boletim meteorológico

Senza sforzo e più comodamente potevi metabolizzare il sentimento diffuso del momento che è stato, negli anni, il senso d'impotenza e il dolore prima e poi la rabbia e l'indignazione e ancora la speranza e ora, con questa decima serie, l'insopprimibile desiderio di "voltare pagina", di non parlarne più di mafia, mafiosi, politici corrotti e progetti politici. Per favore, chiudete la Piovra, seppellitela da qualche parte.

La Repubblica


  • Em Coimbra, este fim de semana, uma mulher, que acompanhava uma amiga, numa ida, à urgência de um Hospital, é pontapeada até à morte... Nas TVs os directores do hospital em causa descartam responsabilidades, acham tudo normalíssimo, e atribuem o 'incidente' a uma mera imprevisibilidade da vida. A desafortunada vítima, presumivelmente sem grandes posses e de origens humildes, rapidamente passará ao esquecimento. Falta-lhe, post mortem, ser militante do PS e um qualquer amigalhaço - tipo Saldanha Sanches - para defender os seus interesses. Todos iguais, desde que se tenha dinheiro e influência, e os amigos, claro.
  • No caso Maddie(gate) continuam as perplexidades. Não deixa, contudo, de ser curioso, assaz curioso, continuar a ver os mesmos que aprovaram a relaxada e atabalhoada revisão das Leis Penais, os mesmos que tanto berraram no Caso Pio, face a provas e testemunhos tangíveis, serem os mesmos que se curvam, assobiando, perante uma mão cheia de nada (associada a uns alegados estados de alma caninos) numa lógica patrioteira, e/ou corporativa, face àquilo que tem sido um óbvio, e monumental, espalhanço de quem, a PJ - primeiro e antes de todos - devia saber que o bluff é sempre a morte dos artistas.
  • Para finalizar, estreou ontem à noite na RTP/Memória mais uma série d'O Polvo, a décima e última, a da resignação. A juíza Silvia Conti foi encostada, o 'Professor' Ramonte, o meta mafioso, de colarinho branco, (mação de topo e com uma queda por meninos de tenra idade) foi libertado, por juízes seus 'irmãos' na confraria lá do sítio, e os dissidentes ganham um bilhete rápido... para o cemitério, sem volta. Resta Tano, Tano Cariddi. Pura ficção já se vê. (ler mais aqui e aqui)

Publicado por Manuel 12:22:00  

3 Comments:

  1. Curiosa said...
    Desvio-me do tema do post, mas gostaria informar sobre a

    PETIÇÃO EM PROL DAS CRIANÇAS VÍTIMAS DE CRIMES SEXUAIS

    Para estabelecimento de medidas sociais, administrativas, legais e judiciais, que realizem o dever de protecção do Estado em relação às crianças confiadas à guarda de instituições, assim como as que assegurem o respeito pelas necessidades especiais da criança vítima de crimes sexuais, testemunha em processo penal.

    ASSINE e DIVULGE

    COPIE O TEXTO DA PETIÇÃO E PUBLIQUE NO SEU BLOGUE – ao divulgar já está a ajudar.

    http://www.petitiononline.com/criancas/petition.html
    Pedro Namora said...
    Eu também queria pedir se o vosso blogue pode apoiar e divulgar a petição.
    Muito obrigado.
    josé said...
    Por mim, pode e deve. Há uma altura em que se deve tomar partido. E este caso é importante, neste momento.

    Deixo ao cuidado dos Administradores.

Post a Comment