double standards

Eu acho muito bem que se explique tim-tim-por-tim-tim toda a história de Felgueiras, 'doa' a quem doer. Acho-o desde muito antes de esta estar sequer no mapa. Convém é que haja, Paulo, um mínimo de coerência, e uniformidade de critérios. Afinal, sobre o boicote do DCIAP de Cândida Almeida às 'sugestões' de prisão de Joaquim Raposo, o 'patrão' da Área Metropolitana de Lisboa, e não só, denunciado na última Visão, ninguém levantou um dedo. Até já vi, num passado recente, defender que Isaltino, de Oeiras, era 'diferente' de Fátima e Valentim, esses dois da 'província'. Com Raposo, da Amadora, a história repete-se. Depois espantem-se por o discurso da santinha da ladeira felgueirense colar em Felgueiras, e arredores. De facto, ela até tem razão - 'se os outros se safam todos porquê eu?!'. Sim! Porquê ela ? Quanto a Souto Moura 'isso é lá com eles'...

Publicado por Manuel 20:41:00  

2 Comments:

  1. pisca-pisca said...
    TRIPLE REVENUES

    "Pensões: Soares uma, Cavaco três"

    «Em termos de pensões, bem se pode dizer que Cavaco Silva bate Mário Soares por três a um, de acordo com os dados fornecidos pelas duas candidaturas presidenciais.

    A polémica já estalou, em torno da pensão que Cavaco Silva recebe do erário público por ter sido durante dez anos primeiro-ministro (entre 1985 e 1995).

    Soares trouxe o caso à baila, não para criticar o facto de Cavaco auferir a pensão, mas antes para desmontar o argumento do próprio Cavaco, que diz não pertencer à classe política.

    O Estatuto Remuneratório dos Titulares de Cargos Políticos foi alterado recentemente (e, por exemplo, o regime para os autarcas continua a gerar polémica) na Assembleia da República. E, em nome do fim das 'regalias injustificadas', decidiu-se acabar, entre outras regalias, com as pensões vitalícias que eram atribuídas aos ex-primeiros-ministros - a pensão apenas se mantém para os ex-presidentes da República.

    Mas a lei não é retroactiva e ambos os candidatos podem continuar livremente a receber as suas pensões.

    Segundo dados fornecidos pela candidatura de Mário Soares, este abdicou de uma das pensões, por ter sido advogado, limitando-se a receber aquela a que tem direito por ter sido chefe de Estado. E que corresponde a 80 por cento do vencimento do Presidente da República (ou seja, a cerca de 5600 euros).

    Quanto a Cavaco Silva, e segundo o que já foi noticiado, recebe três pensões, num total de 9356 euros mensais. Uma por ter sido funcionário do Banco de Portugal, uma outra paga através da Caixa Geral de Aposentações por ter sido professor catedrático de Economia na Universidade Nova de Lisboa. E uma terceira, ainda, pelo facto de ter chefiado o Governo durante uma década. Esta subvenção, segundo Cavaco, é no valor de 2876 euros líquidos por mês.

    (Diário de Notícias de 31-10-2005)
    xatoo said...
    pois,,,
    a alcunha do PGR Souto Moura nos meios forenses é,,,
    "o almofadinha"

Post a Comment