Vanessa da Mata


«Viva a felicidade
Abolindo quase toda a maldade
Como se o amor trouxesse o gozo da infância

Bem que volta à inocência
Bem de ter carinho e delicadeza
Viva o que nos torna o bem maior da natureza

Ai, eu era sem primavera
Dessas que o ano não principia
Poesia não me dizia
Ternura em mim não havia
Faltava encanto na melodia

Não parava uma saudade
Velha de pouca idade
Ia vivendo a necessidade…»

«Bem da Vida», Vanessa da Mata


Seis anos depois do dia mais infame para o Ocidente, na história do pós-II Guerra Mundial, felizmente o Mal não prevaleceu. Eles tentaram, por vezes assustam-nos, como no 11 de Março em Madrid e no 7 de Julho em Londres, mas não venceram.

Publicado por André 13:40:00  

1 Comment:

  1. Luis said...
    Gostava tanto
    de me poder perder
    na perfumada Mata
    da Vanessa
    Ia ficar tão Bem
    da Vida

Post a Comment