Ajuste de contas, pessoal!

O ministro da Defesa do governo português, Luís Amado, disse há alguns minutos , na RTP1, algo enigmático sobre o caso dos alegados voos da CIA, na ilha Terceira e cuja polémica tem sido alimentada pela eurodeputada socialista Ana Gomes.
Disse que "O Estado não pode ser usado para ajustes de contas com o passado. E ajustes de contas pessoais".

Não me lembro de ter ouvido a um governante, em exercício de funções, algo tão esquisito. "Ajustes de contas pessoais", neste caso?
Importa esclarecer já quem é que pretende ajustar contas com quem. E pessoais ainda por cima, abusando da dignidade das instituições do Estado, como instrumento de ajuste de contas. E- evidentemente- retirar daí todas as consequências políticas e não só.

Publicado por josé 22:43:00  

6 Comments:

  1. lusitânea said...
    O Min NEG ESTRANG lá saberá...mas a deputada europeia cada vez vê mais acerca de menos e menos...
    Mas é acerca do JPP que venho postar pois tem a mesma posição acerca do sargento...
    Só me admira neste caso haver bastante unanimidade da clase acerca da defesa do colectivo e o mesmo não ter acontecido acerca do caso casa pia e das miraculosas escalas... estou para ver se défice se agrava com a "indemnização"...
    Zé-da-Esquina said...
    Se calhar, a frase do MNE não terá o alcance que aparenta ter. Cheira-me que apenas se quer referir a eventuais rancores "anti-imperialistas" que subsistam em A.G.
    Quanto ao JPP, ainda que mereça as críticas para que remeterá o comentário anterior, foi bom que tivesse (ele e L. Xavier), para ver se começa a entrar um pouco de racionalidade no assunto.
    Agora, não parece de se dizer, de todo, que tivesse feito a "defesa do colectivo" (ressalva: só ouvi um pouco da parte final do programa). Mas do que foi ouvido, se se disser que contrapôS a necessidade de se contar com as soluções legais em vez da sujeição a uma inventada "vox populi", estarei de acordo.
    tina said...
    Ele só disse a verdade.
    anti-tudo said...
    Quando o Ministro diz que o Estado não pode ser usado para ajustes de contas está cheio de razão: para ajustar as contas existe o Tribunal de Contas.

    É mais ou menos o mesmo raciocínio do Juiz que entendeu que no "apito dourado" o "café com leite e a fruta" era simplesmente do pequeno almoço do árbitro que se falava.
    anti-tudo said...
    Quando o Ministro diz que o Estado não pode ser usado para ajustes de contas está cheio de razão: para ajustar as contas existe o Tribunal de Contas.

    É mais ou menos o mesmo raciocínio do Juiz que entendeu que no "apito dourado" o "café com leite e a fruta" era simplesmente do pequeno almoço do árbitro que se falava.
    Anónimo said...
    Também ouvi e não percebi. Mas nada admira num ministro baço num governo opaco e num país cada vez menos transparente.

Post a Comment