adenda



... ao postal anterior, e ao postal do JPP - Um destes dias, na litânia diária da TVI, que - nestes tempos modernos - substitui a antiga catequese, e que dá pelo nome de 'Morangos com Açúcar' um aluno, 'teenager' exemplar, 'bacano' q.b., dava aulas a uma 'setôra' de... técnicas avançadas de 'copianço', sim que a 'setôra' - outra 'bacana' - ia ter um qualquer exame e estava atrapalhada.
Naquele pequeno episódio está um todo um programa, toda uma mentalidade, todo o porreirimo das últimas gerações. Espantam-se pois de quê ? De haver profs de matemática que não sabem a tabuada, e contam pelos dedos ? Profs de português que nem o abcedário sabem ? A sério ? Quantos paizinhos é que preferem que os filhos chumbem a passarem administrativamente para embelezar as estatísticas ? É, pois é... Obviamente, isto tudo vai acabar mal.

Publicado por Manuel 13:38:00  

3 Comments:

  1. JM Coutinho Ribeiro said...
    José: há dias, em comentário que fez a um postal seu, a propósito do caso Charrua, escreveu que «há crimes de injúria e difamação que não dependem de queixa do próprio...» E, por remissão do artº 188º do CPenal, elencou as pessoas que são referidas na al. j) estão no artº 132 CPenal.

    Tudo para explicar que não teria que ser Sócrates a apresentar queixa de Charrua, já que, no seu caso, bastaria a participação apresentada por qualquer pessoa.

    Nestas coisas do direito nem sempre há certezas e fiquei baralhado. Depois esqueci-me do assunto e hoje voltei a lembrar-me dele, para concluir coisa diferente da que concluiu o meu amigo.

    E qual é? No caso de difamação ou injúria às pessoas elencadas no 132/j, continua a ser necessário que o próprio se queixe, deixando, porém, a acusação de ser particular. Creio que a referência a participação que se faz no artº 188º tem a ver só com os casos do artº 187º (ofensa a pessoa colectiva, organismo ou serviço).

    Questão diferente será quando o visado pelo crime de difamação ou injúria seja o presidente da República (artº 328º do Cpenal). Aí o procedimento criminal é desencadeado independentemente de queixa e só cessa se o PR declarar expressamente que dele desiste.

    Porque temo estar com o raciocínio viciado e, por isso, não ter razão, peço-lhe que pense um bocadinho no assunto e me diga a que conclusão chegou.

    Abraço cr
    Arrebenta said...
    Luto Total na Blogosfera Portuguesa: "The Braganza Mothers" encerra hoje as suas portas.

    http://braganza-mothers.blogspot.com/2007/06/um-fim-final-do-portugal-profundo-black.html#links
    Pedro Oliveira said...
    Isso de os professores de matemática contarem pelos dedos é uma rotunda mentira! Tal como o meu filho sublinhou, afinal de contas Portugal é um país desenvolvido e todos eles têm calculadoras.

Post a Comment