Marinho e PInto no seu esplendor.

Em entrevista à Antena 1, o bastonário da Ordem dos Advogados revelou que há pessoas com cargos de relevo no Estado português que cometem crimes «impunemente» e que em breve poderá avançar com casos concretos.

Ainda segundo António Marinho Pinto, «o fenómeno da corrupção é um dos cenários que mais ameaça a saúde do Estado de direito em Portugal».

Lusa / SOL

Pronto. Enganei-me. Previ aqui, há umas semanas atrás que Marinho e Pinto , como bastonário da Ordem dos Advogados, iria conter os seus ditos, que alguns julgam desbocados, mas algo certeiros, acerca da sociedade portuguesa em geral e certas classes profissionais em particular.

Nesta semana que corre, é a segunda vez que as declarações fortes de Marinho e Pinto, atingem o coração da democracia, com alusões explícitas a várias disfunções.

Ao O Diabo, de terça-feira, Marinho e Pinto, acutilou em duas páginas várias instituições e grupos de pessoas em modo firme e determinado. Só um pequeno exemplo:

Não há uma semana que não vejamos magistrados a insurgir-se, a insubordinarem-se publicamente contra as leis da República. As leis são feitas no Parlamento e não por magistrados.”

Algumas frases atrás, o próprio Marinho e Pinto, dizia ao jornal:

Um credor não pode ir hoje a tribunal cobrar uma dívida.(…)e isto aconteceu porque o actual Governo retirou a cobrança de dívidas dos tribunais”.

Quer dizer: os magistrados não podem criticar leis. Marinho e Pinto, enquanto Bastonário, pode. E pode falar alto e com bom som, como se comprova agora pela entrevista à Antena 1.

E repete o que disse já várias vezes, como na referida entrevista ao jornal O Diabo: “ Eu sou contra os advogados que são ao mesmo tempo deputados. É incompatível.” “Há suspeitas de que algumas sociedades ou alguns escritórios de advogados são preferidos pelo Estado em detrimento de outros. Iremos por cobro a isso.” “Quem faz leis no Parlamento não pode ter clientes privados.”

Agora, pelos vistos, na entrevista à Antena1 avançou um pouco mais nas denúncias de corrupção concretas e definidas. Bem haja. Não lhe doa a vontade, nem fraqueje a língua.

Marinho e Pinto, é bom recordar, foi jornalista assinalado num jornal do centro. Precisamente o Diário do Centro. Num pequeno texto publicado no jornal Diário do Centro, de 15.3.2000, escreveu coisas admiráveis, como esta:

"Mário Soares manifestou um profundo desprezo pela independência da justiça portuguesa e tentou pressionar publica e indevidamente magistrados no exercício das suas funções, aparecendo publicamente a solidarizar-se com Leonor Beleza no caso dos hemófilicos e proferindo declarações gravíssimas para a idoneidade e independência de magistrados. Tudo para impedir um julgamento de uma figura política, apesar de haver fortíssimos indícios da prática dos delitos imputados. Soares, como advogado que foi sabia que, perante certos factos, só em julgamento é que se pode verdadeiramente apreciar a culpabilidade ou inocência das pessoas envolvidas, mas tudo fez, juntamente com outros políticos, para impedir esse julgamento."

Publicado por josé 20:20:00  

3 Comments:

  1. alexandre Iº said...
    Devo dizer que se confirmaram as minhas melhores expectativas. As afirmações do Sr. Bastonário no Jornal da 10 H na Sic Notícias foram verdadeiramente espantosas. Vai ser um mandato muitíssimo interesante e cheio de "cachas". Bem haja o Sr, Bastonário por ser quem é - irrepetível sem dúvida.
    Mocho-Real said...
    Este homem vai longe! Não tarda, vai parar a um novo Tarrafal.
    Laoconte said...
    Mas ele está a mentir?

Post a Comment