Um espelho côncavo

Corre agora mesmo na RTP1 o programa Prós & Contras, sobre a "juventude inquieta". Problemas, problemas, problemas. Empregos precários, salários baixos, recibos verdes, desemprego e ensino fraco.
O professor catedrático José Barata Moura, cantor nas horas vagas, adianta explicações denunciadoras do neo liberalismo, com o aplauso geral. Como é óbvio não se reconhece no grupo etário, nem na classe da inteligentsia que nos criou este "Estado a que chegamos". Está de fora, como muitos outros...

Sobre o ensino superior, o Público de hoje, alertou para a existência de um estudo de um professor da Universidade do Minho, Manuel Caldeira Cabral, sobre a Expansãodo sistema de ensino superior nas últimas duas décadas.
O diagnóstico do académico não podia ser pior: " Investimentos em cursos sem mercado de trabalho". "O Estado empenhou-se em aplicar importantes recursos financeiros e humanos para expandir a oferta de vagas em cursos que formaram professores que o próprio Estado não quer hoje contratar".
Quem quiser ler o estudo com maior atenção, pode ler aqui. Verá o espelho de um país e o reflexo da classe política dos últimos vinte anos. O desastre anunciado.

Publicado por josé 23:07:00  

4 Comments:

  1. tina said...
    Eu acabei o curso, emigrei, voltei e deparo agora com discussões destas, que indicam que se fala muito mais sobre os problemas mas eles continuam na mesma.
    josé said...
    Apanhei agora uma referência da apresentadora, aos blogs...para vituperar o anonimato.

    Enfim, com comentadoras destas, alinhadas no sistema, para quem o anonimato é o problema da blogosfera, pouco poderemos esperar.
    Anónimo said...
    Cravo vermelho ao peito
    a todos fica bem
    dá sempre muito jeito
    a certos filhos da mãe!

    Esta musiquita cantada nos idos de 75 por Barata Moura, assenta como uma luva, passados 30 anos em José Barata Moura!!!
    lusitânea said...
    Não vi a Fátima mas acerca das Escolas Superiores de Eduacação criadas aos montes na época Guterrista com quadros do PS pois então o país vai ter de penar muito para sustentar aquele luxo asiático que é produzir o "nada"
    Aumentaram o EMPREGO ao longo de anos e anos como quem investe em fábricas , só que NADA se produz...
    Agora são as mulheres da limpeza que se lixam...

Post a Comment