Nem mais nem menos

A propaganda chegou ao Diário da República:

O nascimento de uma nova figura.

O Legislador (ostensivamente) panfletário.

Com as novas regras contidas neste decreto-lei, bastarão dois registos na conservatória e duas publicações num sítio na Internet, a efectuar por via electrónica, para concretizar uma fusão ou cisão. Antes do XVII Governo Constitucional começar a actuar neste domínio, eram necessários três actos de registo nas conservatórias, quatro publicações em papel na 3.a série do Diário da República, uma escritura pública a celebrar no notário e duas publicações em jornais locais para efectuar uma fusão ou cisão."


in Exposição de motivos do Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março.

Publicado por irreflexoes 13:03:00  

2 Comments:

  1. Arrebenta said...
    O Simplex do Arrebenta

    Uma só medida, para ser mesmo simples: leitura retrospectiva de todos os Diários da República, posteriores ao dia 25 de Abril de 1974, e colocação num estatuto de Lugares de Cunha de todos os filhos, filhas, enteados, primos, primas, amantes, enjeitadinha, filhos de pai-in-cornos, compadres, comadres, conluiados de Partido, fretes pós-sexuais, abortos, pessoas com o mesmo apelido, ninhadas de mães prolixas, cargos-resultados-de-um-jantar, de-telefonemas-apressados, de-aflições-súbita-de-uma-semana, filhotes de todas as marés partidária, etc., etc e tal,
    dizia eu
    de que,
    nomeados para a Coisa Pública pós-25 de Abril,
    depois de cumprida esta tarefa, fazia-se a mesma releitura, segundos os mesmo critérios de todos os nomeados em data anterior ao referido dia 25 de Abril, se ainda vivos, com direito a imediato afogamento em balde doméstico,
    sendo os restantes imediatamente expostos num Pelourinho, rebaptizado de PELOURINHO DA CUNHA, situado na Expo, perto do Novo Casino de Lisboa, ou nas capitais das Cinco Regiões Administrativas do País, e no qual a ira dos restantes cidadãos teria uma semana para se manifestar, passando por insultos públicos, com direito a incluir o nome da mãezinha, do pai e da irmãzinha, apedrejamentos com os célebres lintéis milionários do Vereador Vasco Franco, e alçamentos de perninha, com direito a mijadela indignada sobre as vítimas.
    Ah, obviamente tal hercúlea tarefa iria obrigar à contratação de 20 000 novos funcionários, a recibo azul, e prever-se-ia ter a duração de 10 anos, ou dois mandatos presidenciais.
    A Bem da Nação, etc. e tal.

    -------------
    (Adenda ao anterior)
    Cumprido o Simplex na Cousa Pública, estender-se-ia à Privada, e, uma vez o país deserto, esperar-se-ia que a iniciativa mais próxima tomasse a dianteira, prevendo-se termos, em dez anos e dois meses, o país solidamente unificado com a Coroa Espanhola.

    http://braganza-mothers.blogspot.com/
    rb said...
    Por melhores que sejam as medidas deste governo, elogiadas por todos e mesmo por quadrantes políticos bem divergentes do PS, aqui a GLQL há-de sempre vislumbrar algo negativo. A isto chama-se cegueira e populismo políticos, e ficam sem credibilidade para criticar quando for realmente necessário.
    Dois registos e duas publicações na net em vez dos anteriores 3 actos de registo, 4 publicações no DR, 1 escritura e 2 publicações em jornal local. Isto são factos notáveis meu caro Irreflexões, não é propaganda e não é demais afirmá-lo na exposição de motivos. Irá representar para as empresas muitos milhares de contos de poupança e um incentivo ao dinamismo empresarial.
    Enfim, tão simplex, tão simplex, e nunca ninguém o tinha feito. É extrordinário.

Post a Comment