Dizem que é uma espécie de entretenimento

Quem ouve as nossas autoridades, ligadas ao(s) Governo(s), pode ficar descansado: nunca haverá motivos para alarme, por muito grave que seja o panorama social que se nos depara todos os dias, nos jornais, relativo à criminalidade. As estatísticias comprovam-no: estão a descer os números ( registados) sobre a criminalidade e o ministro regozija-se, fazendo como certas aves que não voam, lá no hemisfério sul.
Quem quiser ver a realidade que desmente a visão de avestruz, basta ler o Correio da Manhã, de há uns anos a esta parte. Melhor, até pode fazer uma pequena resenha, lendo as notícias resumidas, no blog das Carvalhadas.
Hoje, por exemplo, esta:
A polícia terminou com cerca de três anos de roubos de viaturas de luxo, em que os alvos estavam bem definidos. Ao grupo só interessava os carros de alta cilindrada que depois vendia ao desbarato em stands de automóveis do Grande Porto. Os Audi, Mercedes e BMW eram transaccionados a 750 euros.
Paralelamente, o gang fazia assaltos em residências. “Faziam deste tipo de crime o modo de vida”, disse ao Correio da Manhã, fonte policial.Os assaltantes actuavam sobretudo nas cidades de Santo Tirso, Póvoa de Varzim e Vila do Conde, onde abordavam as vítimas com revólveres .32 ou caçadeiras de canos serrados. As vítimas eram obrigadas a sair da viatura e a deixar todos os seus pertences.Quando foram detidos, a PSP encontrou as sete armas utilizadas pelo grupo durante os roubos.Os jovens não tinham antecedentes criminais, pelo que, segundo fonte judicial, “encontraram no carjacking uma forma fácil de ganhar a vida e que lhes permitia ostentar riqueza”. Há dois meses, a Judiciária já tinha apanhado outros elementos que actuavam com os jovens agora detidos.
Não é preciso ter andado no ISCTE, para saber que isto não vai bem por aqui, por muito que nos assegurem que sim.

Publicado por josé 15:25:00  

1 Comment:

  1. luis said...
    "Quem quiser ver a realidade que desmente a visão de avestruz, basta ler o Correio da Manhã, de há uns anos a esta parte...".

    Sim, não há como o "Correio da Manha" para termos um reflexo exacto da realidade sóciopolíticocultural portuguesa. Jornalismo do mais elevado coturno. Mas quais The New York Times, Guardian, Times, El País e outros que tais, o "Correio da Manha" é que é um jornal a sério, uma autêntica referência do jornalismo mundial. É só olhar a 1ª página, de esguelha, de qualquer edição, que vê-se logo o alto "pasquinismo" que ali se pratica.

Post a Comment