A selecção de todos noz

O autocarro que transportava ontem a equipa portuguesa até Colónia, onde esta tarde se estreará no Mundial de futebol da Alemanha, ficou retido num engarrafamento provocado por um acidente de viação. Gilberto Madaíl, presidente da federação, manifestou a sua indignação criticando a organização do Mundial por tão insigne comitiva não ter prosseguido a viagem escoltada pela polícia, consabidamente apanágio de Portugal, nos termos da concordata celebrada entre o Estado e o Futebol.

Publicado por Nino 10:49:00  

6 Comments:

  1. Francisco Bruto da Costa said...
    Refere-se decerto a uma concordata entre o estado-a-que-isto-chegou e o futebol...
    Teófilo M. said...
    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
    Teófilo M. said...
    O futebol por vezes (poucas) dá-nos algumas alegrias, mas também nos envergonha (muitas vezes) com este tipo de parolices...
    sniper said...
    Espero francamente que Gilberto Madaíl não faça nenhum protesto na FIFA, porque para vergonha bastou Saltillo no México. Ouvi as declarações desse distinto dirigente e político português a queixar-se que era inadmissível terem estado uma hora a mais no tráfico do que o previsto, e ainda procuro as razões para tão grande indignação. Vou deixar algumas pistas à vossa consideração:

    - O Gilberto pensava que estava em Portugal, onde as regras são sistemáticamente atropeladas a troco de qualquer pretexto. A polícia alemã escoltava e indicava o caminho do hotel à selecção. Nem o Bush ou o Rumsfeld estavam no autocarro, onde uma paragem num engarrafamento pode ser a "morte do artista",e nínguém estava ferido ou doente a precisar de assistência no autocarro. Escolta de cortesia e protecção da organização e polícia alemã.
    - O Gilberto comeu algo que lhe fez mal aos intestinos.
    - O Gilberto tinha uma call girl paga à hora no quarto do Hilton de Colónia.
    - O Gilberto sofre de claustrofobia.
    - O Gilberto tem a mania das grandezas.
    - O Gilberto já está a fabricar desculpas para um eventual desaire da selecção.
    - O Gilberto leu mal o contrato que regia a participação da nossa selecção no mundial, onde estatuto VIP não era de certeza mencionado.
    Em suma, terceiro mundismos...
    Arrebenta said...
    Fomos à Maya, e o Horóscopo da Selecção estava cheio de "sinais" (segundo o Mosco, e -- baixando 30 patamares -- a Cavaca e a Socratina, parece que essa agora é a palavra-chave: coisa muito moderna, desde a Gruta Chauvet, Altamira, Stonehenge, Mênfis, a Assíria, a Pitonisa, a Sibila de Cumas, a Estrela de Belém, o Cometa Halley, o Cracatoa, o tsunami, etc...), e os "sinais" falavam todos de retoma, e de uma vitória, embora de saltos altos.

    Para mim, que odeio sinais e Futebol, vim mais descansadinho para casa.

    Mas hoje acordei e resolvi telefonar ao Professor Alaje (que está em todas as casas de banho da Expo) e à Madame Sinhá, a Bruxa de Cabinda.
    Pois, vejam lá como as coisas são, o horóscopo angolano cantava exactamente as mesmas coisas, se bem com um sotaque a catinga.
    Suponho que, com o tempo, os próprios astros terão sido privatizados, passaram a funcionar pior, e em mera função do lucro, pelo que decidi avançar com a minha própria previsão: lá para o cair da noite, mais raiva, conflitos raciais e algumas facadas.
    Fique em casa.
    delfux said...
    BomDia,
    não sendo eu fanatico da bola, e achando condenavél todo o conluio e compadrio entre ESTADO e FUTEBOL, com todas as benesses e apoios; e reconhecendo facilmente o nivel baixo dos dirigentes desportivos que nos calham em sorte não posso neste caso deixar de estar de acordo com a indignação de Gilberto Madail.

    Senão vejamos, a selecção dos EUA foi escoltada por um verdadeiro "exercito" de policias, só batedores seriam mais de 20, e mesmo reconhecendo as diferenças, acho que é lastimavel, que varios carros (deveriam ser alguns VIPs presumo eu) tenham seguido pela faixa da direita, devidamente acompanhadas pela policia, fugindo assim ao engarrafamento. Ora parece-me bem que GilbertoMadail não estaria a requerer nenhum tratamento particularmente especial.
    Apenas e só pretendia que dadas as circunstancia, lhes fosse cedido um tratamento consentaneo com o evento em que participam!

    Há certamente muito para criticar, e muita indignação com sentido, no que ao Futebol diz respeito, MAS NESTE CASO concreto não me parece que haja alguma coisa a apontar ...

Post a Comment