Puro vital

Repare-se nesta pérola branquinha, saída agora mesmo da conchinha da causa nossa:

Parece-me que chegou a altura de Sócrates sacudir a pressão que os media continuam a alimentar por causa do controverso processo da sua licenciatura na Universidade Independente, cujo agendamento público coincidiu "por acaso" com a manifestação do caos institucional dessa mesma universidade privada. O silêncio já não constitui a resposta adequada às especulações jornalísticas e às desconfianças instiladas na opinião pública.
[Publicado por vital moreira 7.4.07]

Já não se trata de algo “mesquinho” e reflexo de um “purismo”. Agora, trata-se de “sacudir a pressão”…

“Sacudir a pressão”, não equivale, nesse modo de escrever, necessariamente , a esclarecer com a verdade dos factos, o que já é uma esmagadora evidência: as várias irregularidades graves de um indivíduo que é primeiro ministro de Portugal .

O que interessa é mesmo… “sacudir a pressão”, esconjurar o demónio das críticas dos mabecos que ameaçam esta belíssima estabilidade governativa que tanto custou a alcançar.

Para tanto, valerá quase tudo. Provavelmente, até tirar olhos aos que não consigam dizer que as traves à vista, são afinal… meros argueiros.

Publicado por josé 15:43:00  

16 Comments:

  1. Arrebenta said...
    Agora, há uma nova verdade:
    O motorista do Sócrates esperava por ele, à porta da "Independente", enquanto ele estava nas aulas.

    http://dn.sapo.pt/2007/04/07/ tem..._diplomas_.html

    Motorista dele, ou do Estado?
    Que faziam um motorista e uma viatura do Estado, à noite, à porta da Universidade "Independente"?...
    Quem pagava?...

    Ele -- Sócrates -- ou... nós?...
    Miguel said...
    Vital Moreira, na sua fúria de chegar a ministro, consegue ultrapassar o ministro SS (Santos Silva) no seu afã contra qualquer crítica a Sócrates.

    Sem nunca abandonar a costela comunista e exagerar nos ataques, começo a duvidar se o que título que usa, de professor, não terá também sido obtido a um domingo, com o mesmo professor a fazer-lhe seis cadeiras...
    João Gomes said...
    José,

    Vital Moreira tem razão. O primeiro-ministro deve explicar ao país esta situação de forma a sacudir a pressão, mas não deve continuar a alimentar uma polémica que não tem razão de existir e que ainda hoje José António Saraiva classificou, no SOL, como "mesquinha e parola".
    Porque é que a Direita não se preocupa antes em questionar as políticas em vez de continuar a insistir em atacar os políticos de esquerda por motivos pessoais?

    João Gomes
    http://aquelaopiniao.blogspot.com
    josé said...
    Não, meu caro. Vital Moreira é dos que são de boa cepa académica: boas notas. Bom posicionamento político no tempo( nos setenta, comunista chegado a Cunhal; nos oitenta dissidente e nos noventa ei-lo socialista não alinhado mas reciclado em democracia social).
    O currículo académico de Vital é intocável, no que respeita a habilitações de fim de semana. A tese de doutoramente é sobre a regulação do comércio do vinho do porto, mas isso é apenas simbólico.
    As suas anotações à Constituição da República são dignas de nota ( ando a pensar em comprar a última edição). O seu saber teórico é sólido em algumas matérias e é indivíduo de alguma inteligência que se desbota quando escreve sobre algumas coisas que não domina. Por exemplo, direito penal. Aí, as calinadas são as de caloiro...por vezes.
    josé said...
    Claro que Vital tem razão...
    Se isto fosse com um qualquer Santana ou Souto Moura ou outros que não lhe vão no goto, estaria já a escrever catilinárias contra a "fraude", palavra que aprecia e que usa frequentemente no seu léxico semântico.
    Assim...limita-se a apontar o argueiro a outros sem ver a trave que se lhe sobrepõe.
    josé said...
    José António Saraiva é um génio do jornalismo. Toda a gente sabe disto, principalmente ele próprio.
    zazie said...
    eu diria mesmo mais: José António Saraiva é um génio do jornalismo. Toda a gente sabe disto, principalmente ele próprio

    ehehhe
    ; -) said...
    E eu diria ainda mesmo mais: José António Saraiva.
    ; -) said...
    E eu diria ainda mesmo mais: José António.
    ; -) said...
    E eu diria ainda mesmo mais: José.
    josé said...
    "José"?
    Assim como...Zé? É? E...
    ; -) said...
    Corta-se da direita para a esquerda.
    Portanto acaba em "Jota".
    Jota é o fim. Escatológico, numa das duas acepções.

    eheheh!
    Kruzes Kanhoto said...
    José Pinto de Sousa é uma mente brilhante. Ou pelo menos mente...
    josé said...
    "Jota" é o princípio de tudo, não o fim.
    Logo, no fim estará o acento. Ou será o assento?
    Ninguém saberá, se não ler...
    Clara said...
    E quais foram as irregu8laridades graves,ora diga lá? É que até agora só falam de suspeitas,,insinuações, boatos...Mas se acham que houve ou há irregularidades graves porque não as dizem, porque não são frontais?!? Dá para pensar...
    josé said...
    clara, clara! Se não sabe, porque é que pergunta?!

Post a Comment