Coisas realmente importantes


Conselho Superior de Magistratura quer decidir em última instância a divisão dos lugares de estacionamento nos tribunais. Ouvido esta tarde no Parlamento sobre o novo mapa judiciário, o juiz-conselheiro Ferreira Girão disse que essa decisão «pelo seu melindre» pode desencadear «autênticas guerras».Por isso, reclama ter a última palavra

Publicado por Carlos 23:27:00  

5 Comments:

  1. Homer said...
    Sabendo todos como vai a Justiça em Portugal, espero que se resolva esse momentoso problema para que o País possa finalmente usufruir de verdadeira Justiça.
    Poispois said...
    Talvez fosse melhor criar um "Instituto Português de Estacionamento em Tribunais", liderado por um colégio de juizes-conselheiros. A questão é importantíssima, e não pode ser resolvida por qualquer um. Se o caso não for devidamente tratado, ainda se corre o risco humilhante de vir um Polícia Judiciário dirigir a coisa.
    contra-baixo said...
    Falam, falam e não sabem do que falam. Eu, por exemplo, já trabalhei numa instituição em que os lugares de estacionamento eram despachado pelo dirigente máximo e, por causa da atribuição de um dos lugares, chegou a haver um recurso hierárquico para a tutela que, por sinal, lhe deu provimento. Com isot para dizer, sendo o lugar para estacionar um bem cada vez mais escasso, há que definir a instância última para decidir. O juiz ao reclamar para si esse poder, sabe do que é que está a falar e demonstra bom senso.
    David Oliveira said...
    É preciso denunciar!
    Escândalo. Inacreditável!
    A Direcção Geral do Orçamento publicou o Boletim de Execução Orçamental, de Janeiro a Abril, ás 11 horas e mandou retirá-lo. Já não está online. VERGONHA! ESCÂNDALO!
    Sabem porquê? porque vai haver o debate na Assembleia, o tema escolhido é a economia e os números conforme ainda hoje explicarei são um DESASTRE!
    ESCÂNDALO!
    JC said...
    Se não fosse tão ridículo, até tinha piada.

Post a Comment