Os CTT Correios de Portugal, servem para quê?

...Essencialmente, para entregarem correspondência aos cidadãos.

No site da empresa, escreve-se eufemisticamente num elaborado Código de Ética que a missão da empresa, é o estabelecimento de ligações físicas e electrónicas entre os cidadãos”. Seja.

Vejamos então, este exemplo prático de ética empresarial: Um dos tais cidadãos que esperam da empresa que cumpra o que promete, recebe uma encomenda, um “ objecto volumoso”, na gíria postal do carteiro que muda mensalmente.

Como não se encontra em casa à hora da entrega, neste caso 12 horas, o carteiro que muda frequentemente, deixa um aviso, onde anota o dia e hora da entrega frustrada e avisa o destinatário que a pode reclamar num posto dos CTT Correios de Portugal, no dia seguinte a partir das 9 horas.

O cidadão destinatário chega entretanto a casa, na tarde desse mesmo dia e ainda a tempo de se dirigir ao posto dos CTT Correios de Portugal indicado no aviso, o que faz perto do encerramento do posto, a fim de permitir a devolução e depósito da mercadoria, pelo carteiro.

Apresenta o aviso à menina do guichet. Esta, comunica-lhe amavelmente que só no dia seguinte poderá ser levantada a embalagem. A qual estivera cerca das 12 horas em sua casa e só não fora entregue, porque ninguém lá se encontrava para a receber.

O carteiro não passa duas vezes pelo mesmo lugar e por isso, o objecto volumoso regressou à base da tranquilidade de estante postal, à espera do dia seguinte. Mesmo que já lá se encontre aquando da reclamação ao balcão. “Ordens superiores”, informa a menina. É proibido expressamente entregar correspondência, depois de ter sido depositada pelo carteiro, após o giro. Ainda que já aí esteja...

Então, é assim: O carteiro passa uma vez. Toca à porta, duas ou três. Ou nenhuma , até. Não entrega o objecto volumoso e deixa um aviso de levantamento, consignando que só no dia seguinte tal poderá suceder.
O destinatário, sabendo que o giro do carteiro, termina ainda antes das 15 horas e por isso, a correspondência se encontrará no posto, por volta das 17 horas, tenta a recuperação do objecto que lhe pertence, nesse mesmo dia, porque dele precisa e pagou a despesa inerente ao serviço prestado pelos CTT Correios de Portugal.

Esta entidade, empresa com a missão de “estabelecer ligações físicas entre os cidadãos “, corta a ligação, porque a administração decidiu que toda a correspondência devolvida no mesmo dia e depositada pelos carteiros, já nunca mais não pode ser levantada pelos proprietários, nesse mesmo dia. Mesmo que estes a estejam a ver com os olhos que observam as estantes. À vista de todos.

É para isto que servem os CTT Correios de Portugal? Então, arranjem-me outra empresa. Ou outra administração.

Publicado por josé 19:31:00  

14 Comments:

  1. lobo said...
    A realidade, e sei o que estou a dizer porque é o que fazem sempre comigo, é deixarem um aviso que, na realidade é uma mentira grosseira. E porque é que é uma mentira grosseira? No aviso fazem referência à hora em que passaram no meu domicílio, acrescentando que eu não estava em casa ou não atendi. Como é que podia atender se nem sequer tocam à campainha? O facto é que, pelo que leio isto é corrente em outros lugares. O abjecto que devia ser entregue nem sequer está com o carteiro. Ele apenas trás o aviso já preenchido com a indicação de que o destinatário não está em casa. Belo serviço! E pago!
    lobo said...
    Onde se lê "abjecto" deve ler-se "objecto".
    Tino said...
    Hoje fui buscar um desses "objectos volumosos" ao correio, um livro de 200 páginas, muito volumoso...

    Várias vezes me tem acontecido isso e estou em casa e não ouço tocar. Devo estar surdo.

    O menino Luís Nazaré é um dos responsáveis pela fraude do correio. Esta escumalha destruiu os CTT que funcionam pior do que os Correios-mores do Reino de há quinhentos anos.

    Há cartas que demoram hoje mais tempo a chegar ao destino do que demoravam há 500 anos quando eram transportadas por estafetas e caminheiros que andavam a pé.
    Nuno Nasoni said...
    Já me aconteceram ambas as situações descritas - ir levantar o volume no próprio dia, umas boas horas após o fim do giro do carteiro, e ser-me negada a possibilidade, e ter o aviso apesar de estar em casa.
    Ainda posso entender que o carteiro não leve o volume no giro, por razões logísticas. As razões para a prática relatada pelo José é que permanecem, para mim, um absoluto mistério.
    Miguel M. Ferreira said...
    O que me chateia é ir aos correios com o intuito de enviar uma carta...ou levantar alguma correspondência e ter que esperar longos minutos pois alguém está a levantar a reforma...ou a pagar o gás....etc....
    JPG said...
    Ainda há dias, num "inquérito" não sei de que misteriosa organização, a profissão "carteiro" surgia em 2º lugar, numa espécie de índice de confiança dos portugueses.
    Durante uns anos, assisti diariamente a um curioso ritual: enquanto eu tomava o cafezinho matinal, o carteiro da zona, sempre o mesmo, placidamente alapado numa mesa, preenchia com laboriosa paixão um lote de postais de "aviso"... enquanto aviava bagaços, uns atrás dos outros. Nunca recebi, em 22 anos, uma única encomenda, mas recebi uma porradaria de avisos para as ir levantar. Quando, um belo dia, "apanhei" esse carteiro a meter-me mais um aviso na caixa, de mãos a abanar, o responsável pela central de correios disse-me que eu teria de "provar que estava em casa".
    É Portugal, ninguém leva nada a mal.
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Arquivo de imagens e de factos acerca da progressiva degradação dos serviços dos CTT:

    Máquinas avariadas, outras que nunca funcionaram, cartões inexistentes, mensagens absurdas, etc. - [ver aqui]

    _

    NOTA: Em certos casos, há prémios de €50 para quem tiver sorte...
    Bruder said...
    Confirmo o que aqui foi escrito.E apanhei o tal carteiro, ou melhor , um dos carteiros eventuais, o que nunca toca à campainha, com a " mão na massa" . Estava no portão principal. mesmo por detrás da cixa postal, quando o dito chegou aos travanços e meteu rapidamente o tal aviso...Agarrei-o.:)
    Com que então, estou ausente ? E " ausente" mesmo antes de tocar ?Gaguejou.E não tinha o tal " volume, um envelope maior que o normal.. srsr.Aldrabões ! Gente sem carácter.Aqui em Pombal, no Norte, ou no Sul.Esta empresa está a burlar os portugueses.Vejam só , outro exemplo.
    Tenho " apartado postal " há 15 anos.O mesmo.O aviso para pagar é emitido no més de Dezembro. ..e termina no final de Dezembro.Estávamos fora .De férias.Acham que nos perdoaram ?Não, senhor! Que tinha que pagar a tarifa de novo usuário, o dobro.Se queria, queria.Se não queria, entregasse a chave.Como era a quilo de " espirito de serviço " ?
    josé said...
    O livro de reclamações às vezes funciona.

    A Anacom, costuma enviar, passados meses, uma carta a dizer que tomou devida conta da ocorrência.

    É preciso empregar juristas, na Anacom e por isso, as cartas escrevem-se. Apenas, segundo penso.

    Os problemas, esses, permanecem inalterados. Ano após ano.

    Entretanto o senhor Nazaré, acumula o vencimento da privada com o da pública. Notável!
    Carlos Medina Ribeiro said...
    «O livro de reclamações às vezes funciona»

    Bem...Vou então experimentar...
    Tenho reclamado sempre recorrendo aos impressos-carta existentes para o efeito nas estações, e a resposta (que - há que reconhecê-lo - sempre recebo) é "chapa-3":

    Agradecem a informação que lhes permitirá melhorar os serviços... e nada mais.

    Como tudo fica na mesma, mês após mês, é evidente que não mexem uma palha.
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Uma das fotos que se vêem no post cujo endereço indiquei, mostra a máquina de selos da estação dos CTT da Av. de Roma.

    Hoje, passada uma semana, voltei lá.
    A máquina continua FORA DE SERVIÇO, e a única diferença são as filas, "reforçadas" por ser início de mês.

    Quando acabei por ser atendido, comentei com o senhor do balcão o facto desagradável.

    «Cheguei só hoje de férias», foi a espantosa resposta que me deu!

    Ainda argumentei que o problema não é "ele" mas sim a empresa.
    Mas não me deu "troco", nem sequer atenção...
    Tino said...
    Há outra coisa estranha que me acontece por vezes, principalmente no Verão.

    Todos os dias recebemos correio na nossa caixa: meu, da minha família e de uma empresa. É impossível haver um dia sem receber várias cartas ou encomendas.
    Mas, sobretudo no Verão, há dias que não tenho nada na caixa. Ao outro dia recebo a dobrar.

    Conclusão: ou os CTT não distribuem correio em determinados dias por falta de pessoal ou o carteiro, a título particular, mete um folga (vai para a praia) e entrega o correio de dois dias num só dia.

    Com a maioria das pessoas não dá nas vistas, porque nem sempre recebem correio.
    Quem recebe no mínimo meia dúzia de cartas por dias nota logo que alguma coisa se passou quando a caixa está vazia.

    Que vivam os Luíses Nazarés deste País!...
    João said...
    Ainda há mais uma variante: a carteira não vai com a nossa cara e resolve punir-nos. Como? Ela normalmente, mas nem sempre, toca. Depois leva o objecto postal que não cabe na caixa do correio ou é registado e rigorosamente mais nada! Pode haver uma ou uma dúzia de cartas que ela não leva, deixa na caixa do correio... Sadismo? Já me queixei a um responsável que me disse que era mesmo assim!
    Outra situação é eu estar a chegar a casa e a dita estar no prédio vizinho. Espero que ela saia, com o aviso e o B.I. na mão (como se fosse preciso, ela conhece-me de gingeira...)e ela recusa-se a entregar-me a minha correspondência. Também esta atitude foi "abençoada" pelos superiores.
    Estas duas situações são duas entre várias.
    São os CTT que temos e pior, o País que temos.
    davidazul5 said...
    bem gostaria de desmistificar algumas coisas que foram ditas por aki. 1º o carteiro nao é obrigado a vezes sem conta, tocar a campainha da casa onde esta a deixar correspondencia so para ver se realmente está alguem em casa ou nao, toca uma vez, espera um pouco e entao se nao vem ninguem entao passa o tal aviso. 2º houve um comentario de uma pessoa neste post que disse que o giro dum carteiro termina por volta das 15 horas (ca para mim deve ser um carteiro sortudo e tem um giro pequeno) porque a maioria das vezes o carteiro completa o giro por volta das 17H30 e muitas das vezes ainda tem correspondencia, que algumas das vezes tem de ficar para entregar no dia seguinte por ser de noite e ser dificil de ver (acho que ainda não existem carteiros "morcegos").
    3º quando existem avisos na caixa postal não vale a pena ir para os correios locais em busca da correspondencia a levantar, porque os carteiros nao deixam qualquer tipo de correspondecia por entregar nos correios locais e sim no local de distribuiçao e logistica central para ser levado no dia seguinte para os correios locais por funcionarios e não os carteiros.

    david

Post a Comment