Uma prenda: a avaliação do par

Ontem, as notícias dos telejornais da noite, foram as manifestações de professores, contra a ministra da Educação e ainda a grande manifestação do PCP, contra o Governo.


A RTP1, abriu, naturalmente, com estes acontecimentos a que dedicou alguns minutos.
No entanto, logo a seguir, dedicou quase outros tantos, a um acontecimento de grande alcance político, próprio para gastar longos minutos, como se pode ver por esta imagem, retirada do Correio na Manhã de hoje.
A ministra da Educação, quase todos os dias terá oportunidade de se ver na tv, ultimamente.
No outro dia, produziu uma pérola linguística, rara e digna de figurar no glossário de um próximo dicionário de rimas: "se considerarem, considerarão", foi a tirada, repetida, acerca das decisões dos tribunais sobre as horas gastas pelos professores, em aulas de substituição.

Agora, ao escolher esta companhia e recolher os elogios afadigados deste autarca, permanentemente na berlinda, pelos motivos mais dúbios, fica no retrato adequado: o dos malabaristas de evidências e do verbo virtuoso.
A RTP1, acolita, naturalmente.

Publicado por josé 20:52:00  

8 Comments:

  1. Tino said...
    Estão um para o outro, pelo menos no que concerne ao respeito que têm pelos tribunais.

    Com aquela caravela em ouro não vai longe a nossa simpática ministra.

    Com uns patins teria melhor destino...
    homoclinica said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    homoclinica said...
    Estes elogios do major são uma avaliação pelos pares...
    josé said...
    Avaliação dos pares. Lógico. Vou mudar o título do postal.
    Ha do que said...
    Dizem-me que já há mais duas destas visitas, marcadas para breve:
    uma a Felgueiras outra a Oeiras.

    Até por causa da terminação em "eiras" mostram que não são gente "sem eira nem beira", que "não há problemas financeiros no Ministério".

    A terminação em "iras" é menos significante, que a seráfica ministra não lhe é atreita.
    Caso não seja que tenha havido um assessor de sotaque abrasileirado que lhe tenha dito "irás".

    Demora, mas ela vai.
    jcosta said...
    Nesta fotografia falta o Albino das "tranches". Assim, Percebe-se melhor que o sobredotado, seja a aia permanente da ministra da avaliação. Gostei de ver o Valentim metido em mais um enigma. Depois de ter gritado por Guterres, em plena campanha eleitoral, expressão mais parecida com Gondomar, associou agora, por via das prendas, MLR aos árbitros e... ofereceu-lhe uma caravela: O homem depois de lhe gabar o estro, quer vê-la a navegar? Quis afundá-la, com os elogios? O tal enigma. Agora só falta ver o Albino e a sua mais que tudo ministra das tranches [por isso a senhora propala que não tem falta de verba. Pois não!] a visitar, por esta ordem ou a inversa, Felgueiras e Oeiras. Se o enigma for viagens próximas, uma lhe explicará como chegar rapidamente ao Brasil; o outro lhe dirá como apanhar um táxi na Suiça. Se for um dia destes, garanto que irá bem tarde.
    Jorge Oliveira said...
    Não surpreende que eles se entendam.
    O Major Valentão tem uma ideia muito própria acerca do processo de avaliação que os árbitros devem pôr em prática nos jogos em que o clube dele participa.
    O PS, partido que patrocina o governo em que se insere esta senhora ministra, também tem uma ideia muito própria acerca do processo de avaliação dos professores.
    A diferença é só no campo de jogo. Em qualquer dos casos, o objectivo é o mesmo : fazer ganhar os "nossos"...
    bitolas said...
    Como pai interessado nestes assuntos da educação, depois das notícias deste fim de semana algumas dúvidas se colocam :

    1 - Como surge esta "Representante dos Pais" vulgo confap ? é que na escola da minha filha, como em muitas outras por esse país fora, os pais não passaram nenhuma procuração a estes senhores !

    2 - Como sobrevive a Confap ? Consta por aí que é na sua maior parte de dinheiro transferido do Ministério da Educação ... se isto é verdade muita coisa fica explicada ...

    Deixem-se de tretas e vamos mas é acalmar este ambiente porque quem vai perder com isto são as nossas crianças e os professores não são os únicos culpados desta situação.
    Querem avaliação ? Ok, vamos definir as regras e definir um calendário que seja aceitável para todos. Já agora e porque não começar a avaliar os alunos como deve ser e passar só aqueles que têm conhecimentos ? (lá se iam as estatísticas ... mas ficavamos todos a saber o real estado da nossa Educação...)

Post a Comment