Certeiro, mas difícil de contrariar

«A escola tem de exercer alguma pressão educativa sobre os estudantes e mostrar-lhes que nem tudo o que se faz na vida se faz por gosto. É necessário trabalho e são necessários sacrifícios»

NUNO CRATO, professor no ISEG e Presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, à Sábado

Como é que se trava esta terrível ditadura do facilitismo e do prazer imediato? Haverá caminho para trás nesta bola de neve de perda de hábitos de trabalho e de aumento exponencial da irresponsabilidade? Como serão, daqui a uns anos, estes adolescentes geração Playstations-Messenger-Hi5-Telemóvel de Terceira Geração? Serão capazes de ser... adultos?
Ok, a culpa não é deles, ou, pelo menos, não é... só deles. Talvez seja mais da geração que os antecedeu e de uma inelutável evolução tecnológica e social. Ou será que o progresso tecnológico, a partir de agora, vai obrigar a um retrocesso social?

O problema é que isso, para o caso, não vai interessar rigorosamente nada.

Publicado por André 18:24:00  

2 Comments:

  1. AV said...
    E quem não é utilizador do Blogger?
    Como pode comentar?
    Libório said...
    Realista. Um post muito certeiro e perfeitamente pertinente.
    Estamos a caminhar para o fim do pontão em termos de educação e rigor.Penso que mais 20 anos e isto poderá ter alguma mudança para melhor,mas para já o caminho ainda é para baixo.

Post a Comment