A fábrica de milagres

Numa visita à Sala dos Professores, fica a saber-se que há resultados históricos, no ranking das escolas, deste ano.

Das 609 escolas que o jornal DN listou, 82,4 % chegou aos 9,5 valores, contra 66%, o ano passado.

E parece que nem é surpresa por aí além, tendo em conta que na Matemática, os resultados foram mais espectaculares: a taxa de reprovações, passou de 14% do ano anterior, para metade, neste ano corrente.
Só a pior disciplina do lote, Fisica e Química, atinge ainda a preocupante taxa de 22% de reprovações, mas os progressos ainda assim, são encorajadores.

O Ministério da Educação está assim, de parabéns, e esta Ministra, Lurdes Rodrigues, merece todos os encómios, como generalizadamente é entendido, por quase todos os comentadores nos media que lhe atribuem o mérito inegável e o contributo impagável , desta maravilha dos tempos modernos.

E o segredo deste sucesso estrondoso, estonteante e miraculoso, afinal reside numa receita bem simples e dada pelo Ministério da Educação: trabalho. Sim, trabalho. Principalmente, nas escolas privadas. Na lista das dez melhores escolas, não há uma única pública. E trabalho estatístico aturado e paciente.

Quanto a este milagre educativo, porém, Nuno Crato, um desmancha-prazeres notório, está neste momento a dizer na Sic-Notícias, que não é possível , em dois anos, haver um incremento de seis valores do ranking geral da disciplina de Matemática. É impossível, diz o presidente da Associação de Matemática.

E no entanto, mesmo perante esta impossibilidade, na sala de professores ainda se dá o lugar ao benefício da dúvida ao Ministério milagreiro. Desvalorizam-se as acusações generalizadas de facilitismo e atribui-se ao Ministério, esse benefício, negado noutros lados. Em muitos lados, afinal.

Por isso, alguém anda a enganar as pessoas. Entre o Ministério e os comentadores que o denigrem, alguma verdade terá de passar.
Uma coisa é certa: o milagre educativo, está aí em todo o esplendor e a ministra não o enjeita, porque o fabricou, de algum modo. Resta saber qual.

Publicado por josé 22:55:00  

6 Comments:

  1. Post said...
    HÁ COISAS DO ARCO DA VELHA

    Significado: Coisas inacreditáveis, absurdas, espantosas, inverosímeis.
    (Estórias populares que defendem a existência de uma velha no arco-íris, sendo a curvatura do arco a curvatura das costas provocada pela velhice)

    Agora a ministra Lurdes encomendou um estudo para acabar com as repetências até ao 9º ano.

    E vai legislar de acordo:

    § único - Decreta-se que até ao 9º não há repetências no sistema escolar português, público e privado.


    Já vêem que o sucesso escolar é a coisa mais fácil de resolver.

    Um pequeno § de um decreto-lei ou de uma simples portaria resolve a contenda.

    Nada mais fácil para nos aproximarmos das m+edias euripeias.

    Brilhante
    josé said...
    No fundo, seguem a lógica até ao fim.

    Deviam mesmo seguir: afastarem-se porque já não são precisos. Toda a gente passa, logo, para quê um Ministério?
    zazie said...
    Uma amiga minha que é professora de Filosofia, contou-me que, no seguimento destas alterações governamentais, a escola já a obrigou a comprometer-se a passar 80% dos alunos.
    zazie said...
    Chamam a isso- "metas a atingir" e no fim fazem parte da avaliação do professor.
    zazie said...
    Ah, é verdade, depois, o folclore dela vai ser avaliado por um colega de Geografia, porque de Filosofia não havia nenhum com tarimba disponível.
    smallawei said...

Post a Comment