Alegre

Como não há (?!) nada de mais importante para discutir discute-se Alegre, e o que é que este vai ou não vai fazer com o seu resultado presidencial. Como o bom povo gosta é de 'novelas' cá vamos ter mais uma, breve sem grandes episódios pesem os esforços. Convém pois recordar duas ou três coisinhas básicas... A candidatura de Alegre foi tudo menos de ruptura ou verdadeiramente independente. É verdade que foi contra a vontade do directório do PS mas nada mais. Alegre, o corajoso, renunciou ao mandato de deputado ? Suspendeu-o, ao menos ? Não, nem isso. Nem na questão - essencial - do Orçamento vimos Alegre a tomar algo que se parecesse remotamente com uma posição ? Simplesmente, não apareceu, por questões de... agenda.

Para finalizar, uma última nota sobre a comoção indignada que grassa por aí acerca do tratamento aplicado por Sócrates a Alegre, no passado domingo. Chamem-me o que quiserem, mas eu gosto é da política sem falinhas mansas, sem punhinhos de rendas, sem hipocrisias, gosto da política 'à moda antiga', e, por isso, não posso deixar de apreciar a 'performance' de Sócrates, por razões formais e substanciais. Para começar, Sócrates, para variar, mostrou na hora quem verdadeiramente mandava, matando, à nascença qualquer veleidade de quem se preparava para atacar uma sua eventual fragilidade, só pecou por não ter assumido o acto enquanto tal, e para terminar há que dizer que do ponto de vista formal Alegre não pode alegar rigorosamente nada - ao não suspender o mandato de deputado, ao manter, como manteve sempre uma enorme ambiguidade em relação ao PS e ao Governo, o 'independente' Alegre nunca deixou, em bom rigor, de ser um mero subalterno de Sócrates a quem, mesmo na noite eleitoral, não podia deixar de prestar vassalagem, ponto. Para rematar, há outro 'pequeno' problema - depois de ter permitido a Sócrates livrar-se da tralha 'soarista', ou pelo menos deixar de lhe dever favores, Alegre quer atirá-la, de novo, para o colo de Sócrates ? Vai ser candidato ao Parlamento Europeu, como antes, já tinha amansado quando, sem motivo político aparente, arranjaram um lugarzito de deputada à irmã - é deputada sabiam?...

N.A. ver também o que diz a Constança aqui.

Publicado por Manuel 13:41:00  

2 Comments:

  1. Neftis said...
    "A candidatura de Alegre foi tudo menos de ruptura ou verdadeiramente independente."

    Completamente de acordo. A candidatura de Alegre foi uma birra, depois do "terrível" aparelho socialista não lhe ter feito a vontade. E foi ainda uma birra pessoal por o candidato escolhido ser Mário Soares. Se fosse outro o candidato do PS, Alegre não avançava. E mais. Muita da animosidade que Mário Soares encontrou na campanha, e que lhe custou a humilhação do resultado final, foi instigada por Alegre e seus apoiantes, que ostentensivamente quiseram virar os militantes e eleitores socialistas contra Soares.

    Esclareço que sou simpatizante do PSD e votei em Cavaco Silva. Mas se algo de semelhante se passasse no PSD, eu não aceitava paninhos quentes sobre uma traição como a que Manuel Alegre fez ao PS.

    Manuel Alegre é a última pessoa que pode falar contra os aparelhos partidários. Ele sempre foi um aparelhista do PS. Foi em favor dos interesses do aparelho do PS que Alegre se manifestou contra a presença (exagerada, segundo ele) de independentes oriundos dos "Estados Gerais" nos governos de António Guterres, acusando-os de não serem verdadeiramente de esquerda.

    A inveja e o sectarismo ideológico de Alegre, e outros como ele, enfraqueceu a qualidade da composição do governo, deteriorando a governação, à medida que os independentes foram saindo, substituídos por aparelhistas muito pior preparados para governar. O pântano a que António Guterres se referiu, quando fugiu das suas responsabilidades, estava dentro do seu partido. E continua a estar. É bom que José Sócrates se ponha a pau...
    DJ Oração said...
    Há muito que no rectângulo tinha visto que Imprensa,Políticos, Cargos de Empresas participadas pelo estado são tudo sítios onde há familias. Às vezes acima da partidarite. E esta hein!!!
    Pelos vistos não é essa a estratégia que resolve os problemas.

    "tantas vezes vai o cantaro à fonte que um dia lá deixa ficar a asa"

Post a Comment