O delírio colectivo de um (des)governo !
Ota e Otinhas

Já muito se falou da OTA, das razões que para uns devem ser motivo para avançar de imediato com a obra, e das razões pelas quais a obra não deve nunca seguir em frente.

Pessoalmente, já me pronunciei publicamente e em parceria sobre aquilo que entendo seria a solução ideal para o país. Sendo contra a OTA, são exactamente as razões que o secretário de Estado do turismo avança para a construção de um novo aeroporto de low cost em Lisboa ,que me levam a pensar, que neste governo e em particular neste assunto, ninguém se entende.
  1. Se uma das razões para levar o aeroporto para fora de Lisboa, neste caso para a OTA, é o perigo iminente da queda de um avião – perigo esse que dura há 49 anos – que razão lógica levará o governo a decidir construir um novo aeroporto em Lisboa para as low costs ?
  2. É claro que se a opção for Alverca, então ficam claros os contornos da privatização das OGMA. A Embraer empresa brasileira que paga por ano qualquer coisa como mil euros pelo aluguer em exclusivo da pista de Alverca, pode começar rapidamente a rentabilizar o negócio.
  3. Em termos de rentabilidade económica, quer este governo fazer crer que a OTA se torna rentável. Há quem sonhe com o novo Airbus como forma de rentabilizar a OTA, esquecendo-se que Portugal não possuí capacidade de tráfego para encher um avião com 800 pessoas. Aliás na Europa apenas 5 aeroportos vão receber este Airbus, e Madrid que transporta sensivelmente 27 Milhões de passageiros por ano está em dúvida.
  4. Ao construir a OTA e um aeroporto low cost em Lisboa, que mercado se ganha por exemplo a Espanha ? A menos que a intenção não seja de facto incomodar a Espanha, e ai sim faz sentido o modelo que o governo tem apresentado.

Percebe-se e já foi dito que a OTA é um elefante branco. O que o secretário de Estado veio agora propor, revela que em matéria de transportes este governo está a seco, e pior revela uma ausência de estratégia.

Perceba-se que se a Portela não serve por uma razões não pode um qualquer aeroporto low cost passar a servir exactamente pelas mesmas razões, até porque como foi dito, Portugal não precisa de construir nenhum aeroporto.

Basta aproveitar as soluções que já tem. Figo Maduro não serve como expansão á Portela, aumentando a sua capacidade, mas pode servir como aeroporto low cost ? Montijo não serve como retaguarda mas para low cost já serve ? Tires que está vocacionado para aviação de luxo é agora convertido em aeroporto low cost ? Isto sem colocar pessoalmente a posição de Beja em cima da mesa.

Penso que é chegado o momento de dizer chega ! Basta.

Ao fim de 2 meses do anúncio do lançamento da obra, o governo ainda não publicou os seus estudos que demonstrem a viabilização económica da obra. Não pode resguardar-se no investimento privado como desculpa para não o fazer, porque por mais vontade que exista pelos privados, no futuro serão sempre os contribuintes a pagar este esforço.

É altura também da oposição, e neste caso do PSD, de mostrar ao país qual é a alternativa que tem para este problema, de forma a que se possa perceber, para além da relutância em divulgar os estudos, qual seria o caminho com o PSD no governo. Afirmar-se contra a OTA é uma posição fácil. Difícil parece apresentar uma solução.

O mesmo aplica-se a António Borges, que em vez de nos mostrar que a Espanha está bem porque financeiramente está bem, poderia mostrar ao país uma solução em vez de enverdar pelo discurso fácil.

O adiar do lançamento da obra para depois das autárquicas, não merece nem dramatismo nem especulação é um facto. Tal como o facto de o governo assumir nesta matéria que não sabe o que vai criar... um verdadeiro elefante branco.

Publicado por António Duarte 15:49:00  

13 Comments:

  1. Anónimo said...
    España IBA bien...(con José María Aznar López)...
    Anónimo said...
    antónio duarte, a alternativa do PSD é a OTA, ou não se lembra do que Valente de Oliveira e Carmona Rodrigues, do PSD, disseram no parlamento quando eram ministros das obras públicas? Eles disseram que sim, OTA sim senhor, mas só em 2007. Portanto, existe um largo consenso entre PSD, PS e PP, sem oposição do BE e do PCP. O que parece é que já estamos atrasados no arranque da obra.

    Não dê importância a questões eleiçoeiras nem contribua para elas.
    Haja decoro!
    Anónimo said...
    Vejamos as contas do NAL (Novo Aeroporto de Lisboa). O governo avalia em cerca de 3,5 mil milhões de euros o custo global da obra. Mas eu vou ser pessimista e digo que a obra vai custar 4 mil milhões.
    O Governo diz, por exemplo, que mete lá do Estado cerca de 10%. Eu vou ser pessimista e vou prever que o Estado vai lá meter, não 10%, mas mais algum, para os acessos e acessórios, digamos ao todo mil milhões de euros (cerca de 25% dos 4 mil milhões que virão dos privados). A obra vai custar ao todo 5 mil milhões, dos quais mil milhões são dos nossos impostos, isto é, do Estado.

    A obra vai ser feita em X anos.

    Pelas estatísticas dos construtores civis, eles dizem que nessas obras cerca de 40% do preço final da obra vai para impostos. Eu vou ser mais pessimista (sob o ponto de vista do Estado), e vou prever que em vez de 40%, o Estado vai arrecadar apenas 30% em impostos, isto é, 30% dos 4 mil milhões. Sobre os outros mil milhões adiantados pelo Estado também vão recair impostos (IVA, IRS, IRC, imposto sobre combustíveis, descontos para a Segurança Social, etc.). Se admitimos que no somatório dos impostos, eles repesentam 30% do custo total da obra, então temos que o Estado arrecadará, ao longo da obra, 30% de 5 mil milhões, isto é, 1,5 mil milhões.

    Conclusão: o Estado meteu lá mil milhões e recebeu 1,5 mil milhões. O Estado ganhou com o negócio 500 milhões.

    Quanto à exploração futura, ao Estado basta fazer como faz com a ANA. Entrega isso ao privado que se abalançou a fazer a obra e a explorá-la no futuro (se houver de facto privado interessado, se não houver quites como dantes ). Claro que pode haver prejuizo futuro e o Estado lá terá de acudir ao fogo, pondo dinheiro. Até admito isso. Mas, se o privado arriscou, o risco será mínimo. Mas mesmo que tenha prejuizo futuro, quanto dinheiro não tira o Estado em impostos sobre mil coisas relacionadas com o novo aeroporto (turismo, impostos sobre combustíveis, IVA, IRC e IRS de mil pequenos e grandes negócios ligados ao aeroporto, desde os shopings até aos taxistas, passando por muitas outras actividades)?

    O Prof. Marvão Pereira, que não é burro nenhum, de contrário não trabalhava na América, já calculou isso e o lucro para o Estado é praticamente certo.
    Fernando said...
    Ó anónimo das 4:28

    O resto do post nem discuto que a esta hora estou um bocado cansao ara fazer crítica de coisas copy - past. Se calhar até tem imensa razão.

    Mas não acha que derruba qualquer argumento que tenha com uma frase humorística como esta:
    "O Prof. Marvão Pereira, que não é burro nenhum, de contrário não trabalhava na América..."
    ??? !!! ???

    Lê-se e relê-se e é difícil apagar o sorriso face à grandeza do argumento...
    António Duarte said...
    Pior...

    Segundo o Prof.Marvão Pereira, o lucro é praticamente certo. È exactamente aqui que reside o problema.

    Aliás o estudo do Prof.Marvão Pereira, revela que o investimento em obras públicas de transportes pode trazer mais-valias. Não revela e ele já veio a público afirmar isso, que alguma vez o estudo dele sirva para sustentar a OTA.
    António Duarte said...
    Quanto ao anónimo das 4.23...

    Será que o PSD já se pronunciou mesmo sobre o assunto?

    O que me chateia e que daqui por 10 anos estamos todos a falar da OTA como hoje falamos da Scuts...
    Fernando said...
    Olhe, sobre a Ota e o retorno, preferia mesmo perceber um pouco mais dos "economics" da coisa antes de me pôr a largar postas de pescada. Até ver aqui só vi superficialidades e tretas de propaganda política.
    Já li o estudo do NAER, que suponho seja infinitamente mais do que quem vem para aqui debitar comentários gratuitos, e ainda assim não estou convencido.
    Nem da bondade da solução nem do seu contrário.
    Concedo que os advogados da teoria da conspiração sejam muito mais perspicazes que eu.
    Dava jeito era de vez em quando ver alguma espécie de argumento racional, em vez de chavões populistas.

    Sobre a teoria das "grandes catástrofes", a moda parece estar a pegar nos USA. (como diz o outro, se lá se faz é porque é bom de certeza...)
    Quando chegou o Katrina a Bolsa levou um rombo.
    Até poucas horas depois, quando os "operadores" começaram a fazer contas ao impacto económico da reconstrução.
    E a Bolsa subiu!

    E esta, heim?
    Anónimo said...
    Não tenho a menor duvida que o autor do post, é uma pessoa extremamente inteligente e claramente, o texto é isso revela.

    diz uma coisa importante, há 49 anos que o aeroporto de lisboa funciona e nenhum problema houve.

    Felizmente.

    Então diga-nos, com a sua perspicácia e visão, temos aeroporto para mais 50 anos, não sera verdade?

    E se não for, qual a alternativa? e quando? e aonde? e como?

    É um desafio que lhe lanço

    Quanto aos aeroportos de baixo custo portuario, é, digamos, uma nova formula para esta area de negocio, sendo os custos de abordagem e chek in bem menores, logo o preço do bilhete de transporte, sai bem em conta.

    Ao que parece, uma empresa do sector, transporta ida e volta, Lisboa/ Londres, por pouco mais de 20 mil escudos.

    Estamos perante um novo modelo, digamos.

    Diga-me então, qual a sua sugestão? não devemos atrair "clientes" de fim de semana, com um transporte barato e uma estadia em conta? como faze-lo.

    Dê-nos a sua opinião
    Anónimo said...
    Ja agora queria dizer o seguinte.

    Se fizer uma viagem de avião Lisboa/L.Angels, ida e volta.

    Se comprar os bilhetes em LIsboa, esses custam-lhe, perto de 200 mil escudos.

    Se lhe mandarem os bilhetes de L.A., para ida e volta, custam-lhe 100 mil escudos

    valores arredondos

    Porque será?

    Será que a tripulação de um avião portugues, ganha o dobro da americana

    Será, que o avião Americano, consome menos octanas que um Portugues,

    Sera que os custos de manutenção, sáo mais baixos em Portugal do que na America.

    Porque sera que vendem mais barato?

    Dê-me a sua sugestão e conhecimento
    A. Bramão e H. Ramos said...
    Temos, afinal um Governo de... OTÁRIOS...

    Porque será...? Será do $uaraná...?
    André Carvalho said...
    Com estas trapalhadas todas já deu perfeitamente para perceber que este governo não vai fazer é nenhum aeroporto porque nem sequer vai ter tempo para decidir onde o vai construir... quanto mais construir um novo aeroporto.

    http://geracao-rasca.blogspot.com
    José Silva said...
    Máfia de Lisboa afunda Portgal !
    MDG said...
    :)
    Ora aqui está mais um jovem secretário de estado a querer um pedaço do bolo da Ota...
    Não será o último, digo eu!

Post a Comment