Premonitório

Aquela clara madrugada que
Viu lágrimas correrem no teu rosto
E alegre se fez triste como se
Chovesse de repente em pleno Agosto

...

E viu que a pátria estava toda em ti
E ouviu dizer adeus: essa palavra
Que fez tão triste a clara madrugada
Que fez tão triste a clara madrugada

O Canto e as Armas, 1974

Manuel Alegre, quem mais. O romântico pragmático, se assim lhe podemos chamar.

Publicado por irreflexoes 11:05:00  

6 Comments:

  1. Igrejas said...
    o sabujo josé lello dizia hoje na tsf que Manuel Alegre não tinha condições.fiquei na duvida.será que ele se referia a condições $$$$.sim,porque uma campanha..não são trocos.volta paulo morais!!!estás perdoado!!e deixo a questão..se manuel alegre tivesse dinheiro,será que ele avançava?De certeza!!!
    Anónimo said...
    Comentários pouco católicos, o que tendo em conta o nick ;)
    Anónimo said...
    Mário Soares?
    O bocas? O galgas?
    Então, o homem tem palavra: ele disse que não avançava, que estava reformado da política, e por isso não vai avançar, com toda a certeza.
    Ou Soares não é um homem de palavra?
    Anónimo said...
    Never say never...

    Se Mário Soares fizesse como Cavaco Silva, nunca falar, não erraria...

    Só erra quem fala e nunca acerta quem está calado.
    Anónimo said...
    Comparar Soares com Cavaco?
    A que propósito?
    Cavaco é um senhor, que começou a trabalhar desde pequeno.
    Um senhor!
    Fernando Martins said...
    Sou direita, estudei em Coimbra e aprecio sinceramente o poeta Manuel Alegre (a Canção de Coimbra tem-lhe uma dívida impagável).
    O que o seu camarada Soares lhe fez é imperdoável e, até quando na campanha subir ao palanque para apoiar Soares, todos irão perceber a asneira do Soares.

    Os anos não perdoam...

Post a Comment