A ilha das roseiras

O senhor António Nunes é o notório presidente da ASAE, tendo antes disso exercido funções públicas em organismos como a extinta DGV.
Tem pautado a sua actuação pública, à frente daquele organismo de fiscalização económica, pela visibilidade, vedetismo e protagonismo para-policial, e foi apanhado em acção flagrante, por um fotógrafo indiscreto do insuspeito Diário de Notícias, a fumar em local proibido- o mais nobre dos salões nobres do Casino Estoril, onde decorria o Reveillon, com mais de mil pessoas lá dentro.

Apanhado em flagrante, negou a ilicitude da acção, defendendo-se com uma arrevezada interpretação da lei- não se lhe aplicava porque no salão do Casino podia-se fumar. Noutros sítios iguais, não. Foi assim que explicou.
Desmentido nessa interpretação peregrina, pelo director-geral de Saúde e desmentido agora pela própria representante do PS, na Comissão Parlamentar de Saúde, Maria Antónia Almeida Santos, não se dá por achado. O próprio ministro da presidência, o inefável Silva Pereira, considera o caso sem relevância de maior e sem ponta de escândalo à vista. "Então, o pobre do homem, não pode fumar, num sítio daqueles?", retoricou, ontem, na tv, perante um acutilante Mário Crespo.

Para remendar a interpretação da recente lei do tabaco, que pelos vistos nasce atamancada, à semelhança de outras mais, parece que a Comissão parlamentar de Saúde da A.R., composta, por 35 eminentes deputados, capitaneados pela antiga ministra Maria de Belém Roseira, (e que também esteve no Casino, na mesma festa que o presidente da ASAE) , pronunciou-se hoje pela audição parlamentar do director-geral de Saúde, para “falar sobre questões relativas à lei do tabaco”.
Falar? Questões? Sobre a lei do tabaco, recentemente aprovada?
A deputada Maria Antónia Almeida Santos, do PS e da mesma Comissão já disse o que tinha a dizer: “os casinos não são uma ilha”.
Não são? Isso é o que falta saber…

O Casino Estoril, é capitaneado por Assis Ferreira, antigo ( há 40 anos) guitarrista do Quinteto Académico, pródigo em amizades simpáticas, o que lhe permite convidar pessoas para a casa que dirige, em dias de festa como o Reveillon. Desta vez, a roda da sorte parece que caiu em gente desta governação que vamos tendo, em bloco cada vez mais centralizado. Le crème de la créme, como se diria em francês macarrónico.

Ontem, na tv da Sic-Notícias, foi dito que António Nunes, era um dos convidados. Maria de Belém, outra. E outros mais, certamente, porque a sala estava concorrida e cheia de gente (de) bem, desta que nos faz o favor de mandar em nós .
A entrada para o banquete de fim-de-ano, sem ser pela porta do cavalo, custava uma módica e simbólica soma de 500 euros ( por pessoa).
Para um funcionário de Estado, que é isso- 500 euros? Uns pacotes de amendoins, certamente.
Assim, que mal é que pode haver, em que o presidente da ASAE e a presidente da Comissão Parlamentar de Saúde, sejam convidados do senhor Stanley Ho, patrão da Estoril-Sol? Nada, certamente. É tudo gente de bem. E quem pensar o contrário, só pode ser mesquinho e pequenino de ideias simpáticas.

E também que mal é que pode haver, em que o Parlamento português, se dê ao cuidado especial de inquirir agora, um director-geral de Saúde, sobre a especial natureza, de ilha, parece, do Casino Estoril? Nada, também.
Nós é que somos burros. Ou maledicentes, como também soe dizer-se.
Nota explicativa, para distraídos e desentendidos, tirada do Sol: "O magnata de Macau, Stanley Ho, é o 104.º mais rico do mundo na lista da revista Forbes. Tem interesses em diversas áreas de negócio em Portugal e nos países lusófonos, especialmente em África.
Stanley Ho é o maior accionista da sociedade Estoril Sol, onde detém 57 por cento da indústria do jogo, sendo ainda accionista de referência da EDP, da Boavista e da Alta de Lisboa (sector imobiliário) e da Portline (transportes marítimos).
Ho quer também reforçar a sua posição no banco português Millennium/BCP, segundo a entrevista que deu na quinta-feira à Agência Lusa em Macau.

Lusa/SOL


ADITAMENTO IMPORTANTE:

O responsável pelo Casino, Assis Ferreira, agora mesmo na SIC-Notícias, esclareceu que afinal, ao contrário do que ontem, na mesma SIC-Noticias, ficara subentendido, António Nunes, não foi convidado do Casino, de Stanley Ho. Pagou o seu bilhete, presumiu Assis Ferreira que esclareceu que António Nunes é frequentador dos Réveillons do Casino há quatro anos.

Fica feita a correcção, para que não fique mancha à honra do visado.

Publicado por josé 15:05:00  

8 Comments:

  1. Luís Bonifácio said...
    Pois é caro José.

    Parece que os Casinos (pelo menos os do Sr. Ho) são ilhas isentas da visita da ASAE.
    Pena é que não seja a única. Aqui pode ver que existem muitas mais:

    http://novafloresta.blogspot.com/2008/01/um-portugal-em-que-asae-no-toca.html
    lusitânea said...
    Como diz o outro, o tudólogo, é só inveja... dirão eles...
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Fiz uma pesquisa no YouTube para ver se alguém já lá tinha afixado a entrevista do Mário Crespo aqui referida. Estão lá muitas outras, mas essa parece que não.

    Se alguém lá a colocar, esperemos que avise.

    Se tiver a gravação mas não souber como fazer o "upload", envie-ma, que eu trato disso(medinaribeiro@iol.pt)
    José Senra said...
    Mas se um qualquer Zé ninguém for apanhado a fumar, pode pagar até €750 e nem tempo lhe dão para bufar.
    Agora como é um "bicho graúdo", talvez até a ilha já tenha uma lei especial... alguém disse q era a do jogo...
    Faz falta um novo manifesto anti Dantas
    INF-1962 said...
    Com tantas criticas à ASAE, estou mesmo a ver este blogue fechar por falta de condições. Venham depois alegar que o queijo é limiano, que é de boa marca!
    hkt said...
    O que se passou no Casino faz parte de uma estratégia meticulosamente preparada pela ASAE para não deixar de esta nas primeiras páginas e na abertura de telejornais. Dou os parabéns ao seu director que já conseguiu honras de Der Spiegel e de Skynews. Convenhamos que não é pelos melhores motivos mas, lembremo-nos de que para algumas pessoas o importante é que falem delas.
    Francisco Múrias said...
    Quem pagou o jantar ao Sr Nunes?

    A SIC diz que o Sr Nunes diz que foi convidado mas que não sabe quem pagou o jantar. Diz também que o Sr Nunes estava na zona dos convidados pelo Casino.

    Será que o Casino convidou um amigo do Sr Nunes e esse amigo convidou o Sr Nunes e o Vice-presidente da ASAE?

    E que amigo é esse que é tão amigo da direcção da ASAE?.

    A lei no entanto não faz distinções sobre amigos diz o seguinte:

    «4 - A pena de demissão será aplicável aos funcionários e agentes que, nomeadamente:

    b) Em resultado do lugar que ocupam, solicitarem ou aceitarem, directa ou indirectamente, dádivas, gratificações, participações em lucros ou outras vantagens patrimoniais, ainda que sem o fim de acelerar ou retardar qualquer serviço ou expediente;

    Parece não oferecer grandes dúvidas que o convite foi feito , dado que também lá estava o Vice-Presidente da ASAE , em resultado do lugar que ocupam.

    Vejam o video no Intromissões

    http://intromissoes.blogspot.com/
    josé said...
    O Assis Ferreira, percebendo o perigo, apressou-se a dizer que presumia que o senhor Nunes tivesse pago a entrada ( 500 euros).
    Até citou o nome de um amigo do senhor Nunes, para sugerir que este era convidado do mesmo...

    Este assunto não fica por aqui, porque acho isto mais escandaloso do que o fumo da cigarrilha.
    E ao senhor Nunes, exige-se o máximo porque ele também o faz.
    Zelo. Em excesso.

Post a Comment