Pedroso

Paulo Pedroso tem qualidades políticas estimáveis? Terá. É indispensável nas listas do PS? Ninguém o é. Tem ambições? É legítimo. Até prova em contrário, é inocente em qualquer processo judicial em que esteja envolvido, nem que seja apenas lateralmente? É indiscutível. Pedroso devia ter sido o primeiro a solicitar a José Sócrates que não contasse com ele nestas eleições em vez de lhe criar um problema? Sem dúvida.

Publicado por João Gonçalves 08:27:00  

4 Comments:

  1. Anónimo said...
    Por aqui se vê como alguns políticos gostam tanto da causa pública, de servir o povo, representando-o. Sem dúvida! Acho que se o homem quer ser eleito, o presidente do PS deve acolhê-lo. É apenas mais um de muitos outros que já estão na grelha da partida. Vrummm...
    Anónimo said...
    Não podia ser de outra forma. Se o partido, reitero o partido, considerou que Pedroso foi uma vitima na cabala montada contra o PS(ainda se lembra?) não tem legitimidade de princípios em exclui-lo, exactamente pelo seu envolvimento nesse mesmo processo. Não penso que seja um problema, tão só uma fragilidade política.
    Lagrima.blogs.sapo.pt
    LS said...
    Caro João, concordo inteiramente consigo. Seria um inegável sinal de elevação se o senhor Paulo Pedroso tomasse, ele próprio, a iniciativa de se auto-excluir das listas. Com isso não negava nada do que tivesse dito anteriormente nem tão-pouco o fragilizava ante a história da cabala, antes reforçava a sua postura, permitia-lhe (e ao partido) desenvolver a chamada "moral republicana" e conferia-lhe a sempre necessária (e purificadora) travessia no deserto. Terá sido mais uma oportunidade perdida.
    http://abnegado.blogspot.com
    Anónimo said...
    E esta não será também uma questão interessante?

    Lisboa, 04 Jan (Lusa) - Os "outdoors" de pré-campanha do PSD que incluíam fotos de todos os primeiros-ministros do partido vão ser alterados, depois de Cavaco Silva ter recusado que a sua fotografia aparecesse, disse hoje à Lusa fonte social-democrata.
    De acordo com a mesma fonte, os cartazes já estavam prontos e, além das fotografias de Cavaco Silva, Sá Carneiro, Pinto Balsemão, Durão Barroso e Pedro Santana Lopes, apenas incluíam a frase "ninguém fez mais por Portugal".
    Contudo, Cavaco Silva recusou, em carta enviada ao secretário- geral do PSD, Miguel Relvas, que a sua fotografia aparecesse ao lado dos outros quatro chefes de Governo do PSD.
    Na carta Cavaco Silva alegava que estava fora da vida partidária e que a utilização da sua fotografia em "outdoors" do partido iria interferir com a sua "carreira académica".
    "Apesar de não sermos obrigados a pedir autorização, porque se tratam de figuras que são património do partido, fizemo-lo. A família de Sá Carneiro, Durão Barroso, assim como Pinto Balsemão autorizaram, apenas Cavaco Silva recusou", disse a fonte, lamentando a atitude do ex-primeiro-ministro.
    "Nós não apagamos a história do partido", acrescentou.

Post a Comment