Um futuro triste

A Europa está na iminência de se tornar num gigantesco lar da terceira idade. Os jovens preferem cuidar de cães que pejam de excrementos os jardins onde putativas crianças deviam correr e saltar. Os animais podem aguardar passivamente no quarto que os donos se levantem pelas duas da tarde. Não competem pelos mimos da mamã que lhes prepara e leva o pequeno-almoço à cama. E, se ainda assim pesar a responsabilidade, sempre os podem despejar tranquilamente na berma da auto-estrada.

Publicado por Nino 16:00:00  

5 Comments:

  1. Anónimo said...
    Isso é a Europa toda , ou só um bocado dela? a mim não parece nada o que vi em Londres e Amesterdão...

    Zoingadoinga
    Anónimo said...
    Caro Ninno

    Não desesperes. Depois da legalização do aborto, os novos arautos da civilização talvez consigam legalizar o infanticídio.

    Nesse caso, os cãezinhos e os bebés estarão em pé de igualdade.

    Finalmente, talvez se legalize o geronticídio. E o problema estará resolvido.

    A Civilização brilhará refulgente na Europa! Finalmente!...
    o lugar da memória, papel da ruina said...
    há que ver o lado positivo das coisas... para haver aumento e renovação da população é necessário que um casal tenha em média 2,1 filhos, todavia se não os tiver a sociedade a curto prazo vai sofrer porque a segurança social não terá tanto dinheiro para pagar aos reformados, porém se a sociedade é idosa e não trabalha... haverá mais procura de emprego, haverá mais emprego e melhores ordeados... problema resolvido. Não sei o porquê da problematica da diminuição da taxa de natalidade
    Olindo Iglesias said...
    Infelizmente fala-se muito das politicas de imigracao e muito pouco das politicas de apoio 'a familia e de incentivo 'a natalidade.

    E' a velha questao das prioridades erradas!...
    Anónimo said...
    ó Queridos, por acaso algum de vocês é do sexo forte, do feminino? Não, poi não? logo vi, para tanto apregoarem ao nascimento de meninos e mais meninos é porque nunca gritaram com as dores de parir! Mas como se não chegasse, e com todo esse à vontade, são vocês que, depois de terem os meninos, já grandes, lhes vão dar emprego? Pois, pois.

Post a Comment