Um pequeno tombo para Ali, uma grande queda para a Europa

É um sinal da capitulação da Europa face ao islamismo. A deputada liberal de origem somali Ayaan Hirsi Ali, que denunciou a opressão feminina muçulmana num filme que viria a custar a vida ao seu realizador, Theo van Gogh, está prestes a ser expulsa do país que adoptou e honrou: a Holanda. Sob protecção policial permanente, Ayaan Hirsi Ali foi acusada num documentário televisivo local de ter forjado o estatuto de refugiada política na sua chegada ao país das tulipas, algo que a indigitada assumira e explanara anteriormente sem levantar celeuma. Atentos, os Estados Unidos cortejam-na para um lugar no prestigiado American Enterprise Institute, enquanto por cá se legitima no pacote do multiculturalismo a indiferença social perante o progresso dos crimes de honra e da coerção da liberdade.

Publicado por Nino 22:31:00  

1 Comment:

  1. hefastion said...
    "É um sinal da capitulação da Europa face ao islamismo".
    É um exagero esta sua conclusão.
    O seu raciocínio é de tal maneira radical que por essa ordem de ideias ninguém escapa.
    Vê algum mal no equilíbrio?

Post a Comment