mais um prego, mais um


Caso da licenciatura na Independente
Como Sócrates se prepara para a entrevista na RTP
Por Helena Pereira
José Sócrates vai levar um dossiê com os certificados dos cursos tirados em Lisboa e em Coimbra e recibos do pagamento de propinas

O primeiro-ministro, José Sócrates, tem uma pasta com documentos para exibir na entrevista à RTP esta quarta-feira, de maneira a tentar pôr um ponto final na polémica à volta da sua licenciatura na Universidade Independente.

Há três semanas que dura a polémica sobre o caso da licenciatura de Sócrates, na sequência de um trabalho do Público sobre falhas na conclusão da licenciatura. Sócrates nunca reagiu, de viva voz, ao assunto.

Mas durante este tempo, foi à procura dos documentos que tinha em seu poder sobre o processo de equivalência do curso de bacharelato tirado em Coimbra e a licenciatura completada em 1996, na Universidade Independente.

Para os estúdios da RTP, o primeiro-ministro vai levar um dossiê com os certificados dos cursos tirados em Lisboa e em Coimbra, recibos do pagamento de propinas e correspondência trocada com o ex-reitor da Universidade Independente. O objectivo é estar preparado documentalmente sobre as questões que possam ser colocadas.

A entrevista, que vai ser conduzida por José Alberto Carvalho (RTP) e Maria Flor Pedroso (Antena 1), terá cerca de uma hora e José Sócrates não quer, no entanto, que o tempo seja todo utilizado a falar sobre a licenciatura na Independente.

Ao longo da semana, o primeiro-ministro manteve a agenda normal de trabalhos e quarta-feira, horas antes da entrevista na RTP, receberá a primeira-ministra da Nova Zelândia.

O próprio guião de dúvidas ainda sem resposta que o Público publica esta terça-feira serviu para Sócrates treinar. O primeiro-ministro entende que as respostas a muitas dessas questões já foram dadas aos órgãos de comunicação social que têm feito investigações à forma como concluiu a licenciatura. E, portanto, está preparado para reagir.

Apesar dessa preparação, a notícia desta terça-feira do Rádio Clube Português que chamava a atenção para o facto de em 1993 na biografia de Sócrates enquanto deputado constar a licenciatura em Engenharia Civil (que só seria completada em 1996) surpreendeu o gabinete do primeiro-ministro. O gabinete deu a explicação que a informação prestada na altura foi a correcta, a de bacharelato, e que Sócrates é «alheio» ao erro.


Há umas semanas o Major Loureiro, ao Expresso disse que queria ser julgado na televisão. Muitos se riram, mas vê-se agora - não está só. Qual Parlamento, qual imprensa, qual carapuça - o Primeiro-Ministro de Portugal prepara-se - ao que parece - para fazer o mesmo, a propósito do hipotético "canudo dourado". Sinais dos tempos. Mais um prego, mais um.

Publicado por Manuel 23:36:00  

5 Comments:

  1. Joao said...
    E o exame da 4ª classe? será que também vai no dossiê?
    naoseiquenome usar said...
    Os canudos são uma chatice. :)
    José M. Barbosa said...
    Excelente!
    Como sempre.
    ricardo batista said...
    Não sabia que o PM ia ser julgado logo à noite. Pensava que já tinha sido de preceito ...
    João Villalobos said...
    Eu não disse? ;)

Post a Comment