o corvo que queria ser águia

Aqui fica uma fábula, também em espanhol, mas do corrente, e também, curiosamente, de Esopo.

Lanzándose desde una cima, un águila arrebató a un corderito.
La vio un cuervo y tratando de imitar al águila, se lanzó sobre un carnero, pero con tan mal conocimiento en el arte que sus garras se enredaron en la lana, y batiendo al máximo sus alas no logró soltarse.
Viendo el pastor lo que sucedía, cogió al cuervo, y cortando las puntas de sus alas, se lo llevó a sus niños.
Le preguntaron sus hijos acerca de que clase de ave era aquella, y les dijo:
- Para mí, sólo es un cuervo; pero él, se cree águila.


Moral da história: a presunção é uma estupidez.

Publicado por josé 12:30:00  

13 Comments:

  1. Inês said...
    Felizmente que você é uma verdadeira águia, José!
    Inês said...
    Espero que um pai não venha a explicar aos filhos que apanhou uma águia... que se julgava anjo!
    josé said...
    um pastor, todavia, es mejor...
    jack, o estripador said...
    Caro José:

    O amigo é o presunçoso, o estúpido, ou ambos?
    Essa de gozar com o Pacheco do Abrupto até poderia ter graça, mas neste contexto não passa de dor de corno... neste historieta, o Pacheco é a ovelha e o José o corvo...
    Vá fazer companhia às criancinhas e consolar as mulherzinhas. Elas não precisam de "águias", só querem companhia...
    josé said...
    Jack:

    O meu mail é este:

    jmvc@sapo.tp

    Se tiver coragem, assuma um nome e insulte-me pessoalmente.

    Se não fizer, escusado será dizer o que é. Você já sabe, aliás.
    josé said...
    Jack:

    Fui mesmo agora ao mail: nada!

    Você nem precisa de ser insultado.
    Inês said...
    Ó José, desculpe lá, mas a sua regra é:
    "para eu dizer o que quiser, é em público, mas para que me respondam é em privado"?

    Calo-me já...
    David Oliveira said...
    Tá a ver que eu tenho razão no que lhe escrevi ontem!Era para mim uma coisa impensável de vir a acontecer ... mas afinal você está a tentar parecer-se , ou a deixar que tal aconteça, com o Blasfemias e com o Do Portugal profundo.
    Bem faz o tal de Pacheco que isso de comentários só depois de passarem pelo crivo ... e quem quiser lê, quem não quiser larga!
    Abraços vizinho
    josé said...
    Não, Inês. Para si, abro uma excepção: como já disse muitas coisas e não escondeu a cara ( até se nota um olhinho bonito), pode continuar.

    O meu recado é estritamente para o jack que se refere ao meu trabalho quando isso tem nada a ver com o que por aqui escrevo.

    Era para ver se teria a coragem de assumir a identidade e insultar-me por escrito e em particular.
    Inês said...
    «um pastor, todavia, es mejor...»

    Porquê?

    A qualidade de "pai mestre" sobrepõe-se, em significância, à de "pastor" que apenas é citada para dar verosimilhança à cena (com carneiro e cordeirinho será provavelmente um rebanho; o humano presente um pastor).
    jack, o estripador said...
    Dear Jose:

    Maybe I´ll take up your challenge. But I, and only I, will dictate the timing of my actions.
    You seem to be nervous, excited. I seem to get under your skin. Good form me, don´t you think?
    By the way, an e-mail adress is only that - an adress. There´s no name.
    I believe you meant to write jmvc@sapo.pt, and not jmvc@sapo.tp. Where you trying to full saucy Jack, or whas it your nerves betraying you?

    Yours truly,

    Jack The Ripper
    josé said...
    Não, jack. Acabou o recreio.

    Fico à espera da coragem inexistente.
    Evidentemente, darei o meu nome completo.

    Quanto ao seu, aposto que já o conheço, o que ainda é mais lamentável.
    jack, o estripador said...
    Caro "José":

    Não esteja tão nervoso. Pode ter a certeza que não conhece o meu nome.
    Ninguém soube quem era (é) o Estripador...
    By the way, o e-mail acaba em pt ou não?

Post a Comment