24

Uma das melhores séries de sempre. E a 5.ª Época está a ser fantástica (recado para o Adufe - eu sei quem tem os episódios desta e os DVD's das outras todas...).

Como se não bastasse o orçamento milionário, que liberta os argumentistas de excepção para escreverem o que lhes apetece (e agora o Jack manda vir dois helicópteros e assim ...), a realização fora de série, e tudo o mais, ainda tem esta menina:



Foto levemente furtada daqui.


A não perder sob pretexto algum. Para espairecer ... do país, da política e da blogosfera, não necessariamente por esta ordem.

Publicado por irreflexoes 11:20:00  

10 Comments:

  1. mr.vertigo said...
    Por cá, e apenas enquanto não é colocada à venda, já roda a 5ª época, actualmente em exibição nos States e numa internet perto de si.;)
    Rui MCB said...
    Não é que precisasse mas fiquei com mais água na boca :-)))
    É mai linda que a Escarleta :-))
    Anónimo said...
    Clássico: quando as coisas começam a correr mal para a GL lá vem a mulher nua na capa! Falta os elogios a outros blogs para tentar apelar á solidariedade... É tudo muito previsivel.
    irreflexões said...
    Caro Anónimo,

    A senhora não se encontra nua, nem por parâmetros fundamentalistas.

    E esta é a única parte do seu comentário que merece resposta.
    Anónimo said...
    Eu diria mesmo mais, a senhora não o está e é uma pena que não o esteja.
    mr.vertigo said...
    Clássico: quando as coisas começam a correr mal para a GL lá vem a mulher na capa e os comentários idio..., digo, anónimos na caixinha. É tudo muito previsivel.
    Anónimo said...
    Este blog tem muita autoridade para criticar anónimnos...
    Joao said...
    O que eu digo é que já não há pachorra para séries onde não se anda nem desanda, para encher chouriço, como se diz por cá. Ou... talvez quando estivermos no 24 , época 32, a coisa melhore :)
    irreflexões said...
    Entretenimento é uma coisa, e achar que a série é boa (como é) não significa sufragar tudo o que nela se retrata.

    Eu, por exemplo, acho que existe uma excessiva "desumanização" do personagem principal.

    Aquele nível de desapego à própria vida eu ainda atinjo, mas a disponibilidade para cercear repetidamente afectos que tenho por superiores a isso (o amor de uma companheira e, mais grave, de uma filha), provocando deliberadamente dor nos mais próximos em nome do "interesse nacional" perturba-me.

    O excelente e sempre oportuno Formiga Bargante (aqui: http://formigabargante.blogspot.com/2006/01/depraved-heroes-of-24-are-himmlers-of.html)
    chama a atenção para uma outra dimensão, desenvolvida num perturbador artigo (http://info.interactivist.net/article.pl?sid=06/01/25/2125257&mode=nested&tid=22).

    O uso e abuso da tortura na série, sempre colocada em termos que induzem a concordância do espectador. Pela urgência, pelos valores alternativos empresença, etc.

    É verdade que, ao contrário do que parece resultar daquele texto, existe pontualmente uma problematização da questão (na 4.ª série, por exemplo, quando Jack Bauer tortura o ainda marido da sua companheira de circunstância).

    Mas o sentimento geral, há que reconhecê-lo, é apologético, para não dizer apologista, da ideia de que os fins justificam os meios. A problemática, a bem dizer, resume-se a essa velha questão.

    Em todo o caso, sempre podemos dizer que essa é uma outra mais-valia de uma excelente série. Força-nos a pensar e a situar-mo-nos perante este tipo de dilemas ético-filosóficos de que o corre corre do dia-a-dia nos vão afastando cada vez mais.

    Um forte abraço.
    Dizeres Meus said...
    Meus Caros,
    S´+o um reparo, nesta série, esta menina não aoparece. Está na Europa com o marido que ficou sem mão na 4ª serie.

Post a Comment