Mexilhões

O Miguel, nosso vizinho na blogger, resolveu voltar à carga sobre o BES em Espanha. E, roçando a fronteira do delírio, afirma desta vez que o meu grande drama é "a pátria que corre perigo — e o Carlos oferece-se para avançar para as trincheiras". Antes de mais, convém fazer uma declaração de interesses: não fui à tropa, logo seria um péssimo soldado (apenas me desenrasco no Medal of Honor). Agora deixo-lhe uma pergunta: onde está o mexilhão espanhol? Não lhe parece que em Espanha "alguns chicos-espertos foram apanhados nas malhas, mas ainda não há nenhuma evidência de que os “produtos bancários” “oferecidos” nos balcões das instituições bancárias fossem do conhecimento das próprias instituições bancárias e, muito menos, dos banqueiros. Conhecem a estória do mexilhão?". Em que ficamos?

Outro abraço....

Publicado por Carlos 16:49:00  

4 Comments:

  1. Coutinho Ribeiro said...
    Carlos:
    Receio não ter percebido: então os bancos não sabem os produtos que oferecem?
    E, já agora, quem são os mexilhões da história?
    Abraço - Cr
    Carlos said...
    Precisamente meu caro..mas o miguel, em Espanha, não pensa assim
    António P. said...
    Caro Carlos,
    Estou com o Coutinho Ribeiro:
    - não percebo a questão dos produtos que os bancos vendem ( ou não vendem ?) ?
    - e afinal na sua história quem é o mexilhão ?

    Já agora porque será que só o BES e o PARIBAS foram investigados ?
    Já reparou no que têm de comum ?
    Ambos não são espanhóis.

    Cumprimentos
    SEM PALAVRAS said...
    CARO AMIGO

    ENTREI PARA A BANCA EM 1972.
    PASSEI PELAS NACIONALIZAÕES.
    PASSEI PELAS PRIVATIZAÇÕES.

    E ANDAM AÍ " UMAS INTELIGÊNCIAS RARAS " A FALAR DAQUILO QUE NÃO SABEM NEM PERCEBEM PATAVINA.

    DÁ NOJO OUVI-LOS, QUE FALEM DE AVIÕES, COMBOIOS, DA NASA, MAS POR FAVOR NÃO FALEM DAQUILO QUE NÃO...SABEM PATAVINA

    UM ABRAÇO

Post a Comment