exclusivo
a prova!

Viva,

Estive a dar uma vista de olhos na prova do nosso 1º. Para além das notórias falhas de capacidade de ambos (aluno e professor) envio em anexo um PDF com umas anotações do que encontrei de errado e que o Arouca (se foi ele) não encontrou.

Não sei o que tem de técnico o inglês do texto de qualquer das forma é evidentemente produzido por alguém que escreveu (ou organizou ideias) no seu idioma materno e depois o traduziu. De tudo isto resulta uma construção de frases que mete medo e a utilização avulsa de vírgulas só pode ser resultado de tantos anos na política na qual as vírgulas têm outro valor...

15 valores neste desastre... não sei será bom ver os outros testes, sei que sou exigente mas de mim não levava mais que 9 ou 10.

Cumprimentos.
FF. (recebido por email)

N.A. A prova e respectiva podem ser lidas na integra aqui

Publicado por Manuel 23:09:00  

8 Comments:

  1. Duncan Idaho said...
    Tinha realmente lido a prova no Expresso, claramente uma tradução quase à letra de um quakquer exto que escreveu e teria lá pelo gabinete.
    Se fosse um exame de tecnicas de tradução levava nega, sendo supostamente de inglês técnico é trágico.
    Enfim, na verdade a questão nem é essa. Arouca é uma nulidade a linguas e deu aulas a outra. Acontece.
    Imposrtante era saber, que explicação para a data de exame e já agora saber mesmo quando foi pedida aquela complexa fórmula que demorou um ano a ser emitida.
    Já pedi duas vezes o meu certificado de habilitações, para fins profissionais e academicos e nunca demoraram mais de uma semana e meia.
    A um deputado da nação fizeram-no esperar 1 ano?!! Pobrezinho!
    Antonio said...
    Concordo que a questão é a data mas vão passar-lhe por cima com facilidade. O que me parece interessante é a qualidade tanto do aluno e professor.

    Acho que é legítimo colocar em causa todas as outras notas.
    escritor de pacotilha said...
    É, de facto, escandaloso que este trabalho receba uma nota de 15 valores. Como foi dito pela pessoa que o apresentou, nunca poderia ser mais que 10 e já seria com alguma sorte. A quantidade de erros na atribuição de posse e plural é deplorável, só ao nível dos "Snack Bar's" e dos CD's que vemos todos os dias neste país.

    Fica então a ideia da incompetência (ou favorecimento) de Luís Arouca para este trabalho, a notória incapacidade de Inglês Técnico que Sócrates tem (e ele vai presidir à União Europeia já no próximo semestre!) e a falta de prestígio inerente que a UnI recebe. Mais um tiro no pé para a universidade compulsivamente encerrada.

    Saudações democráticas
    Roy Bean said...
    Não consegui ler a prova. O computador diz que o ficheiro pdf está "corrompido"...
    Será brincadeira??????????
    DeeEss said...
    O PDF está bom. Convém actualizar o seu "Adobe Acrobat reader" (inglês técnico) ou fazer um "clear cache" para apagar algum ficheiro corrupto/parcialmente descarregado que tenha no seu disco.

    Seu.
    DeeEss said...
    No 4ª parágrafo da primeira folha há outro erro, "this concept" ou "these concepts"... this concepts é que não.
    O Raio said...
    Há aqui várias coisas que não foram valorizadas nem no artigo nem nos comentários.
    Primeiro é de sublinhar que o texto deve ter sido mesmo escrito pelo Sócrates porque se ele o tivesse pedido a alguma das suas secretárias certamente que estaria mais bem escrito. Aquilo é inglês de principiante.
    Segundo é de gabar a honestidade do Sócrates que, sabendo que era uma desgraça a inglês foi ele mesmo fazer o texto e não o pediu a ninguém. Mais, foi tão honesto que nem sequer usou o corrector ortográfico do Word. Ou será que nessa longínqua época ele desconhecia o que era um computador?

    Por fim e referente ao comentário de que não sabendo inglês vai presidir á UE, recordo que o português é língua oficial da UE e que não é necessário saber inglês para presir á UE.
    O anterior Presidente da comissão, Romano Prodi, por exemplo, não sabia inglês.
    Roy Bean said...
    Obrigado Deeess!
    :o)

Post a Comment