Banal a entrevista de António Borges à RR/2:/Público. Banais as perguntas e banais as respostas. O que já não seria nada banal era solicitar ao entevistado que explicasse melhor a natureza precisa da sua colaboração com o anterior governo no que ao sector da energia diz respeito. As explicações ora dadas são por demais insuficientes, e... inconsistentes.

Publicado por Manuel 17:59:00  

2 Comments:

  1. Luis M. Jorge said...
    O problema, Manuel, é que aquelas banalidades não são ouvidas por quem manda neste país há trinta anos. De facto não é preciso um génio para dizer aquilo. Mas porque diabo é que ninguém o faz?
    Pedro M said...
    Exacto, Manuel.
    Lugares comuns, chavões.
    Mas o mais interessante são as contradições que surgem quando se lhe pede uma posição ou uma opinião bem definida.
    É uma sabidola.
    Mas mais sabidolas são aqueles que lhe deram importância.
    E não é preciso muito - a menos que se seja um jovem jornalista recèm licenciado e deslumbrado com o personagem - para se notar o tacticismo com que aborada as questões. Não merece a minha confiança nem nunca terá o meu voto.
    É bom que o PSD acorde. E rápido.

Post a Comment