Os nossos cientistas


São deste tipo, que por aqui aparecem, numa foto tirada da revista Única do Expresso que foi descobrir um casal de investigadores universitários.
Elvira e Rodrigo, integram uma equipa que investiga na área científica e prática, da microelectrónica. A equipa compreende ainda cientistas de várias proveniências e nacionalidades, com destaque para alguns da Ásia ( dois indianos, dois chineses, um cingalês do Sri Lanka e um bielorusso, admitidos por concurso curricular e escolhidos entre muitos outros candidatos que se apresentam , por conhecerem a fama do lugar).
Elvira, vinda de família modesta, acabou o curso secundário em 1982, com notas medianas. Entrou na Engenharia Física e dos Materiais e deu-se bem com o assunto. Doutorou-se em 1995, na área do marido que aí conheceu.

A investigação que fazem actualmente, no âmbito da universidade ( faculdade de Ciências e Tecnologia, no campus do Monte da Caparica, está sob a mira atenciosa de alguns fabricantes dos futuros écrans onde se escrevem, lêem e vêem, as imagens e signos do mundo computadorizado. e televisivo, como a Samsung.
Transístores de papel, é uma das últimas novidades, e que já mereceu a atenção dos media internacionais ( BBC, Corriere della Sera, Finantial Times, por exemplo).

A família Martins, tem uma filha, adolescente. A mãe, tirou sempre os cursos em escolas públicas. No entanto, a filha, "nunca irá para uma escola pública, com o ensino como está hoje", diz o pai, um professor catedrático.

Será preciso melhor metáfora, para o ensino de hoje, e para os ministérios da Educação dos últimos vinte anos?
Quem forma hoje, as Elviras de amanhã?

Publicado por josé 17:51:00  

5 Comments:

  1. Fernando Martins said...
    Caro José:

    Ainda bem fala nas Elviras que a política assassina deste Governo irá pôr muito abaixo das suas possibilidade com a mania do facilitismo e dos números estatísticos para europeu ver...

    Os professores que ensinaram as Elviras ainda estão, em grande quantidade, nas Escolas - embora haja muitos que, mesmo perdendo muito dinheiro, se estão a reformar precocemente. As Elviras ainda vão, em quantidade razoável, para as Escolas Públicas. Sei-o bem porque sou professor de uma Escola Pública. E isso faz-me ter vergonha do país em que vivo e do Governo que nos desgoverna diariamente...

    Não se esqueçam de nós, os professores, aqui neste cantinho, porque para nós a vida está difícil e sem alguma boa vontade de outros grupos sociais a coisa não vai lá - ainda bem que faltam cerca de 1 ano para as eleições legislativas...
    rxc said...
    Como cada aluno vai ter um computador nas unhas, vamos naturalmente ter muitos mais cientistas. E como a excelentíssima socióloga decretou que todos os alunos tem "direito ao sucesso", vamos vê-los todos a acabar o básico e secundário, provavelmente com melhores notas do que essa investigadora. É melhor o governo começar já a criar centenas de centros de investigação, porque daqui a poucos anos todos os alunos, muitíssimo bem preparados pelo ensino de excelência que hoje foi decretado na escola pública e ávidos de saber, vão todos ter capacidade para desenvolverem carreiras académicas de nível mundial. Afinal é tão simples ter êxito no ensino, não se percebe como esta fórmula de enchê-los de ferramentas tecnológicas e passá-los a todos em seguida ainda não tinha sido usada antes!
    Admirável mundo socratino este...E ninguém lhe dá a taça fatal por andar a corromper a juventude, com ilusões de um igualitarismo mediocre? Também com o percurso académico da criatura, percebe-se o desdém que deve ter por quem o fez com exigência, rigor e esforço.
    rui said...
    Não é preciso bater mais no ceguinho para saber que o ensino público atravessa dificuldades.
    No entanto parece-me abusivo relacionar esse facto com a declaração do Pai Rodrigo.
    A declaração do Pai Rodrigo tem apenas que ver com a natural(?) arrogância de um profissional que provavelmente estudou numa escola pública mas que hoje graças ao estado de "atraso" de um país "de rastos" se pode dar ao luxo de se armar em snob relativamente à escola pública.
    Valerá a pena relembrar que quando a Dona Elvira tirou o curso já se dizia cobras e lagartos da tragédia do Ensino Público? Se não me engano nas contas, coitadinha, até apanhou com os horrores do PREC e tudo...
    rui said...
    Não é preciso bater mais no ceguinho para saber que o ensino público atravessa dificuldades.
    No entanto parece-me abusivo relacionar esse facto com a declaração do Pai Rodrigo.
    A declaração do Pai Rodrigo tem apenas que ver com a natural(?) arrogância de um profissional que provavelmente estudou numa escola pública mas que hoje graças ao estado de "atraso" de um país "de rastos" se pode dar ao luxo de se armar em snob relativamente à escola pública.
    Valerá a pena relembrar que quando a Dona Elvira tirou o curso já se dizia cobras e lagartos da tragédia do Ensino Público? Se não me engano nas contas, coitadinha, até apanhou com os horrores do PREC e tudo...
    rui said...
    Oops... inadvertidamente, enviei o comentário repetido. As minhas desculpas.

Post a Comment