O Independente desta sexta-feira traz uma interessante peça, discretamente mencionada na capa, sobre as aventuras de um mestre de obras, de seu nome Luís Filipe Vieira. Está lá tudo, negócios obscuros, relações perigosas, empresas públicas, hiperbólicas decisões governamentais, autarquias, um partido e até sociedades de advogados. Só no casozito citado fala-se em verbas da ordem dos 500 milhões de €uros, a maior parte miraculosas mais-valias. Num país normal, António Mexia, essa virgem que agora aterrou na política, Carmona Rodrigues, Pedro Santana Lopes e, claro, Luís Filipe Vieira iam a correr prestar esclarecimentos à PGR... Mas como estamos em Portugal logo é apenas business as usual, ou ainda iamos ter uma cabala contra o presidente de 6 milhões de Portugueses, i.e. do Sport Lisboa e Benfica. Ao que vale, contra ventos e marés, a norte, o Apito ainda não ficou sem pilhas.

Publicado por Manuel 01:01:00  

4 Comments:

  1. LS said...
    Oh Manuel corrija lá p.f. o primeiro parágrafo. é, certamente, o verbo trazer que quer utilizar, substitua lá o arreliador "s" pelo mais consensual "z".
    O Manuel certamente desculpará a ousadia, mas nesta "casa" que visito amiude e nos seus escritos não ficaria correcta esta pequena falha.
    Um abraço.
    S. João said...
    E, já agora, tire o acento de "tráz" e o hífen de "ia-mos". Obrigado! Deus lhe perdoará.
    Adélio Pinho said...
    E, já agora, corrigir o link para o site d'O Independente...
    Anónimo said...
    O APITO, um dia destes, cala-se. Você, MANUEL, não vê quem são os arguidos?

Post a Comment