Telhados de vidro?

A propósito de uma notícia na última página do jornal O Crime (!), sobre Vital Moreira e o seu exercício público da profissão de professor universitário, se a mesma se confirmar como verdadeira ( e espera-se que o mesmo esclareça rapidamente), apetece dizer que quem tem telhados de vidro de ética, nunca deveria atirar pedras de vitupério aos outros.

Publicado por josé 00:21:00  

7 Comments:

  1. rb said...
    José,

    Você tem mesmo uma fixação pelo homem, de 3 em 3 posts o alvo é sempre o mesmo, seja porque for.
    Já agora, afinal, qual é a notícia? É que eu não leio jornais de tão elevado calibre como o crime.
    Luis said...
    O "Crime" não passa de um imundo monte de esterco. Não se pode estar a dar qualquer réstea de credibilidade a um vazadouro de esgoto donde só sai podridão.
    ACholdra said...
    O farol da Lusa-Atenas não passa, há muito, dum pregoeiro do governo Socretino. Alguém lhe chamou o Noddy do mesmo!

    Mas eu tb não sei, qual é a revelação do Crime?
    josé said...
    A revelação prende-se com a assiduidade do professor Vital, na Universidade Pública, a reuniões de direcção, com dezenas de faltas injustificadas e ainda dezenas de faltas a um curso do qual era professor, sem que houvesse substituição.

    Se for verdade- e ninguém o desmentiu, muito menos o próprio que prefere não dar espavento à coisa a ver se passa- é um exemplo flagrante do velho ditado : bem prega frei Tomás...
    jorge100 said...
    Quem lê VM no seu blog não pode acreditar que isso seja verdade. Eu não acredito, como não acredito que VM tenha alguma reforma por ter sido deputado ou Juíz do Tribunal Constitucional. Se fosse verdade não escrevia os comentários que faz. Não! ainda acredito nas pessoas.
    josé said...
    Os factos que li no Crime, mesmo com o desconto que costumo conceder ao jornal, parecem-me suficientemente sólidos para merecerem um desmentido do visado. Que tarda. Quem cala consente. Mas pode ter a certeza o professor Vital que por aqui, o assunto não cai em saco roto.

    Não é por nada de especial, mas que se arma en regulador dos outros, deve começar por se regular a si próprio.
    antonioferreira61 said...
    Verificar a veracidade desta denúncia bem como o grau de gravidade da suposta tramóia é, verdadeiramente, matéria de interesse público – acabar, de vez, com a bravata desse arquiestalinista!

    António Ferreira

Post a Comment