continua a ser directora da DREN

Foto obtida via O Jumento

Publicado por contra-baixo 11:31:00  

12 Comments:

  1. Kruzes Kanhoto said...
    A senhora é mal apessoada como o caraças!
    formiga bargante said...
    Quem, a Zazie?
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Lembremo-nos que Guterres fugiu do pântano. Não estranhemos, pois, que ele tenha deixado gente do partido encarregada de proceder à DRENagem.
    ; -) said...
    Fez muito bem em publicar a foto da senhora.
    Os figurões e figuronas da nova Gestapo deveriam ser expostos em outdoors.
    Seriam assim facilmente reconhecidos e ficaríamos mais à vontade sempre que quisermos contar uma anedota.
    Bastava uma olhadela à volta, para ver se a costa está livre.
    Isabel said...
    Credo. Parece uma bota da tropa.

    Devia pagar imposto agravado.
    naoseiquenome usar said...
    E?...
    Punctum Contra Punctum said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Punctum Contra Punctum said...
    Pois! Mas meus caros, "beleza não se põe na mesa".

    Em cima da mesa, coloca-se o bufismo disfarçado de lealdade e de outras virtudes:
    http://braganza-mothers.blogspot.com/2007/05/dr-reinfield-na-obra-de-bram-stocker.html

    Um abraço!
    Fernando Martins said...
    Eu, se não fosse professor, escrevia aqui umas coisas engraçadas sobre o Sócrates, a chefe da DREN e muitos outros cappos políticos.

    Mas um gajo precisa de comer...
    António Viriato said...
    Esta e outras que, a seu tempo, hão-de sair da toca, onde ao longo dos anos foram sendo militantemente semeadas tão zelosas criaturas...

    Que pensarão disto os campeões das Liberdades, muito socialistas, muito anti-fascistas, com assento remunerado na Comunicação Social ?
    Carlos Medina Ribeiro said...
    O Prof. Carlos Fiolhais, numa interessante crónica publicada no Público de 6ª -feira passada (intitulada «O RESPEITINHO É MUITO BONITO») relaciona esta cegada com a regionalização:

    «Como se trata de educação, atrevo-me a pensar que este caso pode ser pedagógico: agora que se volta a falar de regionalização, e da possibilidade de um novo referendo, eu acho que não convém regionalizar à pressa quando o que está regionalizado já funciona dessa maneira tão funcionária. Não tenho nada contra as competências regionais, mas temo só de pensar na proliferação de incompetências que uma regionalização mal feita pode causar. Se, quando ainda não há regiões, tem sido um fartar vilanagem, pergunto-me como será quando as houver. As clientelas partidárias, que se têm alimentado de lugares do Estado, estão sedentas de mais...»

    Na linha dessa associação de ideias, o livro «Contra a Regionalização», de Alfredo Barroso, está a ser oferecido, autografado, em:

    http://sorumbatico.blogspot.com/2007/05/passatempo-com-prmio.html
    Gomez said...
    E a Senhora Ministra da Educação continua a não esclarecer por que razão foi, inopinadamente, decidida a cessação da requisição do Prof. Charrua para exercer funções na DREN, na pendência da instrução do processo disciplinar.
    O conspícuo silêncio do ME, só pode credibilizar a suspeição de que se tratou de uma "sanção" de facto, que, à revelia de processo disciplinar, castigou com uma espécie de "degredo" em biblioteca escolar um técnico malquisto pelos seus superiores, por "delito" de opinião.
    Com este tipo de cultura instalada, pode imaginar-se a politiquice rasteira em que se vão afundar os novos mecanismos de avaliação da função pública e a eficácia que terão como medida de polícia de ideias e de fidelidades políticas.
    Desconfio que um destes dias ainda é reposto em vigor o Dec.-Lei 40 550, cujo artº 8º permitia que os arguidos por delito político, ainda que absolvidos do crime de que eram acusados, pudessem ser sujeitos à aplicação da medida de segurança política de internamento, até três anos,indefinidamente prorrogável. É questão que se pode resolver
    com o envio de mais alguns políticos "de confiança" para o Tribunal Constitucional...

Post a Comment