game over!

O Parlamento disponibilizou aos jornalistas duas versões da ficha biográfica de José Sócrates, com a mesma data. São ambas preenchidas e assinadas pelo punho do primeiro-ministro. Pela sobreposição das duas cópias percebe-se que são versões da mesma ficha, com diferenças nos items «profissão» e «habilitações literárias».

Veja aqui reproduções dos documentos

No dia 13 de Fevereiro de 1992, o então deputado José Sócrates entregou no Parlamento um registo biográfico em que coloca «engenheiro» como profissão. No espaço destinado a habilitações preenche «engenharia civil». Estes são dados que constam da ficha biográfica que o agora primeiro-ministro entregou na AR quatro anos antes de ter concluído a licenciatura.

Mas com data do mesmo dia, a AR disponiblizou aos jornalistas uma cópia em que a profissão passou a «engenheiro técnico» e no espaço destinado às habilitações passou a haver «bach.» antes de engenharia civil. As duas fichas são em tudo semelhantes, quer no tipo de letra, quer nas informações prestadas. Sobrepondo os dois documentos à transparência, as letras coincidem perfeitamente. Conclui-se, pois, que uma é uma cópia do original e que a segunda é o mesmo documento, corrigido.

Questionado pelo SOL sobre por que razão o Parlamento tem dois registos biográficos do mesmo deputado, com a mesma data, o gabinete da secretária-geral responde que não tem «a 15 anos de distância, explicação para este facto, não pretendendo sobre este assunto desenvolver quaisquer especulações».

As únicas diferenças entre os papéis são os referidos acrescentos de «técnico» e «bach.». A letra com que o documento é preenchido é idêntica à da assinatura de Sócrates, provando que foi escrito pelo próprio. Há ainda uma outra diferença: numa das fichas (a primeira) está escrito, em cima, secretário de Estado adjunto do ministro do Ambiente, cargo que Sócrates só ocuparia em 1995.

Em nenhuma versão da ficha Sócrates diz ser licenciado. Recorde-se que no livro com os registos biográficos dos deputados da VI legislatura (1991-1995), feito pelos serviços da AR, Sócrates aparece como sendo licenciado em engenharia.

Ontem, o gabinete do primeiro-ministro respondeu que este era alheio a esse facto, e que tal só se poderia explicar por um lapso dos serviços da Assembleia.

Sol.pt

Publicado por Manuel 18:14:00  

4 Comments:

  1. lv said...
    Ena que coisa tao grave. Corrigir um papel há cerca de 10 anos, veja lá as complicaçoes que pode dar.
    Sabe lá o que se passou com esse papel.
    RCruz said...
    Acho que não há dúvidas relativamente ao autor da "emenda"...mas podíamos sempre alegar que não foi a mesma pessoa que escreveu "engenheiro" que depois acrescentou "técnico" mas isso era demais.
    Agora tenho a certeza...Game over
    Zé Luís said...
    Realmente DEGRADANTE.
    E, como dito atrás, mais um prego no caixão.
    Cada cavadela, cada minhoca.
    (en)terra com ele!
    MANHENTE said...
    Bem... A experiência diz-me "cautelas e caldos de galinha". A prova que se apresenta aqui parece inquestionável, inequívoca, se os originais não foram manipulados à priori por quem os forneceu ou obteve (nessa circunstância, sabe-se lá com que intenção obscura) - a dúvida faz parte do argumento, que fique claro; não tem qualquer outra intenção.

    E o grave já não seria a mentira, mas sim o encobrimento da mentira.

    Mesmo não gostando da actuação do governo, pelo menos ao nível da Educação (gravíssima, como daqui a poucos anos se verá), gostaria que tudo isto não passasse de um equívoco.

    Mais pelo país do que pelo homem.

    Mais do que o Primeiro Ministro, vejamos como "actuam" os entrevistadores daqui a minutos.

Post a Comment