Improváveis coincidências políticas

O desempenho do Prof. Cavaco Silva como Presidente da República vai gerando as primeiras manifestações públicas da prática muito portuguesa de dizer "eu votei nele mas não foi para isto".

Conheço sobejamente a prática, que costumo aplicar ao actual Governo a propósito de certas medidas. Até aí tudo normal. O que não é normal é que, de repente, percebam todos que foram enganados.

O Manuel proclama: "Afinal, não foi para que tudo continuasse na mesma que eu votei no Prof. Cavaco, nem eu, nem, suspeito, muita gente..."

O Paulo Gorjão vai de dizer que: "a consequência disto é que Cavaco Silva se põe a jeito para ser comparado com os seus antecessores. Ora, quem o elegeu não queria, certamente, mais do mesmo."

Esperavam o quê, então? Um golpe de Estado a partir de Belém?

Publicado por irreflexoes 17:12:00  

5 Comments:

  1. rb said...
    Está a reflectir bem!...
    maloud said...
    Os dois senhores que refere desconheço o que esperavam, mas que havia gente que anunciava e esperava mudar de regime no dia da tomada de posse, ai isso havia.
    Fernando Martins said...
    Eu não esperava nada, para além de uma bofetada de luva branca no Dr. Soares (e seu séquito), no Eng.º Sócrates e no PS...

    Só apetece dizer "aqui d'El-Rei"...
    rb said...
    E quem deu essa bofetada Fernando Martins? O Cavaco?!...
    SpamSpam said...
    É nestas alturas que eu fico contente de poder dizer: "Eu não votei nele."

    Quanto ao Sr. Fernando Martins:
    Acha que o Dr. Soares e seu séquito levaram uma bofetada? É certo que sim. Mas não foi do Prof. Cavaco Silva

Post a Comment