Hipocrisia

Como é que aqueles que se afoitam em acusar o PGR e a PGR de violação sistemática do segredo de justiça, sem qualquer prova que não seja o mero wishfull thinking mais generoso, conciliam depois as exigências de prova mais rigorosas, em casos como o da Casa Pia?!

Como é que acusam sistematicamente quem não se pode defender porque evidentemente ninguém pode provar factos negativos como o apontado, e criticam ao mesmo tempo quem acusa tendo base indiciária muito mais forte do que aquela de que partem para acusar as violações ao segredo de justiça?

Como é que se compreende que as publicações de notícias resgatadas ao segredo de justiça, sejam alvo de censura pela violação do mesmo, e se deixe de fora os jornalistas que as publicam?!

Uma única resposta: hipocrisia!

Publicado por josé 02:06:00  

8 Comments:

  1. lv said...
    Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
    lv said...
    a que proposito é que se o governo queria ou nao demitir souto moura ia estar no processo de investigaçao em curso?

    ou sou eu que nao estou a ver bem a coisa? para mim é a mesma coisa que escrever que x falou com y que tinha ido à lavandaria.
    O Raio said...
    É relativamente óbvio que Souto Moura não tem perfil (uma forma simpática de dizer capacidade) para o cargo que exerce.
    A principio falou de mais. depois calou-se.
    Não consegue evitar as constantes fugas ao segredo de justiça.
    No caso Casa Pia tudo indica que a montanha vá parir um rato, etc., etc.
    E, sublinhe-se, as fugas ao segredo de justiça não podem ser atrubuídas aos jornalistas. As fugas são obviamente internas e é por aqui que se deve começar.
    Quanto muito, se depois se provar que um jornalista pagou a alguém da Procuradoria para ter acesso a processos em segredo de Justiça, esse jornalista será acusado de corrupção passiva mas nunca de fuga ao segredo de justiça pois ele não é funcionário nem agente da procuradoria ou da judiciária.
    Em resumo, Souto Moura deve ser corrido e quanto mais depressa melhor.
    josé said...
    A lógica perversa:

    Deveria ser óbvio para todos que nem o SOuto MOura é o autor das fugas, nem as vai parar nunca.
    Simplesmente porque nunca poderá fazê-lo.
    E porque é que não pode?
    Porque os processos em causa não estão na PGR. Estão no DCIAP; no DIAP, na PJ; nas outras polícias e noutros departamentos do MP por esse país fora.

    SOuto Moura não pode nem deve controlar todos esses departamentos por uma questão muito singela que deveria ser do conhecimento geral: A LEI NÃO PERMITE!
    Se SOuto Moura quiser controlar um processo tem de o avocar; chamá-lo a si e tornar-se responsável pelo mesmo pessoal e directamente.
    Sendo essa a lei, porque é que se vêem tantos sapateiros a querer tocar a partitura da canção do bandido, num rabecão emprestado?

    Porque isso lhes dá a importância própria de quem tem autoridade e voz de saber: "SOuto Moura pra a rua já! Eu é que sei! Esse SOuto é uma nódoa! Não é evidente?!"

    Tenho uma vez mais a dizer que para mim SOuto MOura tem defeitos como muitos. Algumas coisas fez que para mim seriam suficientes para sair.
    Mas o tempo passou e agora acho que já não são razões válidas.
    Mas não é por isto. Não é por ser responsável pelas violações de segredo de justiça.

    Souto MOura não tem mão no MP, porque é legalmente suposto que não tenha.
    É assim que a lei foi feita e parece-me bem.
    Então, pensem um bocadinho que seja:

    SOuto Moura sai.
    Entra por exemplo Rui Pereira. Por mim, nada tenho contra. Apesar de vozes contrárias não vejo à partida inconvenientes de maior.

    Então, o que vai acontecer?
    Rui Pereira vai parar instantaneamente as fugas ao segredo?!!
    Não vai. E digo mais: vão ser ainda mais graves!

    Deixem-me rir!!!!
    lv said...
    Souto Moura nao sabe quem é o responsável por aquele processo e por aquelas escutas?

    se sabe ou trata de resolver o problema com as pessoas em causa ou demite-se. Nao entendo o problema.

    e aquilo nem é segredo de justiça, é uso indevido de informaçoa escutada. ACho eu. Ou se calhar nao é, sei lá.
    tina said...
    É tão bom ver alguém a defender Souto Moura.
    Tonibler said...
    Caro josé,

    Porque é que alguém que tem uma procuração nossa para agir sobre as violações à lei, se vem lamentar, a nós, cada vez que essa violação existe? Para isso revogamos a procuração, certo?
    Não está em causa se o homem pôs a boca no trombone ou não. Aliás, é irrelevante. O que está em causa é que deveria agir e não lamentar-se. E quando se lamenta pela n-ésima vez, então é mesmo de revogar a procuração...

    Quanto aos jornalistas, quer dizer-me que aqueles cuja profissão é divulgar é que deveriam ser culpados, quando aqueles cuja profissão é proteger essa informação, se lamentam? Não, não é hipocrisia não acusar os jornalistas. Quanto muito é vergonha...
    rb said...
    QUEM CONTROLA A POLÍCIA?

    Sobre o MP e os orgãos de polícia criminal, diz-nos o nosso Código do Processo Penal:

    Artigo 55.º
    Competência dos órgãos de polícia criminal
    1 - Compete aos órgãos de polícia criminal coadjuvar as autoridades judiciárias com vista à realização das finalidades do processo.
    2 - Compete em especial aos órgãos de polícia criminal, mesmo por iniciativa própria, colher notícia dos crimes e impedir quanto possível as suas consequências, descobrir os seus agentes e levar a cabo os actos necessários e urgentes destinados a assegurar os meios de prova.

    Artigo 56.º
    Orientação e dependência funcional dos órgãos de polícia criminal
    Nos limites do disposto no n.º 1 do artigo anterior, os órgãos de polícia criminal actuam, no processo, sob a direcção das autoridades judiciárias e na sua dependência funcional.

    Como pode o MP, lavar as suas mãos, qual Pilatos, e dizer que o mau funcinamento das investigações penais, onde a violação do segredo de justiça é apenas um episódio, tem a ver com as polícias, ou, até com os jornalistas!!
    Relativamente ao (não)segredo de justição: Então não se devia curar primeiro de saber donde proveio a fuga de informação. Naturalmente, ela só pode vir do próprio MP, que dirige a investigação, ou da polícia, que actua na sua dependência funcional. Ou não?!

Post a Comment