o caldo entornado, em Braga

"A seguir, discutiu-se o pagamento: ele pôs a hipótese de ser um sinal num contrato-promessa, já considerado pago, num empreendimento deles(...)"
Continuar a ler, nesta página, tirada da revista Tabu, do jornal Sol, esquemas, segundo Ricardo Sá Fernandes, advogado que aceitou "descobrir" um suborno que conduziu a uma acusação de corrupção activa contra Domingos Névoa, o empresário de Rio Caldo, Terras de Bouro, com um sucesso a toda a prova: a Carclasse que distribui Mercedes por todo o Minho, é dele, enquanto sócio do grupo Rodrigues & Névoa...e a Bragaparques, com parques subterrâneos, até na Praça da Figueira, também é.
Em Braga, um dos parques de estacionameno, na Praça da República, ficou concluído em 1996. Segundo a Tabu, o parque da Bragaparques( que nem sequerse constituiu como empresa até anos recentes) esteve ilegal até 2005. Durante esses anos, nem uma única multa ou até mesmo auto de contra-ordenação. O MP de Braga, também nunca deve ter sabido de nada, por supuesto. E o DCIAP muito menos.
De acordo com o artigo da Tabu, "Através da escritura assinada em 1994, a Câmara de Braga recebeu 221 lugares do parque Conde de Agrolongo e cedeu os direitos de propriedade das duas praças á Bragaparques, tendo ficado definido o valor de 963 mil euros para os bens permutados. A autarquia doou então, 141 lugares ao Sporting Club de Braga e 80 ao ABC ( Académico basket Club) em Junho de 1995, sabendo que os clubes iriam vendê-los. O comprador ...foi a Bragaparques. Está já tudo prescrito ? O artigo completo da Tabu, vale como espelho de um país. Um grande espelho.

Publicado por josé 19:00:00  

1 Comment:

  1. lusitânea said...
    Cheira mal onde quer que se meta o nariz...

Post a Comment