lá longe, muito longe...

O Aviz, do Francisco José Viegas, faz hoje 2 anos. Além de registarmos a efeméride não podemos deixar de notar que é praticamente o único blog a falar a sério do terramoto que se abateu sobre a vida política brasileira, o do mensalão - pacotes regulares de luvas pagas pela maioria presidencial de Lula e do PT a deputados e partidos da oposição de modo a manter as coisas adoçadas para o poder instalado, isto até com publicitários - sempre a imagem - à mistura.

É longe, é no Brasil e até há quem veja a coisa num registo humorístico e redutor já que mete uma certa esquerda...

E por cá ? Que aconteceria se se examinasse a sério, ao nível do estado e das autarquias, as extraordinárias convergências, os grandes financiamentos partidários (60/40 ou 70/30), os grandes pactos de regime, e de silêncio, as grande obras públicas, as grandes empresas públicas, os grandes grupos, financeiros e não só, as grandes construtoras ou as grandes sociedades de advogados ? Obviamente que não aconteceria nada, rigorosamente nada.

Só quem nunca andou nestas coisas é que pode pensar que não é urgente reformular todo o sistema de financiamento partidário, dado que a democracia tem custos que caberia ao Estado assumir plenamente. Infelizmente, neste vórtice demagógico de cortar regalias a eito falar em financiamento exclusivamente, ou quase, público de partidos é uma absoluta heresia. As pessoas esquecem-se que o saco azul em Felgueiras só atingiu a dimensão que atingiu porque os artistas de tão metódicos guardaram os papeis todos, ora não me parece que sejam os únicos a fazê-lo.

Felgueiras arrebentou por uma mera questão de saias, resta saber porque futéis razões um destes dias vão andar todos, como o Lula, a acender velinhas e a fazer de conta que nunca suspeitaram de nada...

Publicado por Manuel 17:51:00  

2 Comments:

  1. Anónimo said...
    O negócio do Queijo Limiano (com vossa licença...) não foi afinal muito diferente do 'mensalão', pois não?
    Free_Ipod said...
    hola. No hablo espanol.

Post a Comment