamente, à ordem do outro processo, optou por passar ele mesmo mandados de detenção, para os arguidos ficarem em prisão preventiva, desta feita à ordem do segundo processo, e na sequência de um interrogatório como arguidos. O Tribunal de Instrução Criminal considerou ilegal tal detenção libertando os arguidos detidos.

A Procuradoria-Geral da República, confrontada com o desfecho de toda esta sequência de ocorrências, ordenou a instauração de um rigoroso inquérito, destinado a apurar as actuações e as circunstâncias que as envolveram, protagonizadas pelos magistrados do Ministério Público que tiveram intervenção no caso, para daí tirar ilações que neste momento seriam obviamente precipitadas.


Como comentário, espera-se que o inquérito possa esclarecer toda a gente, acerca do modo como funciona o DIAP;como se fazem Inquéritos;o papel dos magistrados; as razões pelas quais os processos demoram aparentemente mais que o razoável e outros aspectos que sem violar qualquer segredo ou reserva, possa tornar público todo um estendal de carências que afectam o MP e outras entidades.
Como sugestão aos jornalistas citados, quase apetece dizer: vão lá! entrevistem quem quiser falar! Façam-lhes ver que as declarações públicas a esclarecer as pessoas do que pode ser esclarecido, pode ter um efeito útil e revelador do que funciona mal! E um incentivo: digam-lhes que... "não tenham medo!"
.

Publicado por josé 14:43:00 1 comentários Links para este post  



Na vizinha do lado ...

O respeitinho é muito lindo
.

Publicado por contra-baixo 12:47:00 4 comentários Links para este post  



sobre a táctica e a estratégia.

Rui Ramos, historiador, imaculado no mito da sua alegada clarividência recém promovido a gurú de uma certa direita (?!) ainda não se pronunciou sobre o último Congresso do PP. Sobre convições estamos conversados.
.

Publicado por Manuel 11:36:00 0 comentários Links para este post  



Modelo de educação finlandês

Depois da Segunda Guerra Mundial, a Finlândia era um país pobre e tinha de encontrar um meio de sair da precaridade. A educação foi o caminho escolhido. Os resultados estão à vista: os alunos finlandeses são os melhores na literacia literária, matemática e científica,[...]. Durante os nove anos de escolaridade obrigatória, as famílias não fazem qualquer gasto - o investimento em educação é de 5,8 por cento do PIB. O Estado oferece escola, transportes e uma refeição quente diária. O ministério paga ainda o material e manuais escolares, do 1º ao 9º ano. Só quando os alunos chegam ao ensino secundário é que as famílias começam a despender algum dinheiro, nomeadamente nos livros - que, ao contrário do que acontece em Portugal, são avaliados pelo ministério.

Os dias de aula são curtos e terminam cedo. Depois do almoço, os estudantes dedicam-se a outras actividades, que podem ser feitas na escola ou na área da residência, como desporto ou música.(...)Desde o ensino pré-escolar (os miúdos são obrigados a fazer apenas um ano de pré-primária, aos seis anos e aos sete entram para a 1ª classe) que as escolas e as bibliotecas trabalham em conjunto para cultivar o gosto e a frequência dos espaços de leitura.(...)

A estabilidade que se vive nas escolas, desde os programas que têm mudado muito pouco ao corpo docente, que é escolhido pelos estabelecimentos de ensino, é outro dos factores a ter em conta. "Não há concursos de professores, como em Portugal", compara Pirnes. Quando falta um docente, a escola abre uma vaga e selecciona o profissional.

A vida de um professor é estável e este tem liberdade para desenvolver o seu trabalho a partir do currículo lançado pelo Ministério da Educação.(...)

A Finlândia começa a debater-se com um problema comum a outros países europeus: a falta de professores. Os actuais estão a aproximar-se da idade da reforma e apenas duas, em mais de 20 universidades, têm cursos de professores com vagas controladas para não criar excesso de profissionais.

[Público]
.

Publicado por Nino 07:20:00 3 comentários Links para este post  



tudo isto é triste, tudo isto é frio, tudo isto é fado..

Enfim, raciocínios infelizes e (muito) perigosos...
.

Publicado por Manuel 22:56:00 0 comentários Links para este post  

na senda da política prozac o Eng. Sócrates vai tirar mais um coelho da cartola para manter o país distraído mais uns tempos... fazer de conta que quer voltar a discutir a regionalização.
.

Publicado por Manuel 18:50:00 0 comentários Links para este post  



Só por não ser na capital ...

Porque razão não teve a semana de inauguração da Casa da Música no Porto o mesmo impacto mediático que a Festa da Música do CCB está a ter, com directos televisivos a todas a horas e dias seguidos de primeiras páginas nos jornais?
.

Publicado por contra-baixo 12:04:00 9 comentários Links para este post  



A Don Sphynx cat, a Russian breed of hairless cat, meows during a show in the southern Russian city of Stavropo. About 70 pets of various breeds took part in the show. REUTERS/Eduard Kornienko
.

Publicado por Manuel 07:37:00 0 comentários Links para este post  

Para variar, não me tem apetecido escrever. Não me apetece escrever, em mais este aniversário da revolução dos cravos, para ter de criticar Jorge Sampaio, esse insigne democrata, presidente de todos os portugueses nomeadamente de todos os maçons, que veio a terreiro defender a honra da maçonaria mais a perigosidade da lista de PIDEs, que o era, deixou de ser e voltou a ser.

Mas sobretudo não me tem apetecido particularmente escrever por causa do Congresso do CDS/PP, porque a escrever tenho que me render ao génio, ao absoluto génio, de um homem. Raras vezes, em política, se pode assistir a um espectáculo tão sublime, tão coreografado, tão subtil e eficaz, com o deste fim de semana. Absolutamente perfeito, simplesmente suberbo e a fazer lembrar Keizer Soze, o maléfico génio d' Os Suspeitos do Costume. E o melhor de tudo é que a esmagadora maioria da assistência, analistas e intérpretes, ainda não perceberam verdadeiramente o que se passou.

E o que se passou foi, ai que isto custa a escrever, que quando quer Paulo Portas é - "artisticamente" o melhor político português no activo. Paulo Portas é o único vencedor do Congresso do PP deste fim de semana, e, bem analisados os factos, o seu grande protagonista. Paulo Portas, na noite das eleições legislativas, percebeu que tinha que sair de cena, que respirar, para ter espaço para, se um dia o quiser, voltar. Sair era a parte fácil, deixar o partido de molho, preparado para o seu regresso, se e quando lhe aprouver, era o difícil, senão impossível. Portas transformara afinal o CDS/PP numa espécie de Partido unipessoal. E, no entanto, Portas conseguiu-o.

Não deixa de dar um certo gozo ler o que tem sido escrito. José Adelino Maltez, monteirista arrependido, já canta hossanas ao novo líder do CDS, sonhando porventura já com o regresso dos PNDs, que Monteiro já não conta, ao PP, outros como Rui Albuquerque ou José Bourbom, falam, embevecidos, numa vitória das bases, num sinal de vitalidade e vontade, contra os comentaristas, outros, ainda, preferem justificar as coisas com o discurso da vida de Ribeiro e Castro. O Dr. Portas deve estar a rebolar-se ainda, perdido de riso. Não foi bem assim. As coisas começaram a ficar claras no final da semana passada quando se soube que Abel Pinheiro, o homem das finanças de Portas e do PP, não iria apoiar Telmo Correia.

Sexta-Feira, durante o dia, Portas, himself, deu carta branca ao seu inner circle de colaboradores, para cacicarem abertamente a favor do corredor de fundo Ribeiro e Castro, deixando aliás descalço e no meio da rua o líder espiritual d'O Acidental, incumbido de redigir uma moção para nada. Nobre Guedes juntou o útil ao agradável, o seu a Telmo Correia, desde os tempos das guerras na Distrital de Lisboa, à prossecução dos seus interesses de médio prazo. O resto foram as leis da gravidade a funcionar.

Portas sabia que não podia entregar o partido a uma troupe vista como de meros portistas fiéis, com Monteiro aprendeu dos riscos de as criaturas, a prazo, ganharem vontade própria e se revoltarem contra o criador, também sabia que o portismo, sem ele, seria um fantasma que o perseguiria e só lhe limitaria ambições e margens de manobra futuras.

Portas sabia ainda que sem uma liderança forte, carismática, qualquer solução portista resultaria a prazo em deserções, ou cisões, uma coisa é Maria José Nogueira Pinto ou Lobo Xavier baixarem a bola perante um líder forte, outra, totalmente diferente, é manterem-se sossegados perante um novo líder que os despreza e que desprezam.

Portas sabia tudo isto, Telmo Correia não. De tabú em tabú, completamente inebriado, Telmo Correia resolveu imitar Portas e deu-se mal. Deu-se mal porque não tem um milésimo da massa cinzenta deste (e da de Nobre Guedes) e porque fundamentalmente não percebeu que sem Portas o PP não podia continuar a ser o mesmo.

Entra Ribeiro e Castro, suficientemente apagado para não gerar os anti-corpos de uma Nogueira Pinto, ou de um Lobo Xavier, suficientemente distante para federar todos os que não estiveram com Portas estes anos e suficientemente pragmático para não recusar o apoio de Portas himself. A sua vitória é a prova provada de que o PP, com Portas, foi mesmo um partido unipessoal, o aparelho sénior, concelhias e distritais, bem que se entregou a Telmo, mas bastou um sinal - Abel Pinheiro, para não falar em Nobre Guedes - claro e inequívoco do que realmente queria Portas para a plebe se render a Ribeiro e Castro. Absolutamente poético.

Podem por aí perorar à vontade sobre derivas à esquerda, à direita, liberais ou ao centro, o CDS/PP está hoje onde Portas o quer, e sobretudo está unido e federado. Portas deixa assim o CDS mais ou menos como o encontrou antes de Monteiro, cinzento, respeitável e inócuo, um misto de senadores e patrícios, sem rasgo nem chama. E sobretudo deixa o PP numa posição dócil de não frontamento ao PSD, mas sobre isso falaremos noutra altura...

Ribeiro e Castro dará um bom feitor, todos os excluídos da era portista estão agora devidamente reintegrados, até os freitistas... e quanto aos boys de Portas, liderados por Telmo, resta-lhes o consolo que um dia, mais tarde ou mais cedo, Portas voltará. Resta saber se nessa altura Portas ainda precisará deles...

Em tempos do Diabo se disse que o seu maior feito foi ter convencido a Humanidade que (já) não existia...
.

Publicado por Manuel 22:17:00 4 comentários Links para este post