Já!

M I C R O - C A U S A S

pode o governo sff colocar em linha os estudos sobre o aeroporto da ota para que na sociedade portuguesa se valorize mais a "busca de soluções" em deterimento da "especulação" ?

Respeito muito os signatários, mas há sociedades que valorizam mais a especulação e a análise, enquanto outras valorizam mais a busca de soluções.

Manuel Pinho, Diário Económico, 28-07-07

Todos nós ficaríamos mais informados e poderíamos discutir melhor, aceitando inclusive as razões do governo para tão vultuoso e controverso investimento. Não há nada a temer pois não? Não há segredos de estado, pois não? Não há razões para não se conhecerem, pois não? Até já deviam estar na rede. Eles devem estar feitos em suporte digital, é suposto. Por isso, ainda hoje podem ficar em linha, ou este fim-de-semana. Não há razões para demora.

Sugiro também, para no governo se ouvir melhor, que outros blogues e mesmo os meios de comunicação social possam todos os dias repetir a pergunta, o pedido, até ele ter a única resposta razoável. SFF.

José Pacheco Pereira

Mais, foi este o Governo, que quis uma comissão de sábios para investigar as contas do anterior, é este o governo que se arrisca a ser investigado - e humilhado - no futuro por sonegar, se não manipular, informação objectiva que sustente aquilo - que até prova em contrário - ainda mais ninguém viu.

Mais ainda, seria conveniente precisar exactamente em que estudos é que ainda vão ser gastos nos próximos tempos os tais 300 e tal milhões de euros...

A Ota não pode ser
apenas
uma questão de Fé!



Publicado por Manuel 14:10:00  

14 Comments:

  1. fernando gonçalves said...
    Avé Maria cheia de graça ...


    Nota: Pelo sim pelo não, vou já começando a rezar.

    Nunca se sabe se resulta...
    Rui MCB said...
    Sem dúvida Manuel!
    defensor do progresso said...
    O governo tem o seu próprio timing, que não é concerteza o timing do Pacheco Pereira, nem da comunicação social, nem dos blogs, nem da direita, nem dos economistas histéricos, nem dos comentadores de serviço. O governo já disse que em Setembro e Outubro tudo estará disponível. Porque não se acalmam? O mais curioso é que, na legislatura anterior, ninguém ficou preocupado nem histérico quando o inefável e reaccionário Dr. Mexia apresentou 4 (QUATRO!!!!) linhas para o TGV! E também não vi ninguém tão preocupado quando o não menos reaccionário Dr. Carmona declarou que a OTA era para avançar!
    Anónimo said...
    Senhor defensor do progresso...
    ... não sei se reparou que os outros anunciavam projectos e isso não tinha mal nehum.
    Ora estes ameçam que vai começar e já começaram a torrar dinheiro.
    esta é a a diferença...e o motivo do susto.
    Anónimo said...
    Excelente, o Anónimo anterior.

    O Mexia e o Durão Barroso (na altura Durão, ainda não José Manuel) foram para as cimeiras Luso-Espanholas jurar pelo TGV, mas na altura passávamos bem sem os estudos.
    E o confrade explica porquê: "os outros anunciavam projectos e isso não tinha mal nenhum".

    Lê-se e repete-se a leitura e percebe-se que quantos mais estudos aparecerem mais os lobotomizados vão achar que não adianta lê-los...
    Francis C. Afonso said...
    Quanto aos estudos da Ota, ou melhor, de um novo aeroporto para Lisboa, estamos a fazer estudos desde 1969. Pôr isso tudo em linha vai ser bom. Quanto ao TGV é bem mais fácil. Basta a Rave (www.rave.pt) disponibilizar tudo o que tem.
    Direct Current said...
    Estudos em linha? Na Net? É que é já a seguir...Estudos

    Recomenda-se o Internet Explorer porque em outro browser os links internos do próprio site não funcionam.

    Os estudos preliminares já estão disponíveis à que tempos, só que parece que se esqueceram de o dizer ao Pacheco Pereira. Raios...
    Anónimo said...
    O actual Governo não é diferente dos anteriores na promoção da trapalhada. A comunicação social e os seus apoiantes são apenas diferentes na estratégia de silenciamento de toda a crítica à trapalhada e à corrupção. O caso da Ota é tanto mais notório quando o ministro «responsável» teve (tem?) interesse pessoal e directo no assunto. Então aqui não há um evidente conflito de interesses? E será por acaso que 50 personalidades «independentes» mais que interessadas no assunto aparecem agora a subscrever o apoio à candidatura de Mário Soares? Esta Ota cheira mesmo muito mal...
    Anónimo said...
    O direct current disse que havia estudos. Fui lá ver e descobri que os tais estudos pouco concluiram. Basta ler, no resumo não técnico, o que os relatores afirmam não ter sido estudado que, por acaso, mero acaso, parece ser matéria muito relevante. Ou seja, os tais estudos da NAER pouco concluiram de relevante, apenas justificaram mais uns dinheiritos pagos a uma prestigiada consultora?
    Direct Current said...
    Ao Anonymous anterior...

    Não me parece. Se quiser tomar a atitude de que não deixar que a verdade estrague uma boa história, tudo bem. É o seu direito.

    Quanto a mim, quando toca a este assunto,já tenho bastante experiência na área da Aviação e do ponto de vista técnico (e não político) para mim são conclusivos. A Ota é a opção que menos riscos toma para o tráfego aéreo e potencia mais crescimento regional. A expansão da Portela, como o estudo o relata no resumo para os leigos (não técnicos), é uma opção que não é viável e que não têm sido tomada pelos restantes casos europeus (Oslo, por exemplo). Rio Frio aumenta o risco (mesmo que se use falcoaria) de acidentes devido à população de pombos-torquazes que habita na zona. Montijo é uma "no-no option". Alverca, pela sua proximidade com o estuário do tejo, e a interferência das rotas de aproximação com Montijo e Portela, nunca seria uma hipótese viável para albergar tanto tráfego aéreo comercial comum num aeroporto internacional.

    Todas as obras de construção de um Aeroporto acarrentam severos impactos ambientais, quer pelo ruído, remorfologia do terreno, ou destruição de habitats naturais.

    Gostava era de saber o que "os relatores afirmam não ter sido estudado que, por acaso, mero acaso, parece ser matéria muito relevante". Talvez o Anonymous tenha confundido os estudos de 1994 em que não se pondera as exigências ambientais, com este que começou em 1997 e que já leva em conta o impacto ambiental .

    Agora, se querem seguir o caminho de deitar abaixo a coisa porque sim, pá, força ... eu até ajudo - não era o Sócrates ministro nesta altura?

    Boas leituras.
    Anónimo said...
    A questão é simples:
    O PS nunca teve uma obra de referência, chegou a inaugurar algumas, mas foram lançadas pelos governos de direita. (Expo98, Vasco da Gama, etc)
    Agora, custe o que custar tem que haver obra, nem que para isso todos os contribuintes tenham que se empenhar ainda mais.
    Haja responsabilidade!
    Haja responsabilização!
    Vergonhoso...!
    (Onde estão os resposáveis da queda da ponte de Entre-os-Rios?)
    Anónimo said...
    Leiam isto que li num forum e digam de vossa justiça.

    "Vejamos as contas do NAL (Novo Aeroporto de Lisboa). O governo avalia em cerca de 3,5 mil milhões de euros o custo global da obra. Mas eu vou ser pessimista e digo que a obra vai custar 4 mil milhões.

    O Governo diz, por exemplo, que mete lá do Estado cerca de 10%. Eu vou ser pessimista e vou prever que o Estado vai lá meter, não 10%, mas mais algum, para os acessos e acessórios, digamos ao todo mil milhões de euros (cerca de 25% dos 4 mil milhões que virão dos privados). A obra vai custar ao todo 5 mil milhões, dos quais mil milhões são dos nossos impostos, isto é, do Estado.

    A obra vai ser feita em X anos.

    Pelas estatísticas dos construtores civis, eles dizem que nessas obras cerca de 40% do preço final da obra vai para impostos. Eu vou ser mais pessimista (sob o ponto de vista do Estado), e vou prever que em vez de 40%, o Estado vai arrecadar apenas 30% em impostos, isto é, 30% dos 4 mil milhões. Sobre os outros mil milhões adiantados pelo Estado também vão recair impostos (IVA, IRS, IRC, imposto sobre combustíveis, descontos para a Segurança Social, etc.). Se admitimos que no somatório dos impostos, eles repesentam 30% do custo total da obra, então temos que o Estado arrecadará, ao longo da obra, 30% de 5 mil milhões, isto é, 1,5 mil milhões.

    Conclusão: o Estado meteu lá mil milhões e recebeu 1,5 mil milhões. O Estado ganhou com o negócio 500 milhões.

    Quanto à exploração futura, ao Estado basta fazer como faz com a ANA. Entrega isso ao privado que se abalançou a fazer a obra e a explorá-la no futuro (se houver de facto privado interessado, se não houver quites como dantes ). Claro que pode haver prejuizo futuro e o Estado lá terá de acudir ao fogo, pondo dinheiro. Até admito isso. Mas, se o privado arriscou, o risco será mínimo. Mas mesmo que tenha prejuizo futuro, quanto dinheiro não tira o Estado em impostos sobre mil coisas relacionadas com o novo aeroporto (turismo, impostos sobre combustíveis, IVA, IRC e IRS de mil pequenos e grandes negócios ligados ao aeroporto, desde os shopings até aos taxistas, passando por muitas outras actividades)?

    O Prof. Marvão Pereira, que não é burro nenhum, de contrário não trabalhava na América, já calculou isso e o lucro para o Estado é praticamente certo".
    Anónimo said...
    Alguém pediu estudos sobre o CCB de Lisboa, obra a pagar totalmente pelo Estado?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre a Ponte Vasco da Gama?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre a Expo98?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre a Casa da Música, paga totalmente pelo Estado?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre os comboios pendulares?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre a autoestrada Lisboa-Algarve?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre as centrais eléctricas construídas pela EDP, quando a EDP era do Estado?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos sobre as dezenas de ETAR's existentes em Portugal?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos quando o Durão Barroso acordou com os espanhois e anunciou que iria construir QUATRO linhas de TGV?
    Resposta: NÃO.

    Alguém pediu estudos quando Valente de Oliveira e Carmona Rodrigues, ex-ministros do PSD, anunciaram na AR que a OTA era para avançar em 2007?
    Resposta: NÃO.

    Então o que querem estes bananas que agora andam preocupados com estudos quando já se sabe que nem os vão ler porque a sua decisão política já está tomada que é a de deitarem este governo abaixo para lá porem os amigos que avancem com estas mesmas obras?

    E ainda têm a lata de falar mal dos políticos, quando são eles a fazerem figura ridícula.
    Direct Current said...
    Ao Anonymous das 6:28 p.m. :

    O ambiente deste blog é de especulação , critica aberta e pouco precisa, mandar abaixo porque sim, e guerrilha estatal. É o chamado terrorismo político. Para gozo dos seus escritores e comentadores, porque sim e porque têm essa liberdade - ainda bem.

    A seriedade não manda aqui. Para tal, recomendo frequentar o Portal do Governo

    É mais enfadonho, mas olhe que lá os tipos são responsabilizados pelo que dizem e fazem, aqui não...

Post a Comment