O jornalismo de causas

O STJ, no caso Esmeralda, decidiu, não conhecer de um recurso interposto de uma decisão do tribunal da Relação que obriga o casal Gomes a entregar a menor ao pai.

A SIC-Notícias, no jornal das 10, de Ana Lourenço, ocupou longos minutos, agora mesmo, num directo, de Torres Novas, a entrevistar o sargento Gomes.
A entrevista, destinou-se a saber a "reacção" de Luís Gomes, à decisão.

Num exercício jornalístico peculiar, a SIC-Notícias, está-se nas tintas, para saber a reacção do pai biológico, único pai da menor e que há anos luta nos tribunais pela criança que é sua filha e que o casal Gomes, decidiu adoptar, de facto.

Assim vai o jornalismo televisivo, em Portugal: manipulador, parcial, faccioso, sem objectividade, militante de causas obscuras.
Ana Lourenço, acaba de assinar uma das peças mais vergonhosas do jornalismo televisivo português.
O director de informação, aplaudiu, com toda a certeza.

Publicado por josé 22:51:00  

3 Comments:

  1. Luís Bonifácio said...
    E na RTP a entrevista ao Sargento raptor, quando foi publicado o livro que, como somos bonzinhos, fazemos de conta que acreditamos ter sido por ele escrito.
    C.S. said...
    Mas estas entrevistas não são inocentes de todo!
    Acreditemos ou não na teoria da conspiração, eles andam aí...
    E alguns jornalistas há muito que perderam a coluna vertebral...
    Blimp said...
    Pergunto

    Da mesma forma que um conjunto de "celebridades" e "vacas sagradas" foi capaz de criar um movimento com esta força, para lutar por uma causa que (do meu ponto de vista) é execrável, não poderá alguém, com boa vontade e disponibilidade, dar o pontapé de saída para um movimento contrário para procurar lutar pelos (acho eu) reais interesses da criança e do pai?

    AM

Post a Comment