O portfolio


José Sócrates já se pronunciou sobre as três páginas do Público, vitimizando-se mais uma vez. Desta vez, não é uma calúnia ignóbil. "É uma pretensa notícia. É basicamente um ataque pessoal e político". Pois, de facto, encómio é que não é. E quanto a ataques pessoais e políticos, ainda no outro dia o vi a regurgitar uns tantos, na casa da Assembleia. Sem espinhas.

Assim, alguém diria mesmo mais e ele disse-o: ´"é um insulto". Isso, agora, é que já não sei bem se será tanto assim.

Tomando nota das fotos do portfolio que segue, e que o Público teve o bom gosto de catalogar, o insulto neste caso, será mais ao bom gosto, à paciência de todos nós que aguentamos as medidas e esperamos pelas Novas Oportunidades, cada vez mais adiadas.

Vindo de um primeiro-ministro, antigo ministro do Ambiente, o mínimo que se pode dizer é que a paisagem urbanística portuguesa, teve sempre os seus defensores de classe alta: a engenharia técnica, neste caso, é um marco na arquitectura que fica bem nos anais daquele estilo que dantes se chamava o da Maison, com janelas tipo fenêtre.

Vendo bem as imagens, isto são obras de deixar um qualquer engenheiro técnico, garboso dos seus projectos. Dignos de se mostrarem a um qualquer engenheiro civil , com curso da UnI. E de fazer embatucar os próprios correligionários...


Publicado por josé 14:01:00  

7 Comments:

  1. lusitânea said...
    O Abilio Curto andou fugido da justiça por Cabo Verde e é por isso que os tratam tão bem.É um seguro e acolhedor local de refúgio... em caso de "anormalidades graves" que temporáriamente o QREN vai afastar , mas depois disso, vamos ver...
    A credibilidade destes tipos foi-se.O PR tem que começar mas é escolher PERSONALIDADES " à prova de bala" na sua honestidade e competência para lhes entregar a reorganização e o governo do país.Os outros candidatos partidários também são a mesma trampa.
    homoclinica said...
    Eu sou prof. no ISEL e tenho uma vaga ideia de ouvir os alunos de eng. Civil se queixarem, aqui há uns anos, quando o ISEL ainda não dava mais que o bacharelato (3 anos), que não podiam assinar projectos. Na altura o maior problema dos engenheiros técnicos em relação aos engenheiros, era precisamente em engenharia civil, por causa de não poderem assinar projectos.
    Na altura em que isto ocorreu (Sócrates assinar projectos na Covilhã) ele era engenheiro técnico ou já tinha acabado o curso da Independente?
    homoclinica said...
    Fui ver os meus arquivos e encontrei uma imagem das que circularam na net no ano passado, com as notas de Sócrates. São notas de 94/95, quando ele estava a tentar obter a licenciatura!
    Ora o Público diz "José Sócrates assinou numerosos projectos de edifícios na Guarda, ao longo da década de 80". Nesta altura ele seria apenas engenheiro técnico.
    Podia assinar projectos????
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Tem havido grande discussão acerca da pretensão dos arquitectos para que as casas sejam - ao menos! - revistas por eles.
    Infelizmente, não têm tido sorte,mesmo no prédios maiores.

    Em todas as casas das fotos (e por esse país fora), é o freguês que diz o que quer, como quer e que acabamentos quer usar.

    Resta ao projectista fazer a planta e os cálculos e garantir que "a coisa" não infringe as normas.

    Se o freguês quiser uma casa amarela com riscas azuis e uma ninfa de gesso na chaminé, e se os regulamentos camarários não o impedirem, é assim que ficará.
    É uma injustiça dizer-se que a "cagada" final é culpa do projectista.
    Quando muito (e NO ASPECTO ESTÉTICO), a culpa é dos serviços de urbanismo, planeamento, etc.

    --

    Outra coisa diferente pode ser o facto de alguém 'assinar de cruz'.
    Mas isso é outro problema, a discutir noutro lado.
    homoclinica said...
    Fui reler o Público e encontrei lá a carta que José Sócrates lhes enviou.
    Tem humor! Sugere que se vá investigar as outras décadas... E
    reparem nesta frase: "Sei por
    experiência própria que há sempre quem insista em não deixar que os factos atrapalhem uma boa história."

    Onde é que eu já li isto???... A quem é que ele se refere?...
    Dylan T. said...
    «E quanto a ataques pessoais e políticos, ainda no outro dia o vi a regurgitar uns tantos, na casa da Assembleia» - depreendo então que o José equipare o jornal 'Público' a um adversário político, com a sua agenda própria e a sua retórica de ataque político, ao nível dos partidos representados na AR?
    Voilá! Já era tempo de lá chegarmos!..

    Cumprimentos

    Dylan T.

    Post scriptum:
    Que tal um movimento para afastar o PM de funções por falta de gosto estético no projecto de umas casitas feiosas há 25 anos? Só neste país de estarolas...
    gg said...
    "homoclinica disse: Eu sou prof. no ISEL e tenho uma vaga ideia de ouvir os alunos de eng. Civil...que não podiam assinar projectos"

    Então dá aulas no ISEL e não sabe que a diferença entre um Engenheiro Técnico e um Engenheiro é de apenas dos níveis de responsabilidade de um projecto!!!!????

Post a Comment