a vaidade continua a ser o meu pecado favorito

O Dr. Pacheco escreveu ontem uma muito notada prosa no Público, que entretanto tornou acessível no Abrupto. Nele, faz a ponte entre o caldo que gerou o santanismo e os tempos que correm. É, sem tirar nem pôr, uma prosa mordaz e bem escrita, que logo galvanizou uma boa parte da inteligentzia 'oficial' a que temos direito. Numa leitura superficial nem é díficil concordar. Díficil, penoso até, é ter que reconhecer que 'aquilo' é um refinado exercismo de cinismo e demagogia. O autor coloca-se numa posição distante, superior como se o mundo, o universo, em que se move, no qual escrevee e para o qual escreve, fosse outro que não o mesmo que gerou, alimentou e matou (?) o Dr. Lopes e o Dr. Carrilho. Só que não é outro, é o mesmo. É por isso que no próximo Prós & Contras, na RTP/1 não resiste a ir 'debater', ou melhor, e em bom rigor, dar 'espectáculo', com Carrilho e Rangel (a quem tanto deve). É por isso que o tal texto saíu numa muito notada edição do Público que dedicou nada mais nada menos que 7 páginas ao ... 'Código da Vinci'. Não há diferença qualquer na substância entre o jet-set que se entusiasmou com o Dr. Lopes e vai agora a touradas e uma certa intelectualidade que se delicia nos raciocínios elaborados do Dr. Pacheco, e que de permeio devora avidamente o 'Da Vinci' no Público. No fundo, todos preferem ignorar a realidade. Uns, os primeiros, ignoram-na simplesmente, efabulando num qualquer universo alternativo, os outros fingem que não é nada com eles e limitam-se a teorizar, e apontar que a 'culpa', esse conceito vago e nebuloso, é sempre dos outros, ao mesmo tempo que, na prática, legitimam o tal 'universo alternativo', por incapacidade de falar de outra coisa que não dele. É esta convergência de agendas que tem como corolário a ida na próxima segunda-feira do Dr. Pacheco ao Prós & Contras, e a forma como o embate (com Carrilho) está a ser publicitado pela RTP, como se fosse uma qualquer mud wrestling (luta na lama) na TVI que é, essa sim, a verdadeira vingança póstuma de Dr. Lopes. Todos diferentes, todos iguais.

Publicado por Manuel 03:04:00  

1 Comment:

  1. Augusto martins said...
    A frida, que já se tranformou em eczema, ainda não sarou. Lambidela em lambidela, vai-se contendo, e Pacheco Pereira agradece.

Post a Comment