A caminho de 4 de Novembro (XXV): McCain surpreende e escolhe Sarah Palin



Total surpresa na escolha feita por John McCain para a vice-presidência do «ticket» republicano. Mitt Romney e Tim Pawlenty eram os nomes mais plausíveis, mas McCain voltou a mostrar a sua face de «maverick» e decidiu arriscar na aposta para seu «running mate».

Sarah Palin, 44 anos, governadora do Alaska, é a segunda mulher a entrar num «ticket» presidencial de um grande partido americano, 24 anos depois de Geraldine Ferraro ter sido candidata a vice-presidente de Walter Mondale.

Num ano em que os democratas oscilaram entre uma mulher e um negro, McCain percebeu o momento histórico e decidiu jogar forte, ao escolher uma mulher. Para mais, Sarah tem apenas 44 anos, o que a torna numa das candidatas mais novas da história americana a aspirar à Casa Branca.

Esta escolha tem riscos óbvios: Palin só é governadora há dois anos; para mais de um estado pouco ou nada relevante na alta política americana, como é o Alaska.

Mas tem, também, grandes vantagens:
-- perante a juventude e a novidade de Obama, Sarah Palin confere um novo dinamismo à campanha de McCain
-- como mulher, Sarah Palin pode ser um bom isco para as eleitoras que queriam votar em Hillary (a hipótese de ser escolhida uma mulher esteve sempre em cima da mesa, mas Meg Whitman, ex-presidente do EBay, e Kay Bailey Hutchinson, senadora pelo Texas, surgiam como alternativas mais credíveis)

Sarah Louise Palin nasceu a 11 de Fevereiro de 1964 e governa o Alaska há apenas dois anos. Além de ser a primeira mulher a ocupar o cargo, é também a pessoa mais nova a governar o estado. Formada em Jornalismo pela Universidade de Idaho, é casada com o jornalista Todd Palin e liderou a Câmara de Wasilla entre 1996 e 2002.

Publicado por André 21:05:00  

4 Comments:

  1. O Inimputável said...
    Um dos aspectos que destaco é o facto de Sarah ter cinco filhos! Este é sem dúvida um excelente curriculum. Mais...em Portugal julgo que seria impossível termos um caso como este. Neste contexto, a os EUA é de facto o país das oportunidades...
    formiga bargante said...
    Meu caro André

    Ao escolher Sarah Palin como candidata a vice-presidente, McCain invalida um dos argumentos mais fortes que tem utilizado contra Obama, o da falta de experiência para desempenhar o cargo de Presidente dos EUA.

    Ela própria é um flagrante exemplo de falta de experiência política a nível nacional ou internacional.

    Por outro lado, convém recordar que um dos factores determinantes para uma tomada de decisão por parte dos indecisos vai ser a realização dos debates televisivos entre os candidatos a presidente, mas também dos candidatos a vice-presidente.

    E aí será curioso "vêr" o frente a frente entre Joe Biden e Sarah Palin.

    Quanto ao destaque que tem dado às sondagens a nivel nacional, desculpe estar em desacordo consigo, mas estes elementos são muito, mas muito secundários.

    Como sabe, o futuro presidente dos EUA não é eleito pele soma do total dos votos nacionais, mas sim pela soma dos "votos eleitorais" atribuidos a cada um dos estados, e aqui as coisas complicam-se.

    Como informação complementar, posso adiantar que neste momento a campanha de Obama está particularmente atenta a 18 dos estados americanos, os quais, no conjunto de votos eleitorais conquistados por cada candidato, irão determinar quem será o próximo presidente dos EUA.

    Cumprimentos

    Fernando Gonçalves
    André said...
    Caro Fernando Gonçalves,

    sobre os considerandos à escola de Palin, concordo com quase tudo o que escreveu -- sobretudo com o facto de um debate entre Sarah e Biden ser, em princípio, altamente vantajoso para o democrata.

    Em relação àa sondagens: é claro que as sondagens nacionais podem ser enganadoras, mas se fizer uma rápida busca pelos últimos 4 anos desta Loja, pode ver que em vários post me refiro ao Colégio Eleitoral e à análise por estados.

    Já depois de ter ficado claro que a disputa de 2008 seria entre Obama e McCain, lancei vários indicadores dos estados decisivos e irei continuar a fazê-lo até 4 de Novembro.

    Não sei que indicadores tenho em relação ao Colégio Eleitoral neste momento. Os indicadores a que mais dou crédito apontam para que Obama esteja com 215/230 Grandes Eleitores, McCain algures entre os 185 e os 205, existindo perto de 100/120 votos eleitorais em aberto, decorrentes de nove ou dez estados em empate técnico.

    Tudo em aberto, portanto, mas mantenho que Obama tem, neste momento, mais hipóteses de ser eleito do que McCain. Mas ainda faltam 66 dias...

    Um abraço
    A said...
    Reflectindo:
    1- Obama cometeu o erro de se afirmar abertamente a favor do aborto; 2- a candidata a vice presidente entre fazer um aborto ou deixar nascer um filho com uma grave doença, preferiu que o filho nascesse.Importantíssimo trunfo para os republicanos ; 3- Ela ocupa um cargo na associação americana mais importante de defesa de uso de armas, Obama apresenta-se quase como pacifista; 4- A Geórgia e a declaração de Putin são más para Obama.5- Ainda por cima a nossa Ana Gomes apoia histéricamente Obama...sinal de que os Republicanos vão ganhar.

Post a Comment