uma pena

... é tudo o que há a dizer sobre Margarida Marante. Uma pena mesmo. (sem direito a link)

Publicado por Manuel 22:42:00  

14 Comments:

  1. Corrector said...
    Que significam aquelas reticências antes do texto?

    A mim parecem-me a mais, pois podem significar que há alguma coisa antes, que o presente texto é continuação de algo.

    Ora eu penso que não há nada antes, nem durante, nem depois! Ou estarei errado?
    Coutinho Ribeiro said...
    Confesso que não resisti a ir procurar o texto que ainda não tinha visto. Fiquei estarrecido! Afinal, é tão fácil cair das alturas...
    Anónimo said...
    Oh corrector

    A reticência inicial significa que a frase é continuação do título.

    Já agora alguém me diz onde é que a dita senhora escreve?
    esgoto said...
    as "fragilidades" femininas têm o condão de as transformar em moscas: gostam de pousar na merda.
    Olindo Iglesias said...
    Pede-se esclarecimentos. Obrigado.
    Bart Simpson said...
    que se passa, ou passou?
    homoclinica said...
    Será isto:
    http://jn.sapo.pt/2006/02/10/ultima/marante_queixa_se_sequestro.html
    ???
    homoclinica said...
    Oh! Talvez isto:
    http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=191193&idselect=181&idCanal=181&p=0
    Realmente...estas coisas viram-se sempre contra as vítimas... por isso os agressores continuam alegremente impunes, seguros e confiantes! Viva a justiça em Portugal! Onde vale mais aguentar e ficar calada! Afinal estamos tão perto de África e dos regimes árabes!...
    Anónimo said...
    O homoclínica,

    Onde é que não há agressosres que vivam "alegres e confiantes"?
    Tudo serve para a lamúria.
    Corrector said...
    Oh anonymous das 1:41, essa é boa!

    Quer então dizer que todos os textos com título devem começar por reticências?

    Ou só alguns?
    Corrector said...
    Mas afinal as tais reticências sempre estavam certas: o texto era continuação de alguma coisa...
    Só que essa alguma coisa, apontada pelos comentários posteriores, era-me completamente desconhecida, por isso interpretei mal a intenção do autor.
    Anónimo said...
    Caro Corrector

    Por vezes, só por vezes, o corpo de um breve texto é continuação do título.
    A alternativa é repetir o título imediatamente antes do texto.

    Parece-me que graças ao Google já percebi do que se trata.

    É mesmo pena.

    Neste mundo, há muitas coisas (quase todas) que eu não entendo.

    É a vida...
    Bart Simpson said...
    estava a "leste" de tudo isto...de facto, sem palavras.
    Maria de Portugal said...
    E veio a lume por se tratar de quem trata...
    Mas quantas mulheres são vítimas destas situações, dentro do seio da família, e não podem sequer denunciar o agressor por depender dele economicamente? - caso de crianças, adolescentes, deficientes, etc.

    Parece-se, embora com outros contornos, com o caso do assalto, sequestro e tentativa de violação da actriz Lídia Franco.

    Se se tratasse de uma anónima, seria a polícia tão célere no avançar do caso?

Post a Comment