Afinal

a história não se repete, pois não?

A 26.1.1986 na 1.ª volta das eleições presidenciais Mário Soares obtém 25,43% (1 443 683 votos), face aos 46,31% (2 629 597 votos) de Freitas do Amaral Cavaco Silva (…) Mário Soares é eleito (51,18% - 3 010 756 votos) à 2.ª volta a 16.2.1986, derrotando Freitas do Amaral Cavaco Silva (48,82% - 2 872 064 votos).

Original aqui

Publicado por irreflexoes 10:59:00  

2 Comments:

  1. diogenes said...
    Vou votar Cavaco Silva porque o considero o menos mau dos candidatos e, porque talvez perceba melhor o universo competitivo em que estamos actualmente neste planeta, possa ter a noção de que a nossa sociedade não tem futuro nos moldes actuais por insustentabilidade financeira.
    Por outro lado, a derrota de Cavaco Silva traria algo de bom, em vez de uma demolição controlada do sistema actual - conduzida por Cavaco e Sócrates; assistiriamos a um efeito catalítico acelerando a trajectória para o abismo, gerando a derrocada do sistema, não deixando qualquer hipótese de salvaguardar privilégios de algumas corporações, tudo teria de ir a zero para se poder recomeçar.
    Olindo Iglesias said...
    Por amor de Deus... recomeçar do zero novamente não. O país passa a vida nisto.

    Foi a queda da Monarquia, a Primeira República, a instauração da Ditadura, o Estado Novo, o 25 de Abril, e estado caótico em que agora vivemos.

    O que Portugal precisa é de exigência, de gente séria, honesta e trabalhadora. Enquanto o povo preferir assistir ao circo em vez de exigir responsabilização isto não vai mudar nunca; nem mesmo com uma bomba de neutrões!

Post a Comment