Nada de fanatismos

Churchill disse uma vez que "A fanatic is one who can't change his mind and won't change the subject.".

Portanto, mudando de assunto, ou então não, e sobre os aumentos (!) propostos para a função pública, compete dizer duas coisinhas:

1) Ou bem que queremos uma Administração Pública qualificada, rejuvenescida e capaz, ou bem que deterioramos 8% em 5 anos o seu nível remuneratório, afastando todo e qualquer ser minimamente competente para o sector privado;

2) Ou bem que defendemos que aumentos e produtividade devem andar de mão dada, ou bem que denunciamos que a actual realidade é injusta porque os funcionários públicos não tiveram uma queda de produtividade de 8% e, portanto, não faz sentido que percam essa remuneração. Mais, essa perda de remuneração é um incentivo claro a uma diminuição da produtividade.

E mais uma, a pedido. Não, não cabe nas competências do Presidente da República imiscuir-se nas negociações salariais.

Publicado por irreflexoes 16:18:00  

1 Comment:

  1. lapis rabugento said...
    A crise do têxtil, vestuário e calçado, devido à liberalização dos mercados, reflecte-se em todo o país.
    Se a economia não avança, tudo o resto se ressente.
    E mais vale pobre vivo do que rico morto.

Post a Comment