'- Investiga-os Mizé! e já!'

A prova de agregação (académica) de Saldanha Sanches, na FDUL, foi chumbada, hoje, (6 votos contra 3).

Publicado por Manuel 15:42:00  

16 Comments:

  1. zazie said...
    Quando aconteceu o mesmo ao Garcia Pereira ele disse que o tipo era paranóico, por isso...
    josé said...
    Não se pode ter tempo para tudo.
    6-3 é um chumbo eloquente.

    Espero que tenha sido só por causa da escrita, porque o tipo escreve mal o português. Às vezes, nem se compreende o que quer dizer.

    De resto, tem sempre lugar na escrita crítica de jornal ou em entrevistas para denunciar corrupções genéricas que se revelam pontuais e mesmo assim incertas.
    zazie said...
    Não faço ideia mas, neste caso de chumbos em provas de agregação sou menos ingénua.

    Não há tradição de se chumbar ninguém por esse motivo. Aconteceu com o Rafael Moreira que é um excelente historiador e não foi questão ingénua. Foi literal perseguição que nada teve a ver com política, mas com sombra que o seu trabalho faz ao que foi arguente.

    Neste caso não imagino os motivos. Mas não há-de ser por causa do português, acredite.

    Só me lembrei do Garcia Pereira pois esse é que se queixou publicamente que também o tinham chumbado em provas internas e o SS, com o seu cinismo habitual, na altura fartou-se de gozar com isso.

    Não há nada como provar do seu próprio fel.
    Jack . said...
    Também aconteceu em tempos idos, segundo li, com Cunha Gonçalves, grande civilista que não foi admitido pela FDUC apesar de doutorado por Coimbra e, a seguir também recusada a sua admissão a docente da FDUL. Felizmente para ele, o Brasil acabou por lhe dar o reconhecimento merecido. Escreveu, entre outras obras, o tratado de Direito Civil em 15 (edição portuguesa) e 29 Volumes (edição luso-brasileira, com a colaboração de professores brasileiros). Não estou aqui a defender SS, nem estou a pôr em causa o 6-3 que até é um bonito resultado em futebol mas, começo a ter algumas dúvidas sobre as provas de admissão a qualquer coisa neste meu pobre Portugal.
    zazie said...
    Não tem a menor comparação. Não se trata de provas de admissão mas de final de todas as provas. Por isso é que é raro acontecer. O resto é perfeitamente habitual. Nas últimas provas- as de agregação é que não é nada natural haver chumbo.
    Carlos said...
    Mas, se não há reprovações nas provas de agregação, para que as há então?
    zazie said...
    A instituição académica é medieval. Não vale a pena tentar-se perceber sem entender isto.
    zazie said...
    E o caso com o Garcia Pereira nem foi de provas de agregação. Foram outras quaisquer. Chumbo em agregação não acontece.
    josé said...
    Braga de Macedo e Diogo Leite Campos) e sete internos: Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Miranda, Menezes Cordeiro, Fausto de Quadros, Teixeira de Sousa (director da faculdade), Paulo Otero e Paz Ferreira.

    Foram estes os carrascos.

    Saldanha já disse que chumbou porque o júri, não entendia a tese que apresentou...e por outro lado a questão nem era de ´jurídico-científica, mas apenas...política. Uma questão de afirmação de posicionamento de poder, dento da faculdade, terá dito.

    Nem se apercebeu da contradição...
    josé said...
    Ora deixa lá ver...o Saldanha não é da Maçonaria. Da Opus dei também não.
    É um free lancer da opinião, agora armado em d. quixote contra os moinhos de vento da corrupção autárquica, do futebol e do fisco. Não, do fisco agora parece que já não é. Mas já foi. Aqui há uns tempos atrás, não se aproveitava vivalma das repartições e direcções de FInanças.

    Assim, estava sozinho naquela sala e aparentementesem apoios tácitos.

    Deveria ser assim, sempre, com todos.

    Como é que Mrcelo teria votado?
    Voto em que votou a favor.
    Um que votou contra, manifestamente foi Leite Campos, o homem que já disse que nunca viu corrupção em lado algum. Ou será que é outro Leite Campos ( são mais que as mães)?
    zazie said...
    José,
    Não faço a mínima ideia. Como disse, a instituição académica é medieval. O que significa que as solidariedades aos feudos e aos estandartes dos "senhores" são muito maiores e mais complexas que a simples partidarite.

    Pode ter sido apenas isto. Quem é que ele serviu lá dentro e quem é que serve agora. O facto de ter feito doutoramento com o Martinez marcou muito. Depois do Martinez passou para porta-estandarte interno de quem?

    Só sei do caso do Rafael Moreira que é das melhores pessoas do mundo e excelente historiador. E o Pedro Dias aproveitou as provas de agregação para se vingar. E a Acciaiuoli que era colega dele, aproveitou a natural mesquinhez para também votar pelo chumbo.
    Claro que, como foi uma injustiça tão grande, até houve cartas de apoio e quem caiu em desgraça não foi ele. Mas a verdade é que ainda não repetiu as provas.

    É um pro-forma. Depois disto é-se catedrático. Não há tradição de chumbos. No caso da Nova, com o Rafael Moreira foi o primeiro.

    Mas Direito é mais complicado. Aquilo é mesmo um centro de formação de capelas de poder. Ele gozou com o Garcia Pereira, agora experimentou o veneno.
    josé said...
    Tem razão. E eu até gosto do Saldanha, embora não pareça...
    Gosto como pessoa e como escriba de jornal. Mas escreve mal o português, lá isso escreve.

    Quanto ao que diz, não sei se leu as memórias do José Hermano Saraiva que tem vindo a ser publicadas em suplemento ao Sol.
    Aliás, vou transcrever duas histórias desse tempo e sobre este assunto, quando tiver tempo e que demonstram exactamente aquilo que diz.
    portolaw said...
    Será que a Mizé vai chamar o CSI para analisar as impressões digitais e ADN nas bolinhas pretas?
    Ou vai pedir uma alteração legislativa para reintroduzir a tortura para levar os prevaricadores a confessar?
    DONO said...
    Portolaw :
    Peço desculpa, mas que "boquinha tão marota".
    Num momento que não deve ser fácil para o SS e a Mizé , vamos pelo menos separar as bolas...
    Cá entre nós : uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Não concorda?
    zazie said...
    Não li não, José.

    Quanto ao SS nem me vou pronunciar. Na verdade acho que ele é isto mesmo- cínico que sabe encostar-se ao lado que dá mais. E faz isso com aquele duplo pensar de quem parece que nunca teve nada a ver com o outro lado, onde dias antes ainda estava.

    Neste caso há-de ter sido vítima, no sentido em que não é hábito chumbar-se ninguém em provas de agregação.
    zazie said...
    Quanto a escrever mal português já tive surpresas maiores. Não sei se conhece o blogue Geração 60. Apareceram lá textos que nem na 4ª classe. Até eu, que escrevo com os pés, não redigia vergonhas daquelas

    ";O))

Post a Comment