problemas congénitos

Separados à nascença

Haverá uma imensidão de coisas a dizer sobre o processo que José Sócrates moveu contra António Balbino Caldeira. Por exemplo, que José Pacheco Pereira tem absoluta razão quando diz, no Abrupto, que há no primeiro-ministro, "uma indiferença face à honestidade e à verdade, uma política feita de trapalhices e trapacices, um vale tudo para manter o poder, ganhar uns pontinhos, esmagar um adversário, um autoritarismo com os fracos e subserviência para com os fortes, um parecer mais que ser".

Este "autoritarismo com os fortes e subserviência para com os fortes" prova-se, aliás, no facto de de Sócrates ter processado Balbino Caldeira e não ter processado o próprio Pacheco, que considerou Sócrates a atreito a "trapacices" e "indiferente face à honestidade", coisa que nunca vi escrita no Portugal Profundo.

Haverá, volto ao princípio, uma imensidão de coisas a dizer. Uma delas, para já, é que se prova, no fim de contas, que Sócrates e a srª drª DREN Margarida Moreira são personagens feitos da mesma massa: gente burra a quem alguém não deu chá em criancinha.

João Pedro Henriques

Publicado por Manuel 17:53:00  

3 Comments:

  1. Carlos Medina Ribeiro said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Alexandre said...
    Muito certeira e acutilante análise, curiosamente vinda do Blogue onde também escreve a pretensa namorada do Sócrates.
    Comentários deste tipo dão-me alguma confiança de que pelo menos alguma esquerda começa agora a "abrir os olhos" e a condenar com veemencia o comportamento abominável de quem nos governa
    Carlos Medina Ribeiro said...
    Este texto foi, há pouco, transcrito por um leitor no «Do Portugal Profundo».

    É pena que se mantenha [o que me parece ser] uma gralha pois, onde se lê «Este "autoritarismo com os fortes», deve ler-se, julgo,
    «Este "autoritarismo com os fracos»

Post a Comment